Não te esqueças de que a solução para o problema que te angustia, está a caminho.

Nos tribunais da Divina Justiça, nenhum processo fica parado.

A tua petição, depois de examinada, será deferida de acordo com os teus méritos.

Não te aflijas, antecipando-te às providências que haverão de ser tomadas em favor de tua paz.

Nem agraves a tua situação, tornando inócuas, quando te alcancem, as deliberações em andamento.

Saber esperar é tão importante quanto saber agir.

Toda decisão precipitada acaba sendo uma solução pela metade para o problema que se pretende resolver.

A solução que demora a surgir ainda não encontrou, disponíveis, os elementos que a favoreçam.


Irmão José/Carlos A. Baccelli
livro "Vigiai e Orai"











Dez Maneiras de Amar a Nós Mesmos

1. Disciplinar os próprios impulsos.

2. Trabalhar, cada dia, produzindo o melhor que pudermos.

3. Atender aos bons conselhos que traçamos para os outros.

4. Aceitar, sem revolta, a crítica e a reprovação.

5. Esquecer as faltas alheias sem desculpar as nossas.

6. Evitar as conversações inúteis.

7. Receber no sofrimento o processo de nossa educação.

8. Calar diante da ofensa, retribuindo o mal com o bem.

9. Ajudar a todos, sem exigir qualquer pagamento de gratidão.

10. Repetir as lições edificantes, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, perseverando no aperfeiçoamento de nós mesmos, sem desanimar e colocando-nos a serviço do Divino Mestre, hoje e sempre.







Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO,
mesmo sabendo que as rosas não falam...

Que eu não perca o OTIMISMO, mesmo sabendo que o futuro
que nos espera pode não ser tão alegre...

Que eu não perca a VONTADE DE VIVER, mesmo sabendo que a vida é,em muitos momentos, dolorosa...


Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS,
mesmo sabendo que, com as voltas do mundo,
eles acabam indo embora de nossas vidas...

Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS,
Mesmo sabendo que muitas delas são incapazes
de ver, reconhecer e retribuir, esta ajuda...

Que eu não perca o EQUILÍBRIO, mesmo sabendo
que inúmeras forças querem que eu caia...

Que eu não perca A VONTADE DE AMAR, mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim...

Que eu não perca a LUZ E O BRILHO NO OLHAR, mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão os meus olhos...

Que eu não perca a GARRA, mesmo sabendo que a derrota e a perda

São dois adversários extremamente perigosos...

Que eu não perca a RAZÃO, mesmo sabendo

que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas...

Que eu não perca o sentimento de JUSTIÇA, mesmo
sabendo que o prejudicado possa ser eu...

Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO, mesmo sabendo
que um dia os meus braços estarão fracos...

Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VIVER, mesmo sabendo

que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...

Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia...


Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR que existe em meu coração, mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado...

Que eu não perca a vontade de SER GRANDE, mesmo
sabendo que o mundo é pequeno...

E acima de tudo...

Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente!

Que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois...

A VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS

E CONCRETIZADA NO AMOR!






Desencanto

Também, Senhor, um dia, de alma ansiosa,
Num sonho todo amor, carícia e graça,
Quis encontrar a imagem cor-de-rosa
Da ventura que canta, sonha e passa.

E perquiri a estrada erma e escabrosa,
Perenemente sob a rude ameaça
Da amargura sem termos, angustiosa,
Entre os frios do pranto e da desgraça,

Até que um dia a dor, violentamente,
Fez nascer no meu cérebro demente
Os anelos de morte, cinza e nada.

E no inferno simbólico do Dante,
Vim reencontrar a lagrima triunfante,
Palpitando em minh’alma estraçalhada.


Autor: Hermes Fontes
(psicografia de Chico Xavier )

Estudos Doutrinários

quarta-feira, 25 de abril de 2012

O que é o Livre Arbítrio ?


 

Livre arbítrio, conforme o meu entendimento espírita, é a possibilidade de fazer escolhas.

Algumas pessoas confundem livre arbítrio com fazer o que quiser, sem que haja conseqüências, dizendo que do contrário não seria livre arbítrio. Pois bem, uma liberdade de ações sem limites não existe. No conceito filosófico, minha liberdade acaba quando se opõe a liberdade do outro, embora eu possa ignorar a liberdade do outro como se não houvesse limitações.

Um exemplo disso seria um marido que impõe a sua esposa que a mesma não deixe seu lar de maneira alguma, cerceando-lhe a liberdade, durante toda uma vida.

A ação desse marido não teve maiores conseqüências para ele durante a sua vida, mas, na vida futura ou depois de sua morte, ele deverá responder por esse ato perante sua própria consciência de culpa.

Sabiamente, o apóstolo Paulo de Tarso já tinha nos prevenido que, tudo nos é permitido, mas nem tudo nos é lícito.

 Tamanho do livre arbítrio.

Com os dizeres anteriores ficou claro que nosso livre arbítrio é limitado e traz conseqüência.

Jesus nos disse que somos deuses, e quando ele disse isso não era uma figura de linguagem, ele sabia que poderíamos fazer coisas maravilhosas se assim quiséssemos, como andar sobre as águas. Essas e outras maravilhas estão disponíveis a todos nós conforme utilizemos melhor o nosso livre arbítrio. Em meu entendimento, um homem como Chico Xavier, por dar as mostras necessárias, podia realizar feitos que nós ainda não podemos, como emitir luzes, sons, ler pensamento e estar em mais de um lugar ao mesmo tempo.

Em A GêneseAllan Kardec explica que há diversas categorias de mundos conforme a evolução de seus seres vivos, e, como o progresso da inteligência não anda de braços dados com o progresso da moral, em alguns mundos, os homens se tornam tão inteligentes enquanto ainda são maus, que a sua inteligência é utilizada para ferir centenas e até bilhões de criaturas. Quando os globos onde esses homens habitam chegam a um período de madureza, esses homens são retirados de lá para que não sejam “pedra de tropeço” aos bons que por lá ficam, se fazendo cumprir em todos os mundos a profecia do Cristo que diz que “os mansos herdarão a terra” e que “haverá separação entre o joio e o trigo”.

Deus, por tanto, se comporta como um pai que nos instrui e nos dá mais liberdade de ação à medida que demonstramos ter responsabilidade para agir, da mesma forma como um pai tira de perto de seu bebê objetos pontiagudos, ou farsa filhos maiores a irem à escola, quando na verdade o bebê chore para pegar uma tesoura e um menino brigue para faltar de aula.

Concluo então que Livre Arbítrio é a liberdade de escolha que temos dentro das limitações que nos impomos por falta de responsabilidade ou amadurecimento.

Nota. A informação sobre a ubiqüidade de Chico Xavier foi tirada da entrevista com Divaldo Franco para o programa Transição, em comemoração ao centenário de nascimento de Chico.

 

 

 

 

 

 

 

Que é o livre-arbítrio? Abrindo “O Livro dos Espíritos”, vamos encontrar no Capítulo X - Da Lei de Liberdade -, 3ª Parte da obra, oito questões relacionadas com o assunto livre-arbítrio (Questões 843 a 850), nas quais os Espíritos superiores instruem-nos a respeito.

Logo na Questão 843, indaga o Codificador se o homem tem o livre-arbítrio de seus atos. E os Espíritos respondem que se tem a liberdade de pensar, tem igualmente a de obrar, porquanto, sem o livre-arbítrio ele seria máquina.

Em resposta à Questão 845, os Espíritos afirmam que conforme se trate de Espírito mais ou menos adiantado, as predisposições instintivas podem arrastá-lo a atos repreensíveis, porém não existe arrastamento irresistível.

Basta que o Espírito (encarnado ou desencarnado), sendo consciente do mal a que esteja ou se sinta arrastado, utilize a vontade no sentido de a ele resistir.

Verificamos, no contexto geral das Questões acima referidas, que não há desculpa óbvia para o mal que o homem venha a praticar, uma vez que ele, por mais imperfeito que seja, tem a consciência do ato que pratica - se é bom ou se é mau.

O livre-arbítrio é uma faculdade indispensável ao ser humano, não nos resta qualquer dúvida, pois, sem ele, já foi dito, o ser espiritual seria simples máquina ou robô, sem qualquer responsabilidade dos atos que viesse a praticar.

É justamente a faculdade do livre-arbítrio que empresta ao homem certa semelhança com o Pai soberano do Universo. E constitui desiderato pleno desse Pai magnânimo que os Espíritos, seus filhos, cresçam para a glória eterna, iluminando-se na prática da sabedoria e do bem.

A prática do mal pelo Espírito, encarnado ou desencarnado, não tem qualquer justificativa porque ele sabe quando obra indevidamente. Caim, no exemplo bíblico, ao matar Abel, tinha plena consciência do que fazia tanto que o fez às escondidas. O que faltou a Caim foi a compreensão de que nada há oculto aos olhos de Deus!

Pode-se, verdadeiramente, lesar os homens, pode-se até mesmo lesar-se a si próprio, mas nunca lesará alguém a magnânima justiça de Deus.

Esclarece-nos a Revelação da Revelação, ou “Os Quatro Evangelhos”, que o Espírito antes de encarnar toma resoluções quanto ao gênero das provações, quanto à extensão e ao termo delas, até mesmo quanto à duração da existência bem como quanto aos atos que praticará durante a mesma, no entanto, o emprego, o uso ou o abuso que ele faz da vida terrena muitas vezes o impedem de atingir o limite e o bom cumprimento daquela resolução (1º Volume, pág. 139, 7ª edição FEB).

No caso enfocado, o Espírito teve o livre-arbítrio de programar o que seria a sua encarnação, no entanto, em função do próprio livre-arbítrio, por usá-lo mal ou dele abusar, estragou um bom programa de vida. Há, porém, aqueles que procuram justificar-se com fundamento no esquecimento produzido pelo véu da carne.

Os Espíritos, todavia, em resposta à Questão 392 de “O Livro dos Espíritos”, explicam que “não pode o homem, nem deve, saber tudo. Deus assim o quer em sua sabedoria. Sem o véu que lhe oculta certas coisas, ficaria ofuscado, como quem, sem transição, saísse do escuro para o claro.” E concluem: “Esquecido de seu passado ele é mais senhor de si.”

Vejamos, por exemplo, uma situação em que determinado indivíduo houvesse sido homicida em sua última encarnação e tivesse programado para a atual existência a quitação desse delito. Não obstante a desnecessidade de desencarnar assassinado, ele não teria paz até o dia de seu retorno à vida espírita. Estaria sempre sobressaltado e na expectativa da presença de alguém que lhe viesse subtrair a vida física, se recordasse sua transgressão anterior.

O esquecimento do passado é necessário, misericordioso, e justifica perfeitamente a prova ou provas a que todos estamos naturalmente submetidos, pois essa é uma das funções da vida corporal.

Sentimos a importância do livre-arbítrio quando somos levados a tomar decisões que incomodam a consciência... Isto significa quanto o Pai celestial é bom, nos ama e se preocupa com o nosso progresso. Concede-nos o livre-arbítrio, mas concede-nos igualmente a consciência, espécie de censor natural, que nos alerta quando dele pretendemos abusar.

A propósito queremos fazer um paralelo entre duas informações ou elucidações em torno do livre-arbítrio e as conseqüências de sua errônea utilização. Uma se encontra em “Os Quatro Evangelhos” ou Revelação da Revelação (lº Vol. pág. 299, 7ª edição FEB), nos seguintes termos:

“Esses Espíritos presunçosos e revoltados, cuja queda os leva às condições mais materiais da Humanidade, são então humanizados, isto é, para serem domados e progredirem sob a opressão da carne, encarnam em mundos primitivos, ainda virgens do aparecimento do homem, mas preparados e prontos para essas encarnações (grifos da obra).

A outra se encontra em “O Evangelho segundo o Espiritismo” (Capítulo III, Item 16, edição FEB), nos termos seguintes:

“Já se vos há falado de mundos onde a alma recém-nascida é colocada, quando ainda ignorante do bem e do mal, mas com a possibilidade de caminhar para Deus, senhora de si mesma, na posse do livre-arbítrio. Já também se vos revelou de que amplas faculdades é dotada a alma para praticar o bem. Mas, ah! Há as que sucumbem, e Deus, que não as quer aniquiladas, lhes permite irem para esses mundos onde, de encarnação em encarnação, elas se depuram, regeneram e voltam dignas da glória que lhes fora destinada.”

Em ambas as elucidações, vê-se que o livre-arbítrio é um dom de que o Espírito pode abusar, mas terá sempre de enfrentar as conseqüências desse abuso, sofrendo encarnações destinadas a purificá-lo, transformá-lo, regenerá-lo, o que não deixa de ser pena de efeito verdadeiramente misericordioso.

Os itens 16 e 17 desse capítulo de “O Evangelho segundo o Espiritismo” são constituídos de uma mensagem de Santo Agostinho, que deve ser lida atenciosamente pelo espírita estudioso. Pois a questão livre-arbítrio confunde bastante aqueles que a conhecem apenas superficialmente, literariamente, sem analisar-lhe a profundidade científico-filosófica.

Há, ainda, aqueles que confundem livre-arbítrio com direito, quando são duas coisas diferentes. No livre-arbítrio temos uma ação voluntariosa de escolha entre alternativas diferentes em que o ator é responsável pelas conseqüências do seu ato. Na ciência do direito a responsabilidade do ato praticado decorre da lei humana.

A Doutrina Espírita exerce, portanto, considerável papel em sua função de Consolador prometido pelo Cristo de Deus: o de alertar as almas que atingiram determinado degrau da escala evolutiva, em que a alegação de ignorância já não atenua determinados erros cometidos em função do livre-arbítrio. No que diz respeito aos habitantes de um mundo em vias de mudança para estágio de regeneração, vale acentuar ainda, conforme vimos acima, a função da consciência como faculdade de alertamento no processo optativo das alternativas para a ação.

A Doutrina está no mundo para todos. Ela não pertence aos espiritistas. Enviou-a Jesus à Humanidade. Os espiritistas somos apenas seus instrumentos de exemplificação e divulgação sem qualquer outro “privilégio” além da consciência do livre-arbítrio.

 

Mundos Inferiores e Superiores

A Classificação de mundos inferiores e mundos superiores É pingos relativa do absoluta Que, POIs Um Mundo OU inferior médio e superior em Relação EAo Que se Acham DELE Abaixo ou acima, Na escala progressiva. Tomando uma Terra Como Ponto de comparação, pode-se Fazer Uma Idéia do estado de Um Mundo inferior, Supondo OS SEUS habitantes nenhum grau evolutivo dos Povos Selvagens e das Nações Barbaças Que Ainda se Encontram em Nosso Planeta, restos de Como fazer Seu estado primitivo. Nos mundos atrasados Mais, OS Homens São de certo modo rudimentares. Possuem uma forma humana, sem Mas nenhuma beleza; SEUS instintos São temperados softwares antigos Por Sentimento de benevolência OU Delicadeza, Noções Pelas Nem do justo e injusto fazer, uma Força bruta É sua Única lei. Indústrias Sem, sem Invenções, dedicam Sua Vida à conquista de Alimentos. Não obstante, Deus Não abandona nenhuma de Criaturas SUAS. No fundo tenebroso Dessas inteligências encontra-se, latente, a vaga intuição de hum Ser Supremo, desenvolvida Menos Mais ou. Esse instinto É Suficiente para quê uns se tornem superiores Outros AOS, Preparando-se Para a eclosão de Uma Vida Mais Plena. Porquê eles não São Criaturas degradadas, Crianças crescem Mas que.



Entre esses graus inferiores E mais elevados, Degraus HÁ inumeráveis, e Entre OS Espíritos puros, desmaterializados e resplandecentes de Glória, reconhecer Difícil É SO OS animaram Que Seres primitivos, Que Da mesma maneira, nenhum adulto Homem, É Difícil reconhecer o Antigo Embrião.



9 - Nos mundos UM atingiram Que grau superior de evolução, como Condições da Vida material e moral São Muito Diferentes das Que Encontramos na Terra. A forma dos corpos É semper, Como Por Toda parte, a humana, embelezada mas, aperfeiçoada, e sobretudo purificada. O corpo nada ma da materialidade terrena, E não esta, por isso mesmo sujeito Às Necessidades, como e doenças Às deteriorações decorrentes do predomínio da Matéria. Os sentidos, sutis Mais, Percepções Tem que um dos Nossos Órgãos GROSSERIA sufoca. A leveza dos corpos Específica Torna a locomoção Rápida e Fácil. Em Vez de se arrastarem penosamente Sobre o solo, eles deslizam, por assim dizer, pelo ar Pela Superfície OU Pelo Esforço da Vontade apenas, à MANEIRA das representações de anjos OU dos manes dos antigos nsa Campos Elíseos. Os Homens conservam A vontade OS Traços de SUAS existências Passadas, e aparecem em EAo Amigos Em suas conhecidas formas, Mas iluminadas Por Uma luz divina transfiguradas Pelas Impressões interiores, Que elevadas São Semper. Em Vez de Rostos pálidos, arruinados Pelos Sofrimentos e como paixões, a inteligência esplendem EA Vida, Com esse Brilho Que OS pintores traduziram dos Santos Pela auréola.

A Pouca Resistência Que oferece uma Matéria EAo Espíritos adiantados Já Bastante, faci o Desenvolvimento dos corpos e abrevia OU Quase anula o Período de infância. A Vida, Cuidados isenta de Angústias e, proporcionalmente É Muito Mais Que um longa da Terra. Em princípio, uma longevidade É AO grau proporcional de adiantamento dos mundos. A morte dos softwares antigos Não TEM horrores da decomposição, e Longe de Ser motivo de pavor, É considerada Como Uma Transformação feliz, Não existem PIs Dúvidas Quanto ao futuro. Durante a Vida, Não estando à alma encerrada NUMA Matéria compacta, irradiação e Goza De uma lucidez Que um núm Deixa Quase estado permanente de emancipação, permitindo uma livre Transmissão do pensamento.

10 - Nos mundos Felizes, a Relação de povo parágrafo povo, semper amigáveis, jamais São perturbadas Pelas ambições de dominação e Pelas Guerras Que lhes São Conseqüentes. Não existem senhores escravos Nem, Nem privilegiados de nascimentos. Só uma superioridade moral, intelectual e determinação como Diferentes Condições e conferindo uma Supremacia. A Autoridade É semper Respeitada, PORQUE decorre Unicamente do Mérito e se exerce Justiça com semper. O homem Não eliminatória Procura-se Semelhante Sobre o Seu, Mas Sobre si mesmo, aperfeiçoando-se. Seu objetivo é atingir uma classe dos Espíritos puros, e esse mês Desejo incessante tormento hum Não constitui, Mas Uma nobre ambição, o Que Faz Estudar n ardor com OS igualar. Sentimentos de Todos os ternos e elevados da Natureza humana Apresentam-se engrandecidos e purificados. Os ódios, como ciúmes dos mesquinharias, como Inveja da Baixas cobiças, São desconhecidos ali. Um Sentimento de Amor e Fraternidade une um de Todos os Homens e Mais OS ajudam fortes fracos OS MAIS. Em suas posses São Correspondentes Às POSSIBILIDADES DE AQUISIÇÃO de SUAS inteligências, Mas Ninguém sofrê A FALTA do Necessário, PORQUE Ninguém ali se Encontra em expiação. Em Uma palavra, o mal não existe.


11 - No mundo vosso, tendes Necessidade do mal n SENTIR o Bem, da Noite n admirar uma luz, da Doença de saúde apreciar um parágrafo. Lá, Esses contrastes Não São Necessários. A eterna luz, a eterna iChat, uma paz eterna da alma, proporcionam Uma alegria eterna, como Que Nem Angústias da Vida material, contatos Nem OS dos maus, Que ali Acesso TEM Não, poderiam perturbar. Eis o Que o Espírito Humano tão Dificilmente Compreende. Ele Foi engenhoso n tormentos do inferno OS pintar, Mas jamais representar Pôde como alegrias do Céu. E por que isso? Porque, Sendo inferior, penas TEM tão experimentado e misérias, e Não entrever PoDE como claridades celestes. Ele Não PoDE Falar daquilo Que Não conhecê. Mas, à Medida Que Eleva se e se purifica, seu Alarga o horizonte se e Ele Compreende Bem Que o ESTÁ A SUA frente, compreendeu Como o mal Que Deixou Trás parágrafo.

12 - Esses mundos afortunados, entretanto, Não São mundos privilegiados. Porquê Deus Não E.U.A. de parcialidade softwares antigos para, Filhos de SEUS. A TODOS OS mesmos Direitos e como mesmas facilidades parágrafo Até chegarem lá. Fez partissem Todos Que Do mesmo ponto, E não uns dota Mais uma do Que Outros SO. Os Primeiros Lugares São acessíveis A TODOS: cabe-lhes conquista-los Pelo trabalho, atingi-los o Mais Cedo Possível, OU abandonar-se Durante Séculos e Séculos não humana da escoria do Meio.


(Resumo do ensinamento de Todos os Espíritos Superiores)






Trata-se de hum Cidadão Que chegando em Uma Cidade, COM SUA Mudança completa - Cachorro, gato, papagaio, sogra, Filhos, mulher e tralhas - deparou-se com hum ancião Sentado à Entrada Da mesma época e perguntou como-LHE o povo Dali. Imediatamente, o ancião era Como perguntou-LHE o povo de Onde Ele viera. O Cidadão, sorriso largo com, Disse Que Ser o povo deixara n º Trás, Muito gentil, hospitaleiro, amigo e honesto.

Pois bem, disse-LHE o ancião, Será Que Este Mesmo povo encontrarás AQUI. O Cidadão Feliz Seguiu n SUA Morada Nova. Em Outra Oportunidade, novo Cidadão na mesma Situação Deste, Chegou a Entrada da Cidade e, igualmente AO ancião perguntou Como era o povo dali. Também Foi inquirido: Como era E o povo da Cidade Que deixastes

O Cidadão agarrou nervosamente o volante, cobriu-se de ira e Rubros Que dizendo como ERAM Pessoas mesquinhas, egoístas, interesseiras e fanáticas. O ancião, olhou em Olhos SEUS e aconselhou-o Que Desse Meia Volta, POIs Também era assim o povo Desta Cidade.

A moral, Sabemos Bem como, residir NA Verdade Que vemos de que Somos Coisas Como. Somos bons Se, gentis e pacíficos, como verems Outras Pessoas Também Desta forma.

Bem, vimos o Que É o Espírito eterno - Não haveria cabimento vivermos Apenas uma Vida, Principalmente se lembrarmos das Pessoas nsa Menos afortunadas Que nascem os e mal conseguem Chegar à idade adulta.

Também Vimos Que Somos Feito de matéria (o corpo) animado Pela Nossa ALMA ESTÁ Que envolta Pelo PERISPÍRITO.

Muitas Tivemos existências e Ainda Teremos, Como bem vimos em capítulos Anteriores. Também vimos que A Terra Não É o Único planeta habitado, assim Como Nosso universo Não É o Único. As diferenças corpóreas Foram explicadas Através da exemplificação de Nosso PERISPÍRITO Que Não É Visível, assim Para muitos gases Como e Fluídos. igualmente a Vida em Outros Planos e Planetas, Ser PoDE não 'apreciada' por Nossa Visão Limitada.

Bom, se Sabemos Que Diversos mundos Existem, Podemos Que Nosso Sistema Planetário eA Via Láctea Não São OS Únicos uma existirem, também concluir muitas Coisas Que fogem nsa AO Conhecimento e á visão, Ambos Ainda Caminhando de forma precária e incompleta.

A partir do Que Momento 'como aceitamos "factível uma Evolução, temos de aceitar igualmente Como factível uma Evolução dos mundos. Oras, se Algo evolui, DEVE ter Iniciado em Ponto Algum! Voltemos à Criação da Terra.

Em uma Gênese, encontramos:

"16. - Em nsa reportando Somente uma ALGUNS Séculos de Milhões, Anteriores, à época Atual, Nossa Terra Não existia ainda, Nosso Próprio Sistema solar Ainda Não tinha começado como evoluções planetária da vida; e, no entanto, ja esplêndidos o iluminam Sóis éter; Já Planetas habitados Dão a Vida EA Existência A uma Multidão de Seres Que precederam nsa nd Carreira humana, como produções opulentas de Uma Natureza desconhecida e OS maravilhosos fenômenos que desenvolvem Céu, soluçar Outros Aspectos, OS quadros da imensa criação. (.. .) "

Ou seja, mundos Outros existiam Já! Assim como DEPOIS da Criação da Terra e da Via Láctea, Novos mundos e Universos Foram criados. Deus Não Cessa SUA Criação!

Vamos descrever Como Seriam Estes mundos de COM De acordo como dos Espíritos superiores a Kardec Informação. Quanto ao grau de adiantamento OU SEUS inferioridade dos habitantes:

Inferiores Mundos - um material Existência Toda é, reinam como paixões, Quase nula É a Vida moral;

Mundos Intermediários - misturam-se EO Bem o mal, predominando Outro AO um, segundo o grau de adiantamento da maioria dos Que habitam OS;

Mundos Adiantados - A Vida é Espiritual Por Toda Dizer assim.

Podemos considerar o Início da População da Terra, Como Sendo parte de Um Mundo inferior! Lá, nsa primórdios da Criação, Éramos Seres bestializados, rudimentares, movidos Pela Força bruta e Pelo instinto de sobrevivência. Espíritos de mundos avançandos Mais, Sendo Foram trazidos cá Pará, trazendo-NOS OS rudimentos Memória SUA EM, sobrevivêssemos para quê e evoluíssemos.

No entanto, Que Podemos AFIRMAR UM Mundo dito inferior, UM E Mundo regido Pelas más paixões, egoísmo e TOTALMENTE Pelo desprovido de Fraternidade Em termos como, benevolência, justiça e Ordem. Não Dispõe de UO Invenções Indústrias. Na Consciência adormecida dos Seres Que habitam lá, jaz, latente, a vaga intuição de hum Ser Supremo, Mais desenvolvida OU Menos, Mostrando Que Deus Não abandona nenhuma de SUAS Criaturas!

Mundo superior, ja nsa É mais falar complicado. O inferior vivenciamos Ja, ja estivemos Presentes e carne Já sentimos na. O superior, ainda Não .....

Muitas Comunicações nsa mundos superiores dos Falam. Temos vislumbres ALGUNS, POIs Todos Somos agraciados Espíritos Amigos Por Que zelam e protegem Nosso CAMINHAR Pela Terra.

Vejam o Que Diz o Evangelho Segundo o Espiritismo, sem Questão em Ponto:

(...) 9. Nos mundos grau hum Que atingiram superior, como Condições da Vida moral e material Outras Bem como de Que São Sobre a Terra. A forma do Corpo e semper, Como Por Toda parte, uma forma humana, embelezada mas, aperfeiçoada e, purificada sobretudo,. O corpo nada ma da materialidade terrestre, E não esta, CONSEGUINTE Por, como sujeito Necessidades NEM, doenças Às Nem, Nem Às deteriorações engendram Que um Predominância da Matéria;

Os sentidos, delicados Mais, Percepções Tem que uma GROSSERIA dos Órgãos sufoca Neste Mundo, com uma leveza Específica dos corpos torna uma locomoção Rápida e Fácil, em Lugar de se arrastar penosamente Sobre o solo, Desliza Ele, por assim dizer nd Superfície, OU OS plana sem nd Atmosfera Outro Esforço senão o da Vontade, à MANEIRA Pela qua se representam anjos, UO Pela OS Qual OS imaginavam Antigos nsa manes Campos Elíseos .(...)

A Pouca Resistência Que oferece uma Matéria EAo Espíritos Avançados Já Muito, torna o Desenvolvimento dos corpos Mais Rápido EA infância curta OU Quase nula, uma Vida, isenta de inquietações e de Angústias, proporcionalmente É Muito Mais Que longa Sobre a Terra. (...)

A TEM Não Morte nada dos horrores da decomposição; Longe de hum Ser Objeto de pavor, Ela é considerada Como Uma Transformação feliz, PORQUE uma dúvida Sobre o Futuro não existe. Durante a Vida, Não estando uma alma encerrada nd Matéria compacta, irradia e Goza De uma lucidez Que um núm Coloca Quase estado permanente de emancipação, e Permite, de uma livre Transmissão do pensamento.


Pois é, companheiros de estudo. ISTO Tudo É o paraíso, Não É mesmo? Mas lá, também se trabalha! Também se evolui!

Lembrem-se do exemplo de Bezerra de Menezes, Quando retornou à Pátria Espiritual .... Lá chegando, Foi Comunicado de Que Havia cumprido com Êxito SUA Missão na Terra e Que Seria transferido par Um Mundo Mais Elevado. Ele então, com humildade Pediu, Que Aqui permanecer Pudesse. Que Pudesse Continuar cuidando dos Doentes, POIs Não Poderia usufruir Desta conquista, Sabendo Que Aqui teriam Ainda sofrendo muitas Pessoas e necessitando de amparo n Qual o elemento se Achava Preparado dispôr uma.

Ainda Vejam, nsa mundos superiores, temos ESTA gritante Diferença:

(...) A Autoridade É semper Respeitada, PORQUE Não É dada senão uma Mérito TEM Quem, e se exerce Justiça com semper. O homem Não se Procura eliminatória Acima do Homem, Mas acima de si mesmo, aperfeiçoando-se. Seu objetivo é Chegar à classe dos Espíritos puros, e esse mês Desejo incessante tormento hum Não é, Mas Uma nobre ambição Que Faz o ardor com Estudar um parágrafo Chegar Iguala-los .(...)

Por Mais Que enganemos Nossos semelhantes, em Nossa Consciência habita uma Verdade dos fatos. Quantos de Nós Não estudamos Poder parágrafo manipular como Verdades? Quantos de NÓS buscamos Não, Através do Conhecimento, desprestigiar Nosso Irmão Menos favorecido? Quantos de NÓS, COM Nossa Sede de Aprendizado, sugamos OS Que Estão os á Nossa Volta E não retribuímos o Aprendizado recebido? Nestas horas um, esquecemo-NOS fazer "Dai de Graça o Que de Graça recebestes"!

Eis PORQUE OS Espíritos superiores São enfáticos NÓS AO afirmarem Que, aqui na Terra, necessitamos Ainda que mal, n valorar o Bem; da Noite n reconhecer uma luz; da Doença de n sermos gratos à saúde! Nos mundos superiores, ESTAS Necessidades Não Fazem Presentes se, pois como Belezas, a serenidade da alma eterna alegria bis Não Interferência sofrem das preocupações da UO Matéria do Contato com OS Que São desprovidos de iChat.
Estes mundos afortunados, Não São assim PORQUE Achou Deus bem assim Por fazê-los, o São Mérito Por assim e de conquista de CADA SEUS habitantes, Que partiram do Ponto Mesmo Que Nos outros, ou seja, não Podemos Todos Chegar Elevação da patamar: Cabe-NOS Buscar, Trabalhar e Por Onde Fazer.

Neste momento, SINTO uma Necessidade de retornar AO Início do estudo de hoje, Aonde Foi me perguntado se íriamos Falar de inferioridade dos mundos material superioridade OU OU Espiritual, e acrescentar uma Opção de Falar de hum Terceiro Mundo: Nosso interior Mundo! Não tão Matéria, Não tão espiritualidade, NÓS Mas, como Essência!

Como na estória dos cidadãos iriam Que Mudar de Cidade, Nós carregamos Dentro de Nós Que temos uma Visão das Coisas, Que É Nada mais do Que Nosso Próprio interior Mundo.

Essa Visão se reflete á Nossa Volta e influência com uma MANEIRA Como lidamos como Pessoas, como Situações como POSSIBILIDADES recebemos e que.

Nosso OU MUNDO INTERIOR PoDE Ser superior inferior, Apenas Depende de Nós! Depende de Nós Que Não alimentarmos o de ruim vai em Nossa alma, em Ser Nosso!

Como uma frase Que Já ouvimos: "Dentro de Dois animais existem MIM. Um dócil e e UM É feroz. Sempre procuro alimentar o dócil".

Façamos com isso Nosso MUNDO INTERIOR - bom o alimentemos, o generoso, benevolente, ó caridoso, O Que Perdoa Perdoa outrem e se um! Alimentemos um SUPERIORIDADE não sentir, não ver e não falar!!

Em breve, veremos como Que Provas e expiações Pelas Quais Estamos fadados Passar a, se bellíssimas tornarão lições de Evolução e Aprendizado, Pelas Quais passaremos de forma amena Najczesciej, Mais simples e indolor Menos! Delas tiraremos todo o Alicerce de Que Precisamos Para a Construção de Nosso SUPERIOR MUNDO INTERIOR.


Obsessão - Causas Desobsessão





EMMANUEL 1 - Relação EXISTE mentais Obsessão Entre e Correntes? Emmanuel - Quem se, Comunique à Obsessão ha de Reportar-se, necessariamente, mentais Como Correntes. O Pensamento e base Uma Então diga.


2 - Todos temos desafetos do pretérito?

Emmanuel - Inegável Todos carreamos ainda que, do pretérito AO presente, ENORME desafetos de Carga.

3 - Qual a Nossa POSIÇÃO, DEPOIS DE desencarnados, Quando Não Somos integralmente bons, maus integralmente Nem?

Em condições Emmanuel - QUANDO desencarnados, relativamente Felizes, Guardadas as exceções Justas, em Somos equiparados devedores UM refazimento, habilitando-SOE, trabalho e Pelo Pelo estudo, AO prosseguimento Fazer resgate dos compromissos de retaguarda.

4 - Onde Somos defrontados com freqüência desafetos Pelos Mais do Passado, OU NA Terra sem Plano Espiritual?

Emmanuel - É compreensível Que Seja nd esfera física Que Direta E mais Freqüentemente nsa abordem aqueles mesmos Espíritos A quem ferimos Quem COM OU NA acumpliciamos delinqüência NSA.

5 - Como Poderíamos classificar aqueles em Que Outras existências Foram NSA Inimigos adversários OU Fomos de Quem e Que, no presente, desempenham, Na base da família da Profissão OU, O Papel de Nossos companheiros e de Nossos parentes?

Emmanuel - São elas Como testemunhas de Nosso Aperfeiçoamento, experimentando-nsa Como morais Energias, QUANDO Não lhes suportamos o permanente Convívio, POR Força das Provas regenerativas Que trazemos renascer AO. Instrumentos Por Acompanha-SOE do Progresso Que hum aspiramos, vigiam Como Realizações-NOS e impulsos policiam-NOS OS.

6 - QUANDO estaremos em paz com Realmente Todos aqueles Que Ainda São Parágrafo NÓS aversões Pessoas Naturais Difíceis UO?

Emmanuel - Um dia, chegaremos UM agradecer-lhes Uma Colaboração, imitando o Que aluno, na Escola Incomodado, se rejubila, Mais tarde, passado Por Haver atenções Como Solucar do exigente professor.


Sete - Como se transformam OS Nossos adversários do Passado?

Emmanuel - Nos Processos da Obsessão, reconhecer Desejo Que Os Nossos opositores adversários OU se transformam Bem o Pará, à Medida Que, de Nossa parte, transformamos Melhor Parágrafo NSA.

8 - As sessões de desobsessão valor dez? Condições Em que?

Emmanuel - Toda RECOMENDAÇÃO verbal e todo Entendimento Pela Palavra, Através das sessões de desobsessão, se revestem de profundo valor, Mas Somente QUANDO autenticados Pelo Nosso Esforço de Reabilitação íntima, sem Uma Todas qua Como frases enternecedoras Passarão, infrutífera, Qual música emocionante Sobre a vasa do charco.

9 - Em tempo e situação Que Não podem atingir os fenômenos Deprimentes da Obsessão?

qualquer tempo Emmanuel - Salientando-se que o Pensamento e Uma Alavanca de LigAção, parágrafo Bem UO o Parágrafo mal O, E OS Muito Fácil Perceber Que fenômenos Deprimentes da Obsessão podem atingir-nos, em qualquer e em Condição.


1 0 - É preciso Que o obsidiado respeitar um Própria Vida mental contribuir Parágrafo PRÓPRIAS Para as melhorias?

Emmanuel - Sim. Como Correntes mentais São Tão evidentes Quanto as Correntes elétricas, expressando Potenciais de n Energias Realizações Que nsa exprimem Direção, Vontade UO propósito, Seja Para o mal UO par o MEC.

11 - Qual o Papel do desejo, da Palavra, da Ação da atividade e softwares Antigos fenômeno obsessivo?

Emmanuel - CADA UM de NÓS É acumulador Por si, Como Retendo OU construtivas Forças geramos Que destrutivas. Desejo, Palavra, atitude e ação eletroímãs representam, Através dos atraímos Quais Forças iguais exteriorizamos Aquelas Que, sem Rumo dos semelhantes.

12 - Quais as conseqüências Para quem se detém em qualquer aspecto do mal?

Emmanuel - Deter-nos, em qualquer aspecto do mal, E-LHE Influência Aumentar A, E NÓS OS Sobre Sobre Outros.

13 - Qual Como Uma Relação Entre Manifestações do Sentimento e aviltado OS desequilíbrios da Personalidade?

Emmanuel - Todas Como Manifestações de Sentimento aviltado quais sejam UM bis calúnia maledicência, a cólera EO Ciúme, Uma censura EO Sarcasmo, Uma intemperança EA licenciosidade, estabelecem Uma Comunicação OS COM OS espontânea Representação Poderes Que, nsa círculos inferiores da Natureza, criando distonias e Enfermidades, em si levantam Que Fobias e fixações, desequilíbrios e psicoses, a evoluírem Para a declarada ALIENAÇÃO mental.

14 - O Que Acontece nsa moralmente emitimos QUANDO UM pensamento?

Emmanuel - Emitindo Pensamento hum, hum colocamos energético Agente em Circulação, nao Organismo da Vida - Agente Esse Que retornará NÓS UM fatalmente, acrescido do UO Bem do mal de revestimos Que o.

15 - Qual a Relação Entre os Nossos Pontos vulneráveis EO Retorno do mal Que praticamos?

Emmanuel - Compreendendo-se que CADA UM de NÓS Possui Pontos vulneráveis, no estado evolutivo deficitário em nsa Que Ainda Encontramos, Toda Vez Que o mal se nsa associé UM OU ESSA Idéia Àquela, teremos o mal de Volta UM NÓS mesmos, agravando-se doenças e fraquezas, obsessões e paixões.

16 - dos Outros recebemos o quê?

Emmanuel - Assimilamos dos Outros O Que NÓS damos de.

17 - Imagens Que reflete o Espelho da Mente?

Emmanuel - A Mente Pode Ser Comparada à do Espelho vivo, tem reflete Imagens Que procuração.

18 - Qual o nexo existente UM Obsessão Entre OS e Interesses da Criatura?

Emmanuel - A Obsessão, em qualquer tipo qua se expresse Pelo, ESTA vinculada Fundamentalmente em Processos mentais Que se baseiam OS Interesses da Criatura.

19 - Em dez Companhias Obsessão é Influência?

Emmanuel - assevera o Cristo: "Busca e acharas". Encontraremos, sim, companheiros OS buscamos Que, Seja Bem par OU AO mal softwares antigos.

20 - Qual a Solução Mais simples ao problema da Obsessão?

Emmanuel - Consagremo-NOS A construção do Bem de Todos, Cada Dia e CADA Hora, porquanto Espíritos desequilibrados Entre CAMINHAR OU Nobres, sejam eles encarnados desencarnados OU, Será semper Questão escolha de e Sintonia.


EMMANUEL (Do livro "Leis Do Amor", Francisco Cândido Xavier E Waldo Vieira) Fonte: Universo Espírita



1 - Se Uma Criatura desencarna deixando Inimigos na Terra; Que É Possível Continuar perseguindo o Seu desafeto, Dentro da Situação de invisibilidade?

Emmanuel - Isso É Possível e Quase geral, no capítulo das Relações terrestres, Porque, se O Amor É o Laço reúne Que Como almas alegrias da Liberdade NAS, o Ódio EA algema dos Forcados, OS Que prende reciprocamente Não desventura da Cárcere.

Se Alguém partiu odiando, e se o Mundo Não desafeto Faz Questão de cultivar OS germens da uam das Lembranças e crueis, Que Que E mais natural, sem Plano Invisível, perseverem OS aversão e da vindita implacáveis Elementos da, em obediência Como leis de reciprocidade , depreendendo-se daí Uma Necessidade do Perdão com o esquecimento do mal Inteiro, a Fim de Que Uma Fraternidade pura se manifeste Através da Oração e da Vigilância, o amor Convertendo em Ódio e Piedade, com OS Exemplos Santos Mais, Não Evangelho de Jesus .

2 - No caso das perseguições dos Inimigos Espirituais, sem deles Uma Ação se Realiza o Conhecimento dos Nossos guias amorosos e esclarecidos?

Emmanuel - As chamadas atuações do Plano Invisível, de qualquer Natureza, Não se verificam à revelia de Jesus e de SEUS prepostos, Mentores do Homem Na Sua jornada de EXPERIÊNCIAS Para O Conhecimento e Para a luz.

Como perseguições de Limite hum hum Inimigo Invisível dez E não afetam o Seu Objeto senão NA SUA Pauta Necessidade de Propriá, porquanto, amoráveis Solucar Os Olhos dos Vossos guias do Plano superior, Todos Esses dez Movimentos Uma Sagrada Finalidade, Como Uma de Ensinar-vos imperativos Uma fortaleza moral, a Tolerância, a Paciência, a conformação, nsa Mais sagrados e da Fraternidade do MEC.

Mediunidade NA:

1 - Como UM entendre Obsessão: É prova, inevitável, OU SE POSSA acidente Que facilmente AFASTAR, anulando-se Efeitos OS?

Emmanuel - A Obsessão É semper Uma prova, Acontecimento Nunca UM eventual. Seu n º Exame, contudo, considerar Precisamos OS méritos da vitima EA dispensa da Divina Misericórdia A TODOS OS Que sofrem.

Para atenuar OU AFASTAR OS SEUS Efeitos, É imprescindível o Sentimento do amor universal no Coração DAQUELE Que fala em Nome de Jesus. Não bastarão doutrinárias Fórmulas Como. É indispensável a dedicação, Pela Fraternidade Mais pura. Os Que se entregam à Tarefa da cura das obsessões Permite, Como ponderar, antes de tudo, Uma Necessidade de Iluminação interior do médium perturbado, porquanto Na Sua educação Espiritual residir Uma cura Propriá. Se Uma EXECUÇÃO Desse Esforço Não se efetua, Cuidado Tende, Porque, então, OS Efeitos Serao extensivos A TODOS OS Centros de Força orgânica e psíquica. O obsidiado Entrega Que o Corpo, Resistência sem moral, Como entidades perturbadas e ignorantes, Como É Que entregasse o artista Seu precioso violino hum hum Malfeitor, Qual o dia, um, podera renunciar à posse do Instrumento Que LHE Não Pertence, deixando-o esfacelado, Que sem o legítimo, Mas imprevidente dono, POSSA utiliza-lo NAS finalidades sagradas da Vida.

2 - Será semper util, Para a cura de hum obsidiado, a doutrinação do Espírito perturbado, Por parte convicto de Espiritista hum?

Emmanuel - A Cooperação do Vale Muito Companheiro e semper Faz Bem Grande, Principalmente AO desencarnado; Mas Uma cura completa do médium Não Depende Tao-Tao Desse RECURSO, PORQUE, SE e Fácil, às vezes, o esclarecimento da Entidade infeliz e sofredora, Uma Os Valores UM Algum doutrinação Encarnado e Mais Difícil de Todas, visto requeijão do Seu Sentimento e da SUA Boa Vontade, sem o Que Uma cura psíquica se torna inexeqüível.

3 - Pode Uma Obsessão Transformar-se em loucura?

Emmanuel - Qualquer Obsessão PoDE Transformar-se em loucura, nao Tão QUANDO Uma lei das provações assim o Exige, também como na hipótese de o obsidiado entregar-se voluntariamente AO Assédio das Forças Que noviças o cercam, preferindo Esse gênero de EXPERIÊNCIAS.


ANDRÉ LUIZ

1 - Como iniciou-se Uma Obsessão vampirismo EO Na sociedade humana?

André Luiz - Encontramos OS circuitos de Obsessão de desencarnados e encarnados vampirismo Desde Entre E, como em Épocas recuadas Que o Espírito Humano, iluminado Pela razão, chamado Foi Pelos Princípios da Lei Divina UM AO renunciar egoísmo e à crueldade, crime Ignorância ae AO.

Rebelando-se, no entanto, em grande maioria, convocações sagradas contra um, e livres Parágrafo Adiar o próprio Caminho, desencarnadas Como Criaturas Humanas, número alto em começaram, a oprimir OS companheiros da retaguarda, disputando afeições e Riquezas Que nd ficavam Veio, OU Tentando Empreitadas de vingança e delinqüência, sofriam QUANDO O Processo liberatório da desencarnação em Circunstâncias delituosas.

Vítimas de violência Como o homicídio, e, brutalidade Manifestação disfarçada perseguição UO, fóruns do vaso físico, Entram ª faixa mental dos ofensores, conhecendo-lhes Uma enormidade das faltas Ocultas, E, AO inves do Perdão, Que se com exonerariam da Cadeia de trevas, empenham-se vinditas atrozes em, retribuindo golpe golpe UM e mal Por mal. Outros desencarnados, exigindo Que Deus lhes providencie Solução pueris EAo Caprichos e proclamando-se inabilitados Não Fazer resgate PREÇO Devido a Evolução lhes necessaria Que É, madraços tornam-se e gozadores, e, alegando impossibilidade AO Uma suposta padecimentos UM DOS OS Sabedoria Divina dirimir Homens, homens Pelos próprios criados, fogem, acovardados e preguiçosos, Deveres e Serviços EAo Que lhes competem.

2 - Como Atua o Mecanismo da Justiça Não Plano Espiritual?

André Luiz - No Mundo Espiritual, decerto, a Autoridade da Justiça funciona com Maior Segurança, embora saibamos Que o Mecanismo da Regeneração vige, antes de tudo, Consciência nd do proprio Indivíduo.

Ainda assim, aqui Existem, natural Como é, Tribunais e Santuários, magistrados dignos e imparciais examinam Em Que Como Humanas RESPONSABILIDADES, sopesando-lhes méritos e deméritos do SO.

A Organização do júri, em casos Numerosos, É observada Aqui, necessariamente, porém, constituída de Espíritos Não Integrados Conhecimentos do Direito, com resgate dilatadas Noções de culpa e, erro e corrigenda, psicologia humana e ciências sociais, a Fim de sentenças Que Como OU Como Informação proferidas se atenham à harmonia Precisa, perante Uma Providência Divina, consubstanciada sem amor Que Ilumina e nd Sabedoria Que Sustenta.

Tanto delinqüentes deixam HA No plano terrestre sem Quanto Plano Espiritual, e, em Razão disso, Não Apenas Para os Homens Recentemente desencarnados São entregues Julgamento Uma Específico, semper Que Necessário, Mas Também Como entidades desencarnadas Que, no Cumprimento de Tarefas Em Em Em determinadas, SE, muitas Vezes arrastar, Uma inconfessáveis paixões e Caprichos.

É anotar importante, contudo, Quanto Mais Baixo Que É o grau evolutivo dos culpados, Mais o Sumário e Julgamento cabíveis Pelas Autoridades e, Morais Quanto Mais Avançados OS Valores culturais e do Indivíduo, Mais complexo É o Exame dos Processos de criminalidade em Que se emaranham, nao Tão atuam Pela Influência Que alheios com Destinos NSA, PORQUE Como Também o Espírito, Quando ajustado à Consciência dos próprios Erros, ansioso de Reabilitar-se perante a Vida e Mais Diante daqueles Que ama, Súplica Por si Mesmo Que Uma Sentença punitiva Reconhecê indispensável A própria Restauração.


3 - Qual a Obsessão OU terapêutica Para o parasitismo da alma,?

André Luiz - Importa Que se observar TODOS OS Sofrimentos e corrigendas a quê nsa referimos Estão os SO OS conjugados Para as consciências encarnadas Ou não, e da Lei de Dentro Ação reação que A CADA UM conferindo Hoje o Equilíbrio OU o Desequilíbrio, de obras POR SUAS Junto, reconhecendo-se assim Também Que Medidas terapêuticas Como existem Contra o parasitismo Não orgânico Mundo, encontra qualquer Criatura, NA Aplicação do Viva Bem, Eficiente Remédio Contra o parasitismo da alma.

Não bastara, porém, a Palavra Que AJUDE EA Oração Que Ilumina. O hospedeiro de Influências Que inquietantes, POR NA SUAS aflições Existência carnal, da Qualidade e avaliar PoDE Extensão das dívidas PRÓPRIAS, Fazer precisará exemplo Próprio, no Serviço do amor puro EAo semelhantes, com educação e sublimação de si mesmo, PORQUE o exemplo é Tão suficientemente forte en º reajustar Renovar.

A Ação Genuíno do Bem, com Uma quebra Voluntária Nossos Sentimentos de inferiores, produz vigorosos fatores de Transformação Sobre aqueles Que nsa observam, notadamente Naqueles Que se agregam à NOSSA Existência, influenciando-NOS Espiritual Uma Atmosfera de Vez Que inspiram Como Nossas Demonstrações de Fraternidade

Nos outros Pensamentos edificantes e Que Amigos, em circuitos sucessivos ondulações OU continuas de renovados Energia, desafetos nsa modificam Mais acirrados qualquer Disposição Uma hostil Nosso Respeito.

Ninguém EXI, portanto, aguardar reencarnações Futuras, entretecidas de dor e Lágrimas, em ligações expiatórias, Pará UM diligenciar Sistema Operacional trazidos paz com Inimigos do pretérito, Porque, Pelo devotamento Próximo AO Pela humildade e sentida e praticada Realmente, É Possível e valorizar frase Nossa Nossa santificar Prece, atraindo simpatias valiosas, com intervenções providenciais, em Nosso favor.

Deus É que, reparando transfigurados nsa em softwares antigos Melhor, Os Nossos adversários igualmente se desarmam o Parágrafo mal, compreendendo, por fim, o Que Será Tão Bem, perante, O Nosso Caminho de Liberdade e Vida.


ANDRÉ LUIZ

1 0 - É preciso Que o obsidiado respeitar um Própria Vida mental contribuir Parágrafo PRÓPRIAS Para as melhorias?

Emmanuel - Sim. Como Correntes mentais São Tão evidentes Quanto as Correntes elétricas, expressando Potenciais de n Energias Realizações Que nsa exprimem Direção, Vontade UO propósito, Seja Para o mal UO par o MEC.

11 - Qual o Papel do desejo, da Palavra, da Ação da atividade e softwares Antigos fenômeno obsessivo?

Emmanuel - CADA UM de NÓS É acumulador Por si, Como Retendo OU construtivas Forças geramos Que destrutivas. Desejo, Palavra, atitude e ação eletroímãs representam, Através dos Quais atraímos Forças iguais exteriorizamos Aquelas Que, sem Rumo dos semelhantes.

12 - Quais as conseqüências Para quem se detém em qualquer aspecto do mal?

Emmanuel - Deter-nos, em qualquer aspecto do mal, E-LHE Influência Aumentar A, E NÓS OS Sobre Sobre Outros.

13 - Qual Como Uma Relação Entre Manifestações do Sentimento e aviltado OS desequilíbrios da Personalidade?

Emmanuel - Todas Como Manifestações de Sentimento aviltado quais sejam UM bis calúnia maledicência, a cólera EO Ciúme, Uma censura EO Sarcasmo, Uma intemperança EA licenciosidade, estabelecem Uma Comunicação OS COM OS espontânea Representação Poderes Que, nsa círculos inferiores da Natureza, criando distonias e Enfermidades, em si levantam Que Fobias e fixações, desequilíbrios e psicoses, a evoluírem Para a declarada ALIENAÇÃO mental.

14 - O Que Acontece nsa moralmente emitimos QUANDO UM pensamento?

Emmanuel - Emitindo Pensamento hum, hum colocamos energético Agente em Circulação, nao Organismo da Vida - Agente Esse Que retornará NÓS UM fatalmente, acrescido do UO Bem do mal de revestimos Que o.

15 - Qual a Relação Entre os Nossos Pontos vulneráveis EO Retorno do mal Que praticamos?

Emmanuel - Compreendendo-se que CADA UM de NÓS Possui Pontos vulneráveis, no estado evolutivo deficitário em nsa Que Ainda Encontramos, Toda Vez Que o mal se nsa associé UM OU ESSA Idéia Àquela, teremos o mal de Volta UM NÓS mesmos, agravando-se doenças e fraquezas, obsessões e paixões.

16 - dos Outros recebemos o quê?

Emmanuel - Assimilamos dos Outros O Que NÓS damos de.

17 - Imagens Que reflete o Espelho da Mente?

Emmanuel - A Mente PoDE Ser Comparada à do Espelho vivo, tem reflete Imagens Que Que procuração.

18 - Qual o nexo existente UM Obsessão Entre OS e Interesses da Criatura?

Emmanuel - A Obsessão, em qualquer tipo qua se expresse Pelo, ESTA vinculada Fundamentalmente em EAo Processos mentais Que se baseiam OS Interesses da Criatura.

19 - Em dez Companhias Obsessão nd Influência?

Emmanuel - assevera o Cristo: "Busca e acharas". Encontraremos, sim, companheiros OS buscamos Que, Seja Bem par OU AO mal softwares antigos.

20 - Qual a Solução Mais simples ao problema da Obsessão?

Emmanuel - Consagremo-NOS A construção do Bem de Todos, Cada Dia e CADA Hora, porquanto Espíritos desequilibrados Entre CAMINHAR OU Nobres, sejam eles encarnados desencarnados OU, Será semper Questão escolha de e Sintonia.

EMMANUEL (Do livro "Leis Do Amor", Francisco Cândido Xavier E Waldo Vieira) Fonte: Universo Espírita



1 - Se Uma Criatura desencarna deixando Inimigos na Terra; Que É Possível Continuar perseguindo o Seu desafeto, Dentro da Situação de invisibilidade?

Emmanuel - Isso É Possível e Quase geral, no capítulo das Relações terrestres, Porque, se O Amor É o Laço reúne Que Como almas alegrias da Liberdade NAS, o Ódio EA algema dos Forcados, OS Que prende reciprocamente Não desventura da Cárcere.

Se Alguém partiu odiando, e se o Mundo Não desafeto Faz Questão de cultivar OS germens da uam das Lembranças e crueis, Que Que E mais natural, sem Plano Invisível, perseverem OS aversão e da vindita implacáveis Elementos da, em obediência Como leis de reciprocidade , daí se depreendendo, Uma Necessidade do Perdão com o esquecimento do mal Inteiro, a Fim de Que Uma Fraternidade pura se manifeste Através da Oração e da Vigilância, o amor Convertendo em Ódio e Piedade, com OS Exemplos Santos Mais, Não Evangelho de Jesus .

2 - No caso das perseguições dos Inimigos Espirituais, sem deles Uma Ação se Realiza o Conhecimento dos Nossos guias amorosos e esclarecidos?

Emmanuel - As chamadas atuações do Plano Invisível, de qualquer Natureza, Não se verificam à revelia de Jesus e de SEUS prepostos, Mentores do Homem Na Sua jornada de EXPERIÊNCIAS Para O Conhecimento e Para a luz.

Como perseguições de Limite hum hum Inimigo Invisível dez E não afetam o Seu Objeto senão NA SUA Pauta Necessidade de Propriá, porquanto, amoráveis Solucar Os Olhos dos Vossos guias do Plano superior, Todos Esses dez Movimentos Uma Sagrada Finalidade, Como Uma de Ensinar-vos imperativos Uma fortaleza moral, a Tolerância, a Paciência, a conformação, e ncvs Mais sagrados da Fraternidade do MEC.

Mediunidade NA:

1 - Como UM entendre Obsessão: É prova, inevitável, OU SE POSSA acidente Que facilmente AFASTAR, anulando-se Efeitos OS?

Emmanuel - A Obsessão É semper Uma prova, Acontecimento Nunca UM eventual. Seu n º Exame, contudo, considerar OS Precisamos méritos da vitima EA dispensa da Divina Misericórdia A TODOS OS Que sofrem.

Para atenuar OU AFASTAR OS SEUS Efeitos, É imprescindível o Sentimento do amor universal no Coração DAQUELE Que fala em Nome de Jesus. Não bastarão doutrinárias Fórmulas Como. É indispensável a dedicação, Pela Fraternidade Mais pura. Os Que se entregam à Tarefa da cura das obsessões Permite, Como ponderar, antes de tudo, Uma Necessidade de Iluminação interior do médium perturbado, porquanto Na Sua educação Espiritual residir Uma cura Propriá. Se Uma EXECUÇÃO Desse Esforço Não se efetua, Tende Cuidado, Porque, então, OS Efeitos Serao extensivos A TODOS OS Centros de Força orgânica e psíquica. O obsidiado Entrega Que o Corpo, Resistência sem moral, Como perturbadas entidades e ignorantes, Como É Que entregasse o artista Seu precioso violino hum hum Malfeitor, Qual o dia, um, podera renunciar à posse do Instrumento Que LHE Não Pertence, deixando-o esfacelado, Que sem o legítimo, Mas imprevidente dono, POSSA utiliza-lo NAS finalidades sagradas da Vida.

2 - Será semper util, Para a cura de hum obsidiado, a doutrinação do Espírito perturbado, Por parte convicto de Espiritista hum?

Emmanuel - A Cooperação do Vale Muito Companheiro e semper Faz Bem Grande, Principalmente AO desencarnado; Mas Uma cura completa do médium Não Depende Tao-Tao Desse RECURSO, PORQUE, SE e Fácil, às vezes, o esclarecimento da Entidade infeliz e sofredora, Uma Os Valores UM Algum doutrinação Encarnado e Mais Difícil de Todas, visto requeijão do Seu Sentimento e da SUA Boa Vontade, sem o Que Uma cura psíquica se torna inexeqüível.

3 - Pode Uma Obsessão Transformar-se em loucura?

Emmanuel - Qualquer Obsessão PoDE Transformar-se em loucura, nao Tão QUANDO Uma lei das provações assim o Exige, também como na hipótese de o obsidiado entregar-se voluntariamente AO Assédio das Forças Que noviças o cercam, preferindo Esse gênero de EXPERIÊNCIAS.


ANDRÉ LUIZ


1 - Como iniciou-se Uma Obsessão vampirismo EO Na sociedade humana?

André Luiz - Encontramos OS circuitos de Obsessão de desencarnados e encarnados vampirismo Desde Entre E, como em Épocas recuadas Que o Espírito Humano, iluminado Pela razão, chamado Foi Pelos Princípios da Lei Divina UM AO renunciar egoísmo e à crueldade, crime Ignorância ae AO.

Rebelando-se, no entanto, em grande maioria, convocações sagradas contra um, e livres Parágrafo Adiar o próprio Caminho, desencarnadas Como Criaturas Humanas, número alto em começaram, uma companheiros oprimir OS da retaguarda, disputando afeições e Riquezas Que ª ficavam Veio, OU Tentando Empreitadas de vingança e delinqüência, QUANDO O Processo sofriam liberatório da desencarnação em Circunstâncias delituosas.

Vítimas de violência Como o homicídio, e, brutalidade Manifestação disfarçada perseguição UO, fóruns do vaso físico, Entram ª faixa mental dos ofensores, conhecendo-lhes Uma enormidade das faltas Ocultas, e, AO inves do Perdão, Que se com exonerariam da Cadeia de trevas, empenham-se vinditas atrozes em, retribuindo golpe golpe UM e mal Por mal. Outros desencarnados, exigindo Que Deus lhes providencie Solução pueris EAo Caprichos e proclamando-se inabilitados Não Fazer resgate PREÇO Devido a Evolução lhes necessaria Que É, madraços tornam-se e gozadores, e, alegando impossibilidade AO Uma suposta padecimentos UM DOS OS Sabedoria Divina dirimir Homens, homens Pelos próprios criados, fogem, acovardados e preguiçosos, Deveres e Serviços EAo Que lhes competem.

2 - Como Atua o Mecanismo da Justiça Não Plano Espiritual?

André Luiz - No Mundo Espiritual, decerto, a Autoridade da Justiça funciona com Maior Segurança, embora saibamos Que o Mecanismo da Regeneração vige, antes de tudo, Consciência nd do proprio Indivíduo.

Ainda assim, aqui Existem, natural Como é, Tribunais e Santuários, magistrados dignos e imparciais examinam Em Que Como Humanas RESPONSABILIDADES, sopesando-lhes méritos e deméritos do SO.

A Organização do júri, em casos Numerosos, É observada Aqui, necessariamente, porém, constituída de Espíritos Não Integrados Conhecimentos do Direito, com resgate dilatadas Noções de culpa e, erro e corrigenda, psicologia humana e ciências sociais, a Fim de sentenças Que Como OU Como Informação proferidas se atenham à harmonia Precisa, perante Uma Providência Divina, consubstanciada sem amor Que Ilumina e nd Sabedoria Que Sustenta.

Tanto delinqüentes deixam HA No plano terrestre sem Quanto Plano Espiritual, e, em Razão disso, Não Apenas Para os desencarnados Recentemente Homens São entregues Julgamento Uma Específico, semper Que Necessário, Mas Também Como entidades desencarnadas Que, no Cumprimento de Tarefas Em Em Em determinadas, SE, muitas Vezes arrastar, Uma inconfessáveis paixões e Caprichos.

É anotar importante, contudo, Quanto Mais Baixo Que É o grau evolutivo dos culpados, Mais o Sumário e Julgamento cabíveis Pelas Autoridades e, Morais Quanto Mais Avançados OS Valores culturais e do Indivíduo, Mais complexo É o Exame dos Processos de criminalidade em Que se emaranham, nao Tão atuam Pela Influência Que alheios com Destinos NSA, PORQUE Como Também o Espírito, Quando ajustado à Consciência dos próprios Erros, ansioso de Reabilitar-se perante a Vida e Mais Diante daqueles Que ama, Súplica Por si Mesmo Que Uma Sentença punitiva Reconhecê indispensável A própria Restauração.

3 - Qual a Obsessão OU terapêutica Para o parasitismo da alma,?

André Luiz - Importa Que se observar TODOS OS Sofrimentos e corrigendas a quê nsa referimos Estão os SO OS conjugados Para as consciências encarnadas Ou não, e Lei da Ação reação de Dentro que A CADA UM conferindo Hoje o Equilíbrio OU o Desequilíbrio, de obras POR SUAS Junto, reconhecendo-se assim Também Que Medidas terapêuticas Como existem Contra o parasitismo Não orgânico Mundo, encontra qualquer Criatura, NA Aplicação do Viva Bem, Eficiente Remédio Contra o parasitismo da alma.

Não bastara, porém, a Palavra Que AJUDE EA Oração Que Ilumina. O hospedeiro de Influências Que inquietantes, POR NA SUAS aflições Existência carnal, da Qualidade e avaliar PoDE Extensão das dívidas PRÓPRIAS, Fazer precisará exemplo Próprio, no Serviço do amor puro EAo semelhantes, com educação e sublimação de si mesmo, PORQUE o exemplo é Tão suficientemente forte en º reajustar Renovar.

A Ação Genuíno do Bem, com Uma quebra Voluntária Nossos Sentimentos de inferiores, produz vigorosos fatores de Transformação Sobre aqueles Que observam ANS, notadamente Naqueles Que se agregam à NSA Existência, influenciando-NOS Espiritual Uma Atmosfera de Vez Que Como Nossas Demonstrações inspiram de Fraternidade

Nos outros Pensamentos edificantes e Que Amigos, em circuitos sucessivos ondulações OU continuas de renovados Energia, desafetos nsa modificam Mais acirrados qualquer Disposição hostil Uma Nosso Respeito.

Ninguém EXI, portanto, aguardar reencarnações Futuras, entretecidas de dor e Lágrimas, em ligações expiatórias, Pará UM diligenciar Sistema Operacional trazidos paz com Inimigos do pretérito, Porque, Pelo devotamento Próximo AO Pela humildade e sentida e praticada Realmente, É Possível e valorizar frase Nossa Nossa santificar Prece, atraindo simpatias valiosas, com intervenções providenciais, em Nosso favor.

Deus É que, reparando transfigurados nsa em softwares antigos Melhor, Os Nossos adversários igualmente se desarmam o Parágrafo mal, compreendendo, por fim, o Que Será Tão Bem, perante, O Nosso Caminho de Liberdade e Vida.

ANDRÉ LUIZ

1 0 - É preciso Que o obsidiado respeitar a própria vida mental Parágrafo contribuir PRÓPRIAS Para as melhorias?

Emmanuel - Sim. Como Correntes mentais São Tão evidentes Quanto as Correntes elétricas, expressando Potenciais de n Energias Realizações Que nsa Direção exprimem, Vontade UO propósito, Seja Para o mal UO par o MEC.

11 - Qual o Papel do desejo, da Palavra, da Ação da atividade e softwares antigos fenômeno obsessivo?

Emmanuel - CADA UM de NÓS É acumulador Por si, Como Retendo OU construtivas Forças destrutivas Que geramos. Desejo, Palavra, atitude e ação representam eletroímãs, Através dos Quais atraímos Forças iguais exteriorizamos Aquelas Que, sem Rumo dos semelhantes.

12 - Quais as conseqüências Para quem se detém em qualquer aspecto do mal?

Emmanuel - Deter-nos, em qualquer aspecto do mal, E-LHE Influência Aumentar A, E NÓS OS Sobre Sobre Outros.

13 - Qual uma Relação Entre como Manifestações do Sentimento e aviltado OS desequilíbrios da Personalidade?

Emmanuel - Todas Como Manifestações de Sentimento aviltado quais sejam UM bis calúnia maledicência, a cólera EO Ciúme, Uma censura EO Sarcasmo, uma intemperança EA licenciosidade, estabelecem Uma Comunicação OS COM OS Representação espontânea Poderes Que, nsa círculos inferiores da Natureza, criando distonias e Enfermidades, em Que levantam Fobias si e fixações, desequilíbrios e psicoses, a evoluírem Para a declarada ALIENAÇÃO mental.

14 - O Que Acontece nsa moralmente emitimos QUANDO UM pensamento?

Emmanuel - Emitindo Pensamento hum, hum colocamos Agente energético em Circulação, nao Organismo da Vida - Agente Esse Que retornará NÓS UM fatalmente, acrescido do UO Bem do mal de revestimos Que o.

15 - Qual a Relação Entre os Nossos Pontos vulneráveis EO Retorno do mal Que praticamos?

Emmanuel - Compreendendo-se que CADA UM de NÓS Possui Pontos vulneráveis, no estado evolutivo deficitário em nsa Que Ainda Encontramos, Toda Vez Que o mal se nsa associé UM OU ESSA Idéia Àquela, teremos o mal de Volta UM NÓS mesmos, agravando-se doenças e fraquezas, obsessões e paixões.



16 - dos Outros recebemos o quê?

Emmanuel - Assimilamos dos Outros O Que NÓS damos de.



17 - Imagens Que reflete o Espelho da Mente?

Emmanuel - A Mente PoDE Ser Comparada à do Espelho vivo, tem Que reflete Imagens Que procuração.

18 - Qual o nexo existente UM Obsessão Entre OS e Interesses da Criatura?

Emmanuel - A Obsessão, em qualquer tipo qua se expresse Pelo, ESTA Fundamentalmente vinculada em EAo Processos mentais Que se baseiam OS Interesses da Criatura.

19 - Em dez Companhias Obsessão Influência nd?

Emmanuel - assevera o Cristo: "Busca e acharas". Encontraremos, sim, OS companheiros buscamos Que, Seja Bem par OU AO nenhum mal.

20 - Qual a Solução Mais simples ao problema da Obsessão?

Emmanuel - Consagremo-NOS A construção do Bem de Todos, Cada Dia e CADA Hora, porquanto Espíritos desequilibrados Entre CAMINHAR OU Nobres, sejam eles encarnados desencarnados OU, Será semper Questão escolha de e Sintonia.

EMMANUEL (Do livro "Leis Do Amor", Francisco Cândido Xavier E Waldo Vieira) Fonte: Universo Espírita



1 - Se Uma Criatura desencarna deixando Inimigos na Terra; Que É Possível Continuar perseguindo o Seu desafeto, Dentro da Situação de invisibilidade?

Emmanuel - Isso É Possível e Quase geral, no capítulo das Relações terrestres, Porque, se O Amor É o Laço reúne Que Como almas alegrias da Liberdade NAS, o Ódio EA algema dos Forcados, OS Que prende reciprocamente Não desventura da Cárcere.

Se Alguém partiu odiando, e se o Mundo Não desafeto Faz Questão de cultivar OS germens da uam das Lembranças e crueis, Que Que E mais natural, sem Plano Invisível, perseverem OS aversão e da vindita implacáveis Elementos da, em obediência como leis de reciprocidade , depreendendo-se daí Uma Necessidade do Perdão com o esquecimento do mal Inteiro, a Fim de Que Uma Fraternidade pura se manifeste Através da da Oração e Vigilância, Convertendo o amor em Ódio e Piedade, com OS Exemplos Santos Mais, Não Evangelho de Jesus .

2 - No caso das perseguições dos Inimigos Espirituais, Uma Ação sem deles se Realiza o Conhecimento dos Nossos guias amorosos e esclarecidos?

Emmanuel - As chamadas atuações do Plano Invisível, de qualquer Natureza, Não se verificam à revelia de Jesus e de SEUS prepostos, Mentores do Homem Na Sua jornada de EXPERIÊNCIAS Para O conhecimento e Para a luz.

Como perseguições de Limite hum hum Inimigo Invisível dez E não afetam o Seu Objeto senão NA SUA Pauta Necessidade de Própria, porquanto, amoráveis Solucar Os Olhos dos Vossos guias do Plano superior, Todos Esses dez Movimentos Uma Sagrada Finalidade, Como Uma de Ensinar-vos Uma fortaleza moral, a Tolerância, a Paciência, a conformação, nsa Mais sagrados imperativos e da Fraternidade do MEC.

NA Mediunidade:

1 - Como UM entendre Obsessão: É prova, inevitável, OU SE POSSA acidente Que facilmente AFASTAR, anulando-se Efeitos OS?

Emmanuel - A Obsessão semper É Uma prova, Acontecimento Nunca UM eventual. Seu n º Exame, contudo, Precisamos considerar OS méritos da vitima EA dispensa da Divina Misericórdia A TODOS OS Que sofrem.

Para atenuar OU AFASTAR OS SEUS Efeitos, É imprescindível o Sentimento do amor universal no Coração DAQUELE Que fala em Nome de Jesus,. Não bastarão doutrinárias Fórmulas Como. É indispensável a dedicação, Pela Fraternidade Mais pura. Os Que se entregam à Tarefa da cura das obsessões Permite, ponderar como, antes de tudo, Uma Necessidade de Iluminação interior do médium perturbado, porquanto Na Sua educação Espiritual residir Uma cura Propriá. Se Uma EXECUÇÃO Desse Esforço Não se efetua, Tende Cuidado, Porque, então, OS Efeitos Serao extensivos A TODOS OS Centros de Força orgânica e psíquica. O obsidiado Entrega Que o Corpo, Resistência sem moral, Como entidades perturbadas e ignorantes, Como É Que entregasse o artista Seu precioso violino hum hum Malfeitor, o Qual dia, um, podera renunciar à posse do Instrumento Que LHE Não Pertence, deixando-o esfacelado, Que sem o legítimo, Mas imprevidente dono, POSSA utiliza-lo NAS finalidades sagradas da Vida.

2 - Será util semper, Para a cura de hum obsidiado, a doutrinação do Espírito perturbado, Por parte convicto de Espiritista hum?

Emmanuel - A Cooperação do Vale Muito Companheiro e semper Faz Bem Grande, Principalmente AO desencarnado; Mas Uma cura completa do médium Não Depende Tão-Tao Desse RECURSO, PORQUE, SE e Fácil, às vezes, o esclarecimento da Entidade infeliz e sofredora, Uma Valores UM Algum Encarnado doutrinação e Mais Difícil de Todas, visto requeijão Os do Seu Sentimento e da SUA Boa Vontade, sem o Que Uma cura psíquica se torna inexeqüível.

3 - Pode Uma Obsessão Transformar-se em loucura?
Emmanuel - Qualquer Obsessão PoDE Transformar-se em loucura, nao Tão QUANDO Uma lei das provações assim o Exige, também como na hipótese de o obsidiado entregar-se voluntariamente AO Assédio das Forças Que noviças o cercam, preferindo Esse gênero de EXPERIÊNCIAS.

ANDRÉ LUIZ

1 - Como iniciou-se Uma Obsessão vampirismo EO Na sociedade humana?

André Luiz - Encontramos OS circuitos de Obsessão de desencarnados e encarnados vampirismo Desde Entre E, como em Épocas recuadas Que o Espírito Humano, iluminado Pela razão, chamado Foi Pelos Princípios da Lei Divina UM AO renunciar egoísmo e à crueldade, crime Ignorância AO ae.

Rebelando-se, no entanto, em grande maioria, contra um sagradas convocações, e livres Parágrafo Adiar o próprio Caminho, desencarnadas Como Criaturas Humanas, número começaram em alto, a oprimir OS companheiros da retaguarda, disputando afeições e Riquezas Que Veio ficavam nd, OU Tentando Empreitadas de vingança e delinqüência, sofriam QUANDO O Processo liberatório da desencarnação em Circunstâncias delituosas.

Vítimas de violência Como o homicídio, e, brutalidade Manifestação disfarçada perseguição UO, fóruns do vaso físico, Entram ª faixa mental dos ofensores, conhecendo-lhes Uma enormidade das faltas Ocultas, e, AO inves do Perdão, Que se com exonerariam da Cadeia de trevas , empenham-se em vinditas atrozes, retribuindo golpe UM golpe e mal Por mal. Outros desencarnados, exigindo Que Deus lhes providencie Solução pueris EAo Caprichos e proclamando inabilitados-se não fazer resgate PREÇO Devido a Evolução lhes necessaria Que É, madraços tornam-se e gozadores, e, alegando impossibilidade AO Uma suposta um OS Sabedoria Divina dirimir dos padecimentos Homens, homens Pelos próprios criados, fogem, acovardados e preguiçosos, Deveres e Serviços EAo Que lhes competem.

2 - Como Atua o Mecanismo da Justiça Plano Espiritual não?

Luiz André - No Mundo Espiritual, decerto, a Autoridade da Justiça funciona com Maior Segurança, embora saibamos Que o Mecanismo da Regeneração vige, antes de tudo, Consciência nd do proprio Indivíduo.

Ainda assim, aqui Existem, natural Como é, Tribunais e Santuários, Em magistrados dignos e imparciais examinam Que Como Humanas RESPONSABILIDADES, sopesando-lhes méritos e deméritos do SO.

A Organização do júri, em casos Numerosos, É observada Aqui, necessariamente, porém, constituída de Espíritos Não Integrados Conhecimentos do Direito, com resgate dilatadas Noções de culpa e, erro e corrigenda, psicologia humana e ciências sociais, a Fim de Que Como sentenças OU Como Informação proferidas se atenham à harmonia Precisa, perante Uma Providência Divina, consubstanciada sem amor Que Ilumina e nd Sabedoria Que Sustenta.

Tanto delinqüentes deixam HA No plano terrestre sem Quanto Plano Espiritual, e, em Razão disso, Não Apenas Para os Homens Recentemente desencarnados São entregues Julgamento Uma Específico, semper Que Necessário, Mas Também Como entidades desencarnadas Que, no Cumprimento de Tarefas Em determinadas Em, SE , muitas Vezes arrastar, uma inconfessáveis paixões e Caprichos.

É anotar importante, contudo, Quanto Mais Baixo Que É o grau evolutivo dos culpados, Mais o Sumário e Julgamento cabíveis Pelas Autoridades e, Morais Quanto Mais Avançados OS Valores culturais e do Indivíduo, Mais complexo É o Exame dos Processos de criminalidade em Que se emaranham, nao Tão Pela atuam Influência Que alheios com Destinos NSA, PORQUE Como Também o Espírito, Quando ajustado à Consciência dos próprios Erros, ansioso de Reabilitar-se perante a Vida e Mais Diante daqueles Que ama, Súplica Por si Mesmo Que Uma Sentença punitiva Reconhecê indispensável A própria Restauração.

3 - Qual a Obsessão OU terapêutica Para o parasitismo da alma,?

André Luiz - Importa Que se observar TODOS OS Sofrimentos e corrigendas a quê nsa referimos Estão os OS conjugados Para as consciências encarnadas Ou não, e da Lei de Dentro Ação reação que A CADA UM conferindo Hoje o Equilíbrio OU o Desequilíbrio, de obras POR SUAS Along , reconhecendo-se assim Também Que Medidas terapêuticas Como existem Contra o parasitismo Não orgânico Mundo, encontra qualquer Criatura, NA Aplicação do Viva Bem, Eficiente Remédio Contra o parasitismo da alma.

Não bastara, porém, a Palavra Que AJUDE EA Oração Que Ilumina. O hospedeiro de Influências Que inquietantes, POR NA SUAS aflições Existência carnal, da Qualidade e avaliar PoDE Extensão das dívidas PRÓPRIAS, precisará fazer Próprio exemplo, no Serviço do amor puro EAo semelhantes, com educação e sublimação de si mesmo, PORQUE o exemplo é Tão suficientemente forte e n º Renovar reajustar.

A Ação Genuíno do Bem, com Uma quebra Voluntária Nossos Sentimentos de inferiores, produz vigorosos fatores Transformação de Sobre aqueles Que nsa observam, notadamente Naqueles Que se agregam à NSA Existência, influenciando-NOS Espiritual Uma Atmosfera de Vez Que Como Nossas Demonstrações de inspiram Fraternidade

Nos outros Pensamentos edificantes e Que Amigos, em circuitos sucessivos ondulações OU continuas de renovados Energia, desafetos nsa modificam Mais acirrados qualquer Disposição hostil Uma Nosso Respeito.

Ninguém EXI, portanto, aguardar reencarnações Futuras, entretecidas de dor e Lágrimas, em ligações expiatórias, Pará diligenciar um sistema operacional com paz trazidos do pretérito Inimigos, Porque, Pelo devotamento Próximo AO Pela humildade e sentida e praticada Realmente, É Possível frase valorizar e Nossa Nossa santificar Prece, atraindo simpatias valiosas, providenciais intervenções com, em favor nosso.

Deus É que, reparando transfigurados nsa em nenhum Melhor, Os Nossos adversários igualmente se desarmam mal o Parágrafo, compreendendo, por fim, o Que Será Tão Bem, perante, O Nosso Caminho de Liberdade e Vida.

ANDRÉ LUIZ

1 0 - É preciso Que o obsidiado respeitar a própria vida mental Parágrafo contribuir PRÓPRIAS Para as melhorias?

Emmanuel - Sim. Como Correntes mentais São Tão evidentes Quanto as Correntes elétricas, expressando Potenciais de n Energias Realizações Que nsa Direção exprimem, Vontade UO propósito, Seja Para o mal UO par o MEC.

11 - Qual o Papel do desejo, da Palavra, da Ação da atividade e softwares antigos fenômeno obsessivo?

Emmanuel - CADA UM de NÓS É acumulador Por si, Como Retendo OU construtivas Forças destrutivas Que geramos. Desejo, Palavra, atitude e ação representam eletroímãs, Através dos Quais atraímos Forças iguais exteriorizamos Aquelas Que, sem Rumo dos semelhantes.

12 - Quais as conseqüências Para quem se detém em qualquer aspecto do mal?

Emmanuel - Deter-nos, em qualquer aspecto do mal, E-LHE Influência Aumentar A, E NÓS OS Sobre Sobre Outros.

13 - Qual uma Relação Entre como Manifestações do Sentimento e aviltado OS desequilíbrios da Personalidade?

Emmanuel - Todas Como Manifestações de Sentimento aviltado quais sejam UM bis calúnia maledicência, a cólera EO Ciúme, Uma censura EO Sarcasmo, uma intemperança EA licenciosidade, estabelecem Uma Comunicação OS COM OS Representação espontânea Poderes Que, nsa círculos inferiores da Natureza, criando distonias e Enfermidades, em Que levantam Fobias si e fixações, desequilíbrios e psicoses, a evoluírem Para a declarada ALIENAÇÃO mental.

14 - O Que Acontece nsa moralmente emitimos QUANDO UM pensamento?

Emmanuel - Emitindo Pensamento hum, hum colocamos Agente energético em Circulação, nao Organismo da Vida - Agente Esse Que retornará NÓS UM fatalmente, acrescido do UO Bem do mal de revestimos Que o.

15 - Qual a Relação Entre os Nossos Pontos vulneráveis EO Retorno do mal Que praticamos?

Emmanuel - Compreendendo-se que CADA UM de NÓS Possui Pontos vulneráveis, no estado evolutivo deficitário em nsa Que Ainda Encontramos, Toda Vez Que o mal se nsa associé UM OU ESSA Idéia Àquela, teremos o mal de Volta UM NÓS mesmos, agravando-se doenças e fraquezas, obsessões e paixões.

16 - dos Outros recebemos o quê?

Emmanuel - Assimilamos dos Outros O Que NÓS damos de.

17 - Imagens Que reflete o Espelho da Mente?

Emmanuel - A Mente PoDE Ser Comparada à do Espelho vivo, tem Que reflete Imagens Que procuração.

18 - Qual o nexo existente UM Obsessão Entre OS e Interesses da Criatura?

Emmanuel - A Obsessão, em qualquer tipo qua se expresse Pelo, ESTA Fundamentalmente vinculada em EAo Processos mentais Que se baseiam OS Interesses da Criatura.

19 - Em dez Companhias Obsessão Influência nd?

Emmanuel - assevera o Cristo: "Busca e acharas". Encontraremos, sim, OS companheiros buscamos Que, Seja Bem par OU AO nenhum mal.

20 - Qual a Solução Mais simples ao problema da Obsessão?

Emmanuel - Consagremo-NOS A construção do Bem de Todos, Cada Dia e CADA Hora, porquanto Espíritos desequilibrados Entre CAMINHAR OU Nobres, sejam eles encarnados desencarnados OU, Será semper Questão escolha de e Sintonia.

EMMANUEL (Do livro "Leis Do Amor", Francisco Cândido Xavier E Waldo Vieira) Fonte: Universo Espírita



1 - Se Uma Criatura desencarna deixando Inimigos na Terra; Que É Possível Continuar perseguindo o Seu desafeto, Dentro da Situação de invisibilidade?

Emmanuel - Isso É Possível e Quase geral, no capítulo das Relações terrestres, Porque, se O Amor É o Laço reúne Que Como almas alegrias da Liberdade NAS, o Ódio EA algema dos Forcados, OS Que prende reciprocamente Não desventura da Cárcere.

Se Alguém partiu odiando, e se o Mundo Não desafeto Faz Questão de cultivar OS germens da uam das Lembranças e crueis, Que Que E mais natural, sem Plano Invisível, perseverem OS aversão e da vindita implacáveis Elementos da, em obediência como leis de reciprocidade , depreendendo-se daí Uma Necessidade do Perdão com o esquecimento do mal Inteiro, a Fim de Que Uma Fraternidade pura se manifeste Através da da Oração e Vigilância, Convertendo o amor em Ódio e Piedade, com OS Exemplos Santos Mais, Não Evangelho de Jesus .





2 - No caso das perseguições dos Inimigos Espirituais, Uma Ação sem deles se Realiza o Conhecimento dos Nossos guias amorosos e esclarecidos?

Emmanuel - As chamadas atuações do Plano Invisível, de qualquer Natureza, Não se verificam à revelia de Jesus e de SEUS prepostos, Mentores do Homem Na Sua jornada de EXPERIÊNCIAS Para O conhecimento e Para a luz.

Como perseguições de Limite hum hum Inimigo Invisível dez E não afetam o Seu Objeto senão NA SUA Pauta Necessidade de Própria, porquanto, amoráveis Solucar Os Olhos dos Vossos guias do Plano superior, Todos Esses dez Movimentos Uma Sagrada Finalidade, Como Uma de Ensinar-vos Uma fortaleza moral, a Tolerância, a Paciência, a conformação, nsa Mais sagrados imperativos e da Fraternidade do MEC.

NA Mediunidade:

1 - Como UM entendre Obsessão: É prova, inevitável, OU SE POSSA acidente Que facilmente AFASTAR, anulando-se Efeitos OS?

Emmanuel - A Obsessão semper É Uma prova, Acontecimento Nunca UM eventual. Seu n º Exame, contudo, Precisamos considerar OS méritos da vitima EA dispensa da Divina Misericórdia A TODOS OS Que sofrem.

Para atenuar OU AFASTAR OS SEUS Efeitos, É imprescindível o Sentimento do amor universal no Coração DAQUELE Que fala em Nome de Jesus,. Não bastarão doutrinárias Fórmulas Como. É indispensável a dedicação, Pela Fraternidade Mais pura. Os Que se entregam à Tarefa da cura das obsessões Permite, ponderar como, antes de tudo, Uma Necessidade de Iluminação interior do médium perturbado, porquanto Na Sua educação Espiritual residir Uma cura Propriá. Se Uma EXECUÇÃO Desse Esforço Não se efetua, Tende Cuidado, Porque, então, OS Efeitos Serao extensivos A TODOS OS Centros de Força orgânica e psíquica. O obsidiado Entrega Que o Corpo, Resistência sem moral, Como entidades perturbadas e ignorantes, Como É Que entregasse o artista Seu precioso violino hum hum Malfeitor, o Qual dia, um, podera renunciar à posse do Instrumento Que LHE Não Pertence, deixando-o esfacelado, Que sem o legítimo, Mas imprevidente dono, POSSA utiliza-lo NAS finalidades sagradas da Vida.

2 - Será util semper, Para a cura de hum obsidiado, a doutrinação do Espírito perturbado, Por parte convicto de Espiritista hum?

Emmanuel - A Cooperação do Vale Muito Companheiro e semper Faz Bem Grande, Principalmente AO desencarnado; Mas Uma cura completa do médium Não Depende Tão-Tao Desse RECURSO, PORQUE, SE e Fácil, às vezes, o esclarecimento da Entidade infeliz e sofredora, Uma Valores UM Algum Encarnado doutrinação e Mais Difícil de Todas, visto requeijão Os do Seu Sentimento e da SUA Boa Vontade, sem o Que Uma cura psíquica se torna inexeqüível.

3 - Pode Uma Obsessão Transformar-se em loucura?

Emmanuel - Qualquer Obsessão PoDE Transformar-se em loucura, nao Tão QUANDO Uma lei das provações assim o Exige, também como na hipótese de o obsidiado entregar-se voluntariamente AO Assédio das Forças Que noviças o cercam, preferindo Esse gênero de EXPERIÊNCIAS.

ANDRÉ LUIZ

1 - Como iniciou-se Uma Obsessão vampirismo EO Na sociedade humana?

André Luiz - Encontramos OS circuitos de Obsessão de desencarnados e encarnados vampirismo Desde Entre E, como em Épocas recuadas Que o Espírito Humano, iluminado Pela razão, chamado Foi Pelos Princípios da Lei Divina UM AO renunciar egoísmo e à crueldade, crime Ignorância AO ae.

Rebelando-se, no entanto, em grande maioria, contra um sagradas convocações, e livres Parágrafo Adiar o próprio Caminho, desencarnadas Como Criaturas Humanas, número começaram em alto, a oprimir OS companheiros da retaguarda, disputando afeições e Riquezas Que Veio ficavam nd, OU Tentando Empreitadas de vingança e delinqüência, sofriam QUANDO O Processo liberatório da desencarnação em Circunstâncias delituosas.

Vítimas de violência Como o homicídio, e, brutalidade Manifestação disfarçada perseguição UO, fóruns do vaso físico, Entram ª faixa mental dos ofensores, conhecendo-lhes Uma enormidade das faltas Ocultas, e, AO inves do Perdão, Que se com exonerariam da Cadeia de trevas , empenham-se em vinditas atrozes, retribuindo golpe UM golpe e mal Por mal. Outros desencarnados, exigindo Que Deus lhes providencie Solução pueris EAo Caprichos e proclamando inabilitados-se não fazer resgate PREÇO Devido a Evolução lhes necessaria Que É, madraços tornam-se e gozadores, e, alegando impossibilidade AO Uma suposta um OS Sabedoria Divina dirimir dos padecimentos Homens, homens Pelos próprios criados, fogem, acovardados e preguiçosos, Deveres e Serviços EAo Que lhes competem.

2 - Como Atua o Mecanismo da Justiça Plano Espiritual não?

Luiz André - No Mundo Espiritual, decerto, a Autoridade da Justiça funciona com Maior Segurança, embora saibamos Que o Mecanismo da Regeneração vige, antes de tudo, Consciência nd do proprio Indivíduo.

Ainda assim, aqui Existem, natural Como é, Tribunais e Santuários, Em magistrados dignos e imparciais examinam Que Como Humanas RESPONSABILIDADES, sopesando-lhes méritos e deméritos do SO.

A Organização do júri, em casos Numerosos, É observada Aqui, necessariamente, porém, constituída de Espíritos Não Integrados Conhecimentos do Direito, com resgate dilatadas Noções de culpa e, erro e corrigenda, psicologia humana e ciências sociais, a Fim de Que Como sentenças OU Como Informação proferidas se atenham à harmonia Precisa, perante Uma Providência Divina, consubstanciada sem amor Que Ilumina e nd Sabedoria Que Sustenta.

Tanto delinqüentes deixam HA No plano terrestre sem Quanto Plano Espiritual, e, em Razão disso, Não Apenas Para os Homens Recentemente desencarnados São entregues Julgamento Uma Específico, semper Que Necessário, Mas Também Como entidades desencarnadas Que, no Cumprimento de Tarefas Em determinadas Em, SE , muitas Vezes arrastar, uma inconfessáveis paixões e Caprichos.

É anotar importante, contudo, Quanto Mais Baixo Que É o grau evolutivo dos culpados, Mais o Sumário e Julgamento cabíveis Pelas Autoridades e, Morais Quanto Mais Avançados OS Valores culturais e do Indivíduo, Mais complexo É o Exame dos Processos de criminalidade em Que se emaranham, nao Tão Pela atuam Influência Que alheios com Destinos NSA, PORQUE Como Também o Espírito, Quando ajustado à Consciência dos próprios Erros, ansioso de Reabilitar-se perante a Vida e Mais Diante daqueles Que ama, Súplica Por si Mesmo Que Uma Sentença punitiva Reconhecê indispensável A própria Restauração.

3 - Qual a Obsessão OU terapêutica Para o parasitismo da alma,?

André Luiz - Importa Que se observar TODOS OS Sofrimentos e corrigendas a quê nsa referimos Estão os OS conjugados Para as consciências encarnadas Ou não, e da Lei de Dentro Ação reação que A CADA UM conferindo Hoje o Equilíbrio OU o Desequilíbrio, de obras POR SUAS Along , reconhecendo-se assim Também Que Medidas terapêuticas Como existem Contra o parasitismo Não orgânico Mundo, encontra qualquer Criatura, NA Aplicação do Viva Bem, Eficiente Remédio Contra o parasitismo da alma.

Não bastara, porém, a Palavra Que AJUDE EA Oração Que Ilumina. O hospedeiro de Influências Que inquietantes, POR NA SUAS aflições Existência carnal, da Qualidade e avaliar PoDE Extensão das dívidas PRÓPRIAS, precisará fazer Próprio exemplo, no Serviço do amor puro EAo semelhantes, com educação e sublimação de si mesmo, PORQUE o exemplo é Tão suficientemente forte e n º Renovar reajustar.

A Ação Genuíno do Bem, com Uma quebra Voluntária Nossos Sentimentos de inferiores, produz vigorosos fatores Transformação de Sobre aqueles Que nsa observam, notadamente Naqueles Que se agregam à NSA Existência, influenciando-NOS Espiritual Uma Atmosfera de Vez Que Como Nossas Demonstrações de inspiram Fraternidade

Nos outros Pensamentos edificantes e Que Amigos, em circuitos sucessivos ondulações OU continuas de renovados Energia, desafetos nsa modificam Mais acirrados qualquer Disposição hostil Uma Nosso Respeito.

Ninguém EXI, portanto, aguardar reencarnações Futuras, entretecidas de dor e Lágrimas, em ligações expiatórias, Pará diligenciar um sistema operacional com paz trazidos do pretérito Inimigos, Porque, Pelo devotamento Próximo AO Pela humildade e sentida e praticada Realmente, É Possível frase valorizar e Nossa Nossa santificar Prece, atraindo simpatias valiosas, providenciais intervenções com, em favor nosso.

Deus É que, reparando transfigurados nsa em nenhum Melhor, Os Nossos adversários igualmente se desarmam mal o Parágrafo, compreendendo, por fim, o Que Será Tão Bem, perante, O Nosso Caminho de Liberdade e Vida.

ANDRÉ LUIZ

A Fé Remove Montanhas ?






“O poder da fé tem aplicação direta e especial na ação magnética que rege as moléculas de que são formados os órgãos do nosso corpo”. “Ao invocar a fé, colocamos em movimento determinadas vibrações e alterações químicas em nosso cérebro enquanto pensamos. Essas vibrações vão percorrendo os caminhos dos neurônios, depois, de nosso corpo como um todo. Elas vibram em cada corrente química de nosso organismo e, à medida que a carga dos impulsos elétricos do pensamento é enviada, (neste caso, positiva, de vez que a fé é uma relação de intimidade com o Plano Espiritual) vai alterando a química e conseqüentemente nosso sistema imunológico, por isto é que a cura pode se estabelecer. Nesta hora uma energia maravilhosa desprende-se de nós e, como um imã, une-se ao Fluido Universal, que por graça de Deus está por toda parte, modificando-lhe adequadamente as qualidades dando-lhe o impulso irresistível na busca da cura.”

Bem por isso é que Jesus dizia àqueles a quem curava: “A tua fé te curou”, pois os fenômenos de cura considerados prodígios, na verdade eram apenas conseqüências de uma lei natural. Ensinava nesse momento aos que tinham “ouvidos de ouvir”, que a potência embutida em cada um de nós, pode acionar a cura ou nos desviar das dores que nós mesmos atraímos.

Quando falamos em fé, muitas vezes nos lembramos das doenças graves que nos atingem ou àqueles a quem amamos. Então perguntamos; porque o poder da fé de alguns pode ser tão abrangente a ponto de lhes ocasionar a cura?... E a resposta procurada, pesquisada, nos responde: A fé, quando ardente e sincera, pode operar maravilhas, remover montanhas, as Montanhas de Nossas Dificuldades, unicamente pela vontade do pensamento dirigido para o bem.

Quando Jesus disse que “a fé remove montanhas”, falava no sentido moral e não de uma montanha de pedra, que sabemos impossível remover. As montanhas que a fé transporta são as dificuldades, as resistências. O preconceito, o orgulho, os interesses materiais, a cegueira, são outras tantas montanhas que atravessam nossos caminhos, mas não nos iludamos, na grande maioria das vezes somos nós mesmos que as colocamos, e o que é pior, na falta de um culpado, culpamos a Deus!!

E quando, pelo medo de pecar, não O culpamos, nos sentimos desprotegidos, achamos que Deus não é assim tão amoroso e justo! Então dizemos, embutindo nossa decepção: Porque justo comigo? Ou Deus quis assim! Como se Deus pudesse querer que coisas ruins nos acontecessem! Não! Somos nós que atraímos a devolutiva do que fazemos, desejamos e até pensamos, pois que, sempre.

O resultado do que fazemos nos espera mais adiante.

Nem sempre queremos nos inteirar realmente e não buscamos esclarecimento para o entendimento das coisas espirituais porque, além de trabalhoso, aumentaria a responsabilidade de nossos atos... E ISTO, NÃO QUEREMOS!... É tão mais fácil e cômodo ter alguém, ainda que seja Deus, para responsabilizar pelos nossos problemas e até pelos nossos desatinos!

A fé raciocinada ilumina demais!... Não gostamos de encarar nossas falhas, muito menos de trabalhar com elas. Preferimos ficar no desconhecimento de nós mesmos, e não percebemos que a fé que sem raízes se faz fraca, sem o poder de “remover nossas montanhas”, de nos levar à compreensão da justiça de um Deus que não pune, mas que instituiu entre Suas leis, a justíssima “Lei do Retorno”, ou “Carma”, que significa “Ação e Reação”. Na verdade...

Somos nós mesmos que atraímos como devolutiva, a conseqüência inexorável daquilo que fazemos.

Na ignorância das Leis de Causa e Efeito, usamos de nosso livre arbítrio do jeito que queremos, o que vale dizer; do jeito que, certo ou errado, no momento nos seja mais prazeroso ou conveniente, sem pensar que há uma justiça no Universo que nos trará como retorno o resultado bom ou mau daquilo que fazemos! Não é Deus! Somos nós que colhemos o que quer que tenhamos plantado, porque não há conta de chegar nas Leis de Deus, ela é justa, inexorável, imutável e eterna, como tudo que Ele criou!

Se aceitarmos uma fé que nos é imposta, sob a qual não temos o direito de raciocinar, passamos a professar uma fé cega, que aceita sem controle o falso e o verdadeiro, mas que cedo ou tarde se choca com a verdade e a lógica, e que, se ainda não for fanática, vacila, não satisfaz, não acalma nossas inquietudes, não alivia nossas dificuldades. Por isso muitas vezes vivemos infelizes e sofredores, sem o conforto, sem o alívio daquela fé, que raciocinada e entendida, nos confere a perseverança, a energia e os recursos necessários para a vitória, ou superação dos obstáculos das nossas Montanhas Pessoais

No entanto, quando depositamos nossa confiança no Criador, nosso Espírito passa a estagiar em ondas magnéticas positivas, que por sua vez, como imã que todo pensamento é, atrai os Bons Espíritos, que então, por misericórdia de Deus, vêm em nosso auxílio, e, mesmo que não o percebamos, a ajuda estará se processando, ainda que em nosso imediatismo ignoremos que...

“Pedimos da maneira que queremos... recebemos da maneira que necessitamos!”

Por isto é que Jesus quando operava curas advertia: “Vá e não tornes a pecar”. Se não naquele tempo, hoje está muito claro!... Quando fazemos as coisas de maneira errada ficamos em desarmonia com as Leis de Deus embutida em nosso inconsciente. Inexoravelmente, por devolução natural, sofremos-lhe as conseqüências, que muitas vezes são doenças ou as grandes dificuldades! Noutras palavras, se não mudamos de atitude, se teimosamente não fazemos questão de melhorar nossos pensamentos e conduta, se pouco fazemos por nossa reforma interior, por ampliar nosso auto-respeito, nosso auto-amor, o respeito e o amor ao nosso próximo, a ajuda que recebemos dura pouco, e mais a frente os problemas voltarão...

Muito Maiores, e se quer teremos o direito de revolta, pois que tudo é uma questão de resultado. De outra forma, as “Montanhas” a que se referia Jesus, ao invés de serem removidas por nós mesmos quando buscamos nossa melhora espiritual, tornam-se cada vez mais nas Montanhas de Nossas Dores e Dificuldades...

A doutrina de Kardec nos oferece a chance do estudo que leva ao esclarecimento, mas o interesse, a vontade e a determinação... é de cada um!!

Oração e Vibração




Palestra sobre Oração, Vibração e Evocação


Aparentemente se trata da mesma coisa, ou pelo menos de coisas que são interdependentes. Mas o fato é que são bastante diferentes entre si, embora haja uma ligação forte entre elas.


Explico:

O que é orar? Ora diremos, orar é enviar pensamentos e palavras a Deus em forma de pedidos ou agradecimentos.


E vibrar, então? Bom, vibrar seria como uma oração na qual poríamos os nossos pensamentos para que algum efeito benéfico levasse para alguém ou para diversas pessoas. Estes pensamentos iriam, em uma forma de amor e logicamente vibraríamos na sintonia de Deus.


Evocar o que seria? Seria chamarmos a nós aqueles espíritos que queremos e que achamos que pode nos dar uma ajuda.


Mas nem sempre isto acontece exatamente desta maneira.

Poderíamos pensar em qualquer oração como válida? Bastaria para nós elevarmos os nossos pensamentos a Deus e fazermos algum tipo de oração? Será que rezarmos, e vejam bem que são duas coisas distintas, traria algum benefício a nossa alma?

Vinicius, no Livro Nas Pegadas do Mestre, traz à luz estas duas formas de prece com muita propriedade:

Ele nos diz:


Rezar é repetir palavras segundo fórmulas determinadas. É produzir eco que a brisa dissipa, como sucede à voz do sino que no espaço se espraia e morre. Orar é sentir. O sentimento é intraduzível. Não há palavra que o defina com absoluta precisão. O mais rico vocabulário do mundo é pobre para traduzir a grandeza de um sentimento. Não há fórmula que o contenha, não há molde que o guarde, não há modelo que o plasme.

Só Deus o conhece, só Deus o julga com justiça, porque só Deus sabe o que são essas vibrações de nossa alma, quando para Ele apelamos na linguagem misteriosa do sentimento. em Nosso espírito sintetiza numa só vibração aquilo que o vocabulário terreno não diria após haver esgotado o derradeiro elemento de todos os seus recursos.Orar é irradiar para Deus, firmando desse modo nossa comunhão com Ele.

A oração é o poder dos fiéis. Os crentes oram. Os impostores e os supersticiosos rezam. Os crentes oram a Deus. Os hipócritas, quando rezam, dirigem-se à sociedade em cujo meio vivem. Difícil é compreender-se o crente em seus colóquios com a Divindade. Os fariseus rezavam em público para serem vistos, admirados, louvados.Jesus amava a oração e detestava a reza. Dizia aos seus discípulos: Vigiai e orai constantemente para não cairdes em tentação.

. Quando, porém, orardes, não façais como os hipócritas, que rezam em pé, nas sinagogas e nas ruas, para serem vistos pelos homens. Entrai em vossos aposentos, fechai a porta, e orai em secreto ao vosso Pai que está nos céus. Não deveis, tão pouco, usar repetições ociosas, como fazem os gentios, que entendem que pelo muito falar serão ouvidos. Vosso Pai sabe o que vos é mister, antes mesmo que lho peçais. Aprendamos, pois com Jesus a amar a oração e repudiar a reza.

Muito sábias estas palavras.

Para fazermos uma oração devemos estar com os nossos corações o mais puros possível. Devemos nos colocar em contrição e devemos antes de tudo de muita Fé. Uma oração assim feita será sempre agradável a Deus.

Mas temos também que deixarmos de ser orgulhosos e egoístas, se quisermos que nossas orações sejam bem aceitas. Ela tem que representar um ato de sinceridade, arrependimento e de humildade.

Ao fazermos uma oração, nós melhoraremos em nosso processo evolutivo.

Fazendo uma oração contrita, tornamo-nos mais fortes contra as tentações da negatividade e temos os Espíritos Superiores a nos assistirem. Jamais um socorro é negado, quando o pedimos com humildade e sinceridade.

É importante que oremos bem. Não importa se não orarmos muito, não importa o tamanho de nossas orações, mas sim que elas venham de dentro de nossa alma, escritas por nossos corações e que reflitam de verdade aquilo de bom que estamos sentindo.

Boas ações são Preces que fazemos quando as praticamos. Boa conduta é essencial para que nossas orações sejam ouvidas. O perdão que pedirmos, só será dado se realmente a nossa conduta se melhorar.

Ao fazermos uma oração seja por outra pessoa, seja um ente amado ou um desconhecido, se esta nossa prece for carregada pelo bem que queremos fazer, poderemos ter a certeza de que será ouvida. Embora às vezes não obtenhamos o resultado que desejávamos, devemos acreditar no que fizemos. Pois nem sempre é visível o resultado de uma oração. Pode ser que aquele por quem nós pedimos, tenha que concluir uma prova ou expurgar alguma falta. E nestes casos, as nossas orações vão servir de auxilio a que ele obtenha êxito nas suas provações antes predestinadas.

O mesmo se dá com relação às orações em que procuramos o nosso próprio proveito. Também aqui vão as nossas necessidades de eliminarmos algum débito nosso, ou alguma prova que tenhamos que passar. Mas com certeza nos será dada uma força maior para enfrentarmos as nossas desditas.

Devemos sempre saber que as orações não mudam nunca os desígnios de Deus, mas a alma, alvo das nossas orações, seja a nossa ou a de terceiro, sem dúvida receberá o consolo que necessita para empreender melhor sua jornada.

Se for o caso de um arrependimento sincero, uma oração feita com fervor pode contribuir para abreviar as nossas penas e para nos aliviarmos, pois que sentiremos de perto a presença de Espíritos Melhores que nos acorrem em socorro.

A máxima de Cristo, Amai-vos uns aos outros, é sempre lembrada quando fazemos uma oração de intercessão pelo espírito de um morto que amamos. Lógico que não podemos mudar o seu destino, mas nestes casos, as nossas orações são aproveitadas, no momento em que aquele espírito demonstrar algum arrependimento pelas faltas aqui cometidas. Mostraremos nesta prece que o amamos e o amor ao próximo é visto com simpatia por Deus.

Devemos também, orar pelos que nos são antipáticos, desafetos ou inimigos ferrenhos. Pois o Perdão é uma forma de amor, e este amor é sempre ensinado através dos exemplos de Jesus. Perdoemos pois os nossos inimigos e sinceramente oremos por eles. Esta oração trará benefícios aos nossos inimigos e principalmente a nós próprios, por praticarmos a maior das caridades. O Perdão.

Muitos pensam que não adianta orar, pois que Deus já sabe tudo o que precisamos e nas nossas dívidas, Ele sabe aquilo que merecemos. Não é bem assim. O arrependimento faz uma revisão em nossos débitos. O Amor, incondicional, ao próximo diminui as nossas penas, e acima de tudo, ao orarmos sentiremos de perto a compaixão de Deus. Receberemos o conforto, a abnegação, e quando é possível não perturbar a imutabilidade das leis universais, poderemos, sim, recebermos aquilo que pedimos, de acordo com a Vontade de Deus. Mas com certeza teremos, se pedirmos com Fé, a coragem, a paciência e a resignação, muito úteis para que soframos menos as nossas desventuras. Também nos será concedido meios de nos tirarmos das dificuldades, mediante idéias, deixando-nos assim o direito a termos a nossa escolha. Ajudando-nos, o Céu há de nos ajudar.

Oremos pois com confiança e sejamos melhores para merecermos as benesses destas nossas orações.

Não nos esqueçamos pois, de que rezar é diferente de orar. Jesus quer que nós oremos, com todas as nossas forças, humildade, sinceridade e amor.

Agora vamos ver um pouco sobre as vibrações.

Quando estamos em vibração e pensamos no bem, pensamos em agradecimento, pensamos em fazermos uma caridade, quando pedimos a Deus pelos necessitados, pelos que sofrem, pela paz mundial, etc... Estamos vibrando então em pró de terceiros e estamos emitindo nesse momento ondas de amor que certamente vão encontrar os corações daqueles a quem visamos em nossos pedidos.


Recebemos então de volta a nossa própria energia positiva somada com a energia enviada por aqueles por quem vibramos, em forma de gratidão ou amor, pois que enviamos amor e amor receberemos de volta.


Cabe a nós estarmos preparados para bloquearmos quaisquer negatividades, revestindo-nos dos melhores pensamentos, colocando em nossa alma os desejos do bem, do perdão, da humildade, da fé, da solidariedade e do amor ao próximo. Assim conseguiremos alcançar êxito em nossas vibrações.


Ao vibrarmos ficamos em sintonia com as necessidades de nossos alvos de vibração. Há ai uma troca de energias, que será tão mais positiva quanto forem positivos os nossos intentos verdadeiros.


Há vibrações que são negativas. Vibrações para o mal e para a negatividade. Quando isto ocorre, a espiritualidade inferior se aproveita para entrar em sintonia com aquele que vibra, e trazer todo o mal que possa, não só a ele, como àquele que seria o objeto de suas vibrações. Portanto, devemos ter muito cuidado ao vibrarmos. Os nossos pensamentos não devem nunca se desvirtuar do bem.


As nossas vibrações permanecem no local em que estamos vibrando, Daí que quando alguém entra no recinto, mesmo após termos encerrado, sente as energias, que serão benéficas na medida dos benefícios que conseguimos trazer àquele ambiente.


Recebemos estas vibrações e de acordo com as nossas defesas espirituais, poderemos filtrar tais energias para que recebamos apenas as que nos fizerem bem. Este processo se dá inconscientemente e rapidamente com a nossa mente espiritual ou espírito entrando em sintonia com os terceiros que estão emitindo estas vibrações.


A pratica do bem, das boas ações, do bom pensamento, gera satisfação na nossa consciência e se transforma em Luz. Tudo o que é feito pela felicidade do outro, também se transforma em Luz. O sentimento de gratidão que volta pelos nossos bons pensamentos vibrados, nos trazem um bem estar e uma felicidade verdadeiras. Se mentalizamos o bem, recebemos o bem.


O Espírito Emmanuel nos dá uma lição importante sobre as vibrações. Ele assim nos diz a respeito:


Sendo os fluidos o veículo do pensamento, este atua sobre os fluidos como o som sobre o ar; ...

os fluidos nos trazem o pensamento, como o ar nos traz o som.

Pode-se pois dizer, sem receio de errar, que há, nesses fluidos, ondas e raios de pensamentos, que se cruzam sem se confundirem, como há no ar ondas e raios sonoros.

Há mais: criando imagens fluídicas, o pensamento se reflete no envoltório perispirítico, como num espelho; toma nele corpo e aí de certo modo se fotografa


O pensamento cria as imagens. As cenas inteiras dos fatos que nos praticamos assim é pintada, como num quadro, tal qual se lhe desenrola no espírito.

Desse modo é que os mais secretos movimentos da alma repercutem no envoltório fluídico; que uma alma pode ler noutra alma como num livro e ver o que não é perceptível aos olhos do corpo.


Pois é, os nossos pensamentos vibrando atingem os perispíritos daqueles por quem vibramos. Devemos pois ter muito cuidado com a forma e a nossa condição moral, quando vibrarmos por alguém.


Viajaremos agora em mais um tema enriquecedor, as Evocações.


Quando nós queremos e chamamos um Espírito, seja de luz ou seja um espírito amigo, ou até um espírito que nos é desconhecido, pedindo-lhes esclarecimentos, ou notícias, ou por qualquer que seja o motivo que tivermos, nós estaremos evocando este Espírito a que compareça ante nós.


Devemos ter muito cuidado com estas evocações, pois se formos inexperientes e evocarmos por engano um espírito mau, teremos com certeza muitos dissabores. É preciso que tenhamos algum conhecimento no relacionamento com as entidades espirituais, e acima de tudo, que tenhamos uma condição moral tal que tais espíritos não se sintam bem em nossa presença.

Lógico, que em diversas ocasiões e tendo-se o cuidado necessário, a evocação pode se traduzir em benefícios e ensinamentos.


Na verdade, só em condições de muito respeito, deveríamos evocar os espíritos. Nunca são demais os cuidados para prevenir as obsessões e as interferências dos espíritos obsessores, que podem, tranqüilamente se aproveitarem de uma evocação para se mostrarem no lugar daqueles evocados. Somente nestas condições de uma condição moral favorável é que o médium deveria tentar a evocação.


Nem sempre a evocação vem a ser bem sucedida. O espírito chamado pode estar ocupado com alguma missão ou tarefa, pode não desejar se manifestar, ou pode ser proibido por Espíritos Superiores, com a vontade de Deus. Outra coisa de o espírito não responder ao ser evocado, é que a condição moral do médium que o chama, pode não estar em sintonia com a sua. Ou ainda, se a evocação for feita para se atender a objetos fúteis, frívolos ou de nenhum interesse. Devemos sempre fazer a evocação com humildade, sem exigir nada, pois as leis do mundo invisível são próprias dele. Devemos evocar verbalmente, e aguardarmos a resposta. Se ela não vier, é porque houve um motivo justo.


Daí é que concluímos. Para evocarmos precisamos estar em sintonia e com a nossa moral o mais elevada que possamos. Precisamos orar muito para conseguirmos melhorar esta nossa moral, e vibrarmos positivamente para que consigamos ter a energia positiva, vindas de nossos amor ao próximo, e de nossa sinceridade e humildade. Enfim, se entrelaçam como dissemos no inicio, estas três praticas. Oração, vibração e evocação.



LinkWithin



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...