Não te esqueças de que a solução para o problema que te angustia, está a caminho.

Nos tribunais da Divina Justiça, nenhum processo fica parado.

A tua petição, depois de examinada, será deferida de acordo com os teus méritos.

Não te aflijas, antecipando-te às providências que haverão de ser tomadas em favor de tua paz.

Nem agraves a tua situação, tornando inócuas, quando te alcancem, as deliberações em andamento.

Saber esperar é tão importante quanto saber agir.

Toda decisão precipitada acaba sendo uma solução pela metade para o problema que se pretende resolver.

A solução que demora a surgir ainda não encontrou, disponíveis, os elementos que a favoreçam.


Irmão José/Carlos A. Baccelli
livro "Vigiai e Orai"











Dez Maneiras de Amar a Nós Mesmos

1. Disciplinar os próprios impulsos.

2. Trabalhar, cada dia, produzindo o melhor que pudermos.

3. Atender aos bons conselhos que traçamos para os outros.

4. Aceitar, sem revolta, a crítica e a reprovação.

5. Esquecer as faltas alheias sem desculpar as nossas.

6. Evitar as conversações inúteis.

7. Receber no sofrimento o processo de nossa educação.

8. Calar diante da ofensa, retribuindo o mal com o bem.

9. Ajudar a todos, sem exigir qualquer pagamento de gratidão.

10. Repetir as lições edificantes, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, perseverando no aperfeiçoamento de nós mesmos, sem desanimar e colocando-nos a serviço do Divino Mestre, hoje e sempre.







Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO,
mesmo sabendo que as rosas não falam...

Que eu não perca o OTIMISMO, mesmo sabendo que o futuro
que nos espera pode não ser tão alegre...

Que eu não perca a VONTADE DE VIVER, mesmo sabendo que a vida é,em muitos momentos, dolorosa...


Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS,
mesmo sabendo que, com as voltas do mundo,
eles acabam indo embora de nossas vidas...

Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS,
Mesmo sabendo que muitas delas são incapazes
de ver, reconhecer e retribuir, esta ajuda...

Que eu não perca o EQUILÍBRIO, mesmo sabendo
que inúmeras forças querem que eu caia...

Que eu não perca A VONTADE DE AMAR, mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim...

Que eu não perca a LUZ E O BRILHO NO OLHAR, mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão os meus olhos...

Que eu não perca a GARRA, mesmo sabendo que a derrota e a perda

São dois adversários extremamente perigosos...

Que eu não perca a RAZÃO, mesmo sabendo

que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas...

Que eu não perca o sentimento de JUSTIÇA, mesmo
sabendo que o prejudicado possa ser eu...

Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO, mