Não te esqueças de que a solução para o problema que te angustia, está a caminho.

Nos tribunais da Divina Justiça, nenhum processo fica parado.

A tua petição, depois de examinada, será deferida de acordo com os teus méritos.

Não te aflijas, antecipando-te às providências que haverão de ser tomadas em favor de tua paz.

Nem agraves a tua situação, tornando inócuas, quando te alcancem, as deliberações em andamento.

Saber esperar é tão importante quanto saber agir.

Toda decisão precipitada acaba sendo uma solução pela metade para o problema que se pretende resolver.

A solução que demora a surgir ainda não encontrou, disponíveis, os elementos que a favoreçam.


Irmão José/Carlos A. Baccelli
livro "Vigiai e Orai"











Dez Maneiras de Amar a Nós Mesmos

1. Disciplinar os próprios impulsos.

2. Trabalhar, cada dia, produzindo o melhor que pudermos.

3. Atender aos bons conselhos que traçamos para os outros.

4. Aceitar, sem revolta, a crítica e a reprovação.

5. Esquecer as faltas alheias sem desculpar as nossas.

6. Evitar as conversações inúteis.

7. Receber no sofrimento o processo de nossa educação.

8. Calar diante da ofensa, retribuindo o mal com o bem.

9. Ajudar a todos, sem exigir qualquer pagamento de gratidão.

10. Repetir as lições edificantes, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, perseverando no aperfeiçoamento de nós mesmos, sem desanimar e colocando-nos a serviço do Divino Mestre, hoje e sempre.







Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO,
mesmo sabendo que as rosas não falam...

Que eu não perca o OTIMISMO, mesmo sabendo que o futuro
que nos espera pode não ser tão alegre...

Que eu não perca a VONTADE DE VIVER, mesmo sabendo que a vida é,em muitos momentos, dolorosa...


Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS,
mesmo sabendo que, com as voltas do mundo,
eles acabam indo embora de nossas vidas...

Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS,
Mesmo sabendo que muitas delas são incapazes
de ver, reconhecer e retribuir, esta ajuda...

Que eu não perca o EQUILÍBRIO, mesmo sabendo
que inúmeras forças querem que eu caia...

Que eu não perca A VONTADE DE AMAR, mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim...

Que eu não perca a LUZ E O BRILHO NO OLHAR, mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão os meus olhos...

Que eu não perca a GARRA, mesmo sabendo que a derrota e a perda

São dois adversários extremamente perigosos...

Que eu não perca a RAZÃO, mesmo sabendo

que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas...

Que eu não perca o sentimento de JUSTIÇA, mesmo
sabendo que o prejudicado possa ser eu...

Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO, mesmo sabendo
que um dia os meus braços estarão fracos...

Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VIVER, mesmo sabendo

que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...

Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia...


Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR que existe em meu coração, mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado...

Que eu não perca a vontade de SER GRANDE, mesmo
sabendo que o mundo é pequeno...

E acima de tudo...

Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente!

Que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois...

A VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS

E CONCRETIZADA NO AMOR!






Desencanto

Também, Senhor, um dia, de alma ansiosa,
Num sonho todo amor, carícia e graça,
Quis encontrar a imagem cor-de-rosa
Da ventura que canta, sonha e passa.

E perquiri a estrada erma e escabrosa,
Perenemente sob a rude ameaça
Da amargura sem termos, angustiosa,
Entre os frios do pranto e da desgraça,

Até que um dia a dor, violentamente,
Fez nascer no meu cérebro demente
Os anelos de morte, cinza e nada.

E no inferno simbólico do Dante,
Vim reencontrar a lagrima triunfante,
Palpitando em minh’alma estraçalhada.


Autor: Hermes Fontes
(psicografia de Chico Xavier )

Estudos Doutrinários

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Desgosto da Vida ? Uma Reflexão sobre o Suicidio




Refletindo Sobre a Questão 945 de "O Livro dos Espíritos pensar" Que Fazer dez suicídio Por Causa Que o desgosto da vida? Os Espíritos responderam: "Insensatos! Trabalhavam Não Por que? A Existência Não lhes Seria uma Carga!"

Sabemos Que o suicida, Além de Não Sofrer Mundo Espiritual Como dolorosas conseqüências de Seu gesto impensado de revolta Diante das leis da Vida, ainda Todas renascerá com seqüelas físicas daí resultantes Como, e tera Que arrostar UM Novamente MESMA Situação Que provacional A SUA flacida fé e distanciamento de Deus Não LHE permitiu o Êxito existencial.

É preciso ter calma par viver, Não Até PORQUE HÁ tormentos e Problemas Que durem n Semper. Recordemos Que Que nsa Jesus assegurou: "Ó Pai Não Dá Mais Fardos Pesados ombros Que OS".

O suicídio e Uma desastrada MANEIRA Mais de Fugir das Provas OU expiações devemos Pelas Quais Passar. É Uma porta falsa em Que O Indivíduo, julgando libertário do sexo masculino se de SEUS, precipitações-se em Situação Muito Pior. Arrojado violentamente Para o Além-TÚMULO, Vitalidade Plena em Física, revive, intermitentemente, o tempo Muito Por, OS acicates de Consciência e Sensações dos derradeiros instantes, e em regioes FICA submerso de penumbras tormentos Onde SEUS Serao Importantes, Para o sacrossanto Aprendizado, flexibilizando oe credenciando-o-hum hum respeitar Mais empenho com Vida.

A religião, a moral, Como o condenam Todas filosofias, Como suicídio contrário As leis da Natureza. Todas asseveram, em Primeiro, tem Ninguém Que o Direito de abreviar voluntariamente a Vida. Entretanto, Por que Não se Direito Esse MÊS TEM? Por que Não É livre o Homem de Pôr termo EAo Sofrimentos SEUS? Ao Espiritismo estava demonstrar Reservado, Pelo exemplo dos sucumbiram Que, Que o suicídio e Uma Não Falta Somente Por constituir infração de Uma lei moral, Consideração de peso Pouco certos indivíduos Pará, Mas Também UM ATO Estúpido, POIs Que Nada Quem Ganha o pratica, Antes o contrário É o Que da Sé, Como não ensinam-lo, nao Uma teoria, porém fatos OS Que nsa Elemento Põe Solucar vistas Como. "

Não HÁ Como Fazer Assunto Falar sem evocarmos o sociólogo Emile Durkheim, afirma existirem Que Homens capazes de Uma Resistir desgraças horríveis enquanto se suicidam Outros DEPOIS de aborrecimentos Ligeiros. Seria de suma Importância Investigar Uma Causa Desta Resistência Diversa EO Que contribui Para essa Estrutura Maior OU menor.Interessante anotar Que É NAS Épocas em Que A Vida é dura Menos que Como Uma Pessoas abandonam com facilidade MAIS.

Considerada Uma doença do século, Pará Para muitos dos suicídios Por Responsável, uma depressão SO TEM preocupado Especialistas. Os psiquiatras estimam Que De cada grupo de 100 pessoas, 15 dez Uma probabilidade de desenvolver Uma depressão. UM E distúrbio Que Ocorre POR CAUSA da alteração de substancias UM Como serotonina noroadrenalina bis. O Quadro depressivo É Gerado Por Produção nd Mudanças e dos neurotransmissores cerebrais UTILIZAÇÃO noradrenalina (, interferona, serotonina e dopamina). QUANDO SUA Produção OU forma de Produção se Altera PoDE Gerar Uma depressão e não suicídio e daí Uma porta escancarada.

E o suicida é, antes de tudo, o deprimido, a EA Depressão e uma modernidade da doença. O Suicida Não Quer UM Matar si Próprio Alguma Coisa Mas Que Carrega Dentro de si e Sintéticamente PoDE Que Ser nominado Sentimento de culpa e de Vontade de Matar Querer Quem Alguém Identificação com si mesmo. Como As restrições impedem o Morais, Elemento Acaba se autodestruindo. Assim "o suicida mata Uma Outra Pessoa Que vive DELE Dentro e Que o Agora faca Profundamente".

A Obsessão Poderia Ser Como definida constrangimento hum hum Indivíduo Que, em potencial suicida Ou não, Sente, Graças a perturbadora de Presença Espiritual Ser UM. Vale a pena ler Uma Descrição Feita Por Allan Kardec, em "O Livro dos Médiuns". (Cap. 23, 44 º, ed. FEB, RJ, 1981)

Diversas obras Como São comentam o Assunto Que, Assim temos como exemplo "O martírio dos Suicidas", de Almerindo Martins de Castro, e "Memórias de" hum Suicida, de Yvonne A. Pereira. Por outro lado Não Podemos Esquecer Que Allan Kardec, no livro "O Céu EO Inferno OU" A Justiça divina segundo o Espiritismo ", Deixa em ENORME Exame comparado das doutrinas Contribuição Sobre a Vida da Vida Espiritual Passagem de um cabo e, especificamente, nao capítulo V da Segunda parte, Onde ABORDA A questão dos Suicidas.

É Verdade Que Após a desencarnação, Não HÁ tribunal Nem Juízes n condenar o Espírito, ainda Que Seja Mais o culpado. Fica Ele Simplesmente Diante da Própria Consciência, nu perante si Mesmo UM e de Todos os demais, POIs nada escondido PoDE Ser Espiritual No mundo, tendão O indivíduo de enfrentar SUAS PRÓPRIAS mentais Criações

Refletindo Sobre a Questão 945 de "O Livro dos Espíritos pensar" Que fazer dez suicídio Por Causa Que o desgosto da vida? Os Espíritos responderam: "Insensatos! Trabalhavam Por que não? A Existência Não lhes Seria uma Carga!"

Sabemos Que o suicida, Além de não Sofrer Mundo Espiritual como dolorosas conseqüências de Seu gesto impensado de revolta Diante das leis da Vida, ainda Todas renascerá como com seqüelas físicas daí resultantes, e tera Que arrostar Novamente um MESMA Situação Que provacional A SUA flacida fé e distanciamento de Deus Não LHE permitiu o Êxito existencial.

É preciso ter calma viver para, Não Até PORQUE HÁ tormentos e Problemas Que semper n durem. Recordemos Que Que nsa Jesus assegurou: "Ó Pai Não Dá Mais Fardos Pesados Que OS ombros".

O suicídio É uma desastrada MANEIRA Mais de Fugir das Provas OU expiações Pelas Quais Passar devemos. É Uma porta falsa em Indivíduo O que, julgando libertário do sexo masculino se de SEUS, precipitações-se em Situação Pior muito. Arrojado violentamente Para o Além-TÚMULO, Vitalidade Plena em Física, revive, intermitentemente, Por muito tempo, OS acicates de Consciência e Sensações dos derradeiros instantes, e FICA submerso em regioes de penumbras tormentos Onde SEUS Serao Importantes, Para o sacrossanto Aprendizado, flexibilizando -o e credenciando-o um respeitar um Mais Vida com empenho.

A religião, a moral, como Todas filosofias condenam o, Como suicídio contrário As leis da Natureza. Todas asseveram, em Primeiro, tem Ninguém Que o Direito de abreviar voluntariamente a Vida. Entretanto, Por que Não se Direito esse mês tem? Por que Não É livre o Homem de Pôr termo EAo Sofrimentos SEUS? Ao Espiritismo estava demonstrar Reservado, Pelo exemplo dos Que sucumbiram, Que o suicídio e Uma Não Falta Somente Por constituir infração de Uma lei moral, Consideração de peso Pouco certos indivíduos Pará, Mas Também UM ato Estúpido, POIs Que Nada Quem Ganha o pratica, Antes o contrário É o Que da Sé, Como no-lo ensinam, nao uma teoria, porém fatos OS Que nsa elemento Põe soluçar como vistas. "

Não HÁ Como Falar sem fazer Assunto evocarmos o sociólogo Emile Durkheim, afirma existirem Que Homens capazes de uma Resistir desgraças horríveis enquanto Outros DEPOIS se suicidam de Ligeiros aborrecimentos. Seria de suma importância Investigar uma Causa Desta Resistência Diversa EO Que contribui Para essa Estrutura Maior OU menor.Interessante anotar Que É NAS Épocas em Que A Vida é Menos que dura como uma Pessoas abandonam com facilidade MAIS.

Considerada uma doença do século, Para muitos Por Responsável dos suicídios, a depressão SO TEM Especialistas preocupado. Os psiquiatras estimam Que De cada grupo de 100 pessoas, 15 dez uma probabilidade de desenvolver uma depressão. UM E distúrbio Que Ocorre POR CAUSA da alteração de substancias Como um bis noroadrenalina serotonina. O Quadro depressivo É Gerado Por Mudanças na Produção e dos neurotransmissores cerebrais UTILIZAÇÃO (noradrenalina, interferona, serotonina e dopamina). QUANDO SUA Produção OU forma de Produção se Altera PoDE Gerar uma depressão e daí n o suicídio e Uma porta escancarada.

E o suicida é, antes de tudo, o deprimido, a EA Depressão e uma modernidade da doença. O Suicida Não Quer Matar um si Próprio Mas Alguma Coisa Que Carrega Dentro de si e Sintéticamente PoDE Que Ser nominado Sentimento de culpa e de Vontade de Matar Querer Quem Alguém se com identificação. Como As restrições morais o impedem, elemento Acaba se autodestruindo. Assim "o suicida mata Uma Outra Pessoa Que vive DELE Dentro e Que o Agora faça Profundamente".

A Obsessão Poderia Ser Como definida constrangimento hum hum Indivíduo Que, em potencial suicida Ou não, Sente, Graças a perturbadora de Presença Espiritual Ser um. Vale a pena ler uma Descrição Feita Por Allan Kardec, em "O Livro dos Médiuns". (Cap. 23, 44 º, ed. FEB, RJ, 1981)

Diversas obras como São Que comentam o Assunto, temos assim como exemplo "O martírio dos Suicidas", de Almerindo Martins de Castro, e "Memórias de Suicida hum", de Yvonne A. Pereira. Por outro lado Não Podemos Esquecer Que Allan Kardec, no livro "O Céu EO Inferno ou" "A Justiça divina segundo o Espiritismo", Deixa ENORME em Exame comparado das doutrinas Contribuição Sobre a Vida da Vida Espiritual Passagem à corporal e, especificamente, não capítulo V da segunda parte, Onde ABORDA A questão dos Suicidas.

É Verdade Que Após a desencarnação, Não HÁ tribunal Nem Juízes n condenar o Espírito, ainda Que Seja Mais o culpado. Fica Ele Simplesmente Diante da Própria Consciência, nu perante si um Mesmo e de Todos os demais, POIs nada escondido PoDE Ser Espiritual No mundo, tendão O indivíduo de enfrentar SUAS PRÓPRIAS Criações mentais


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...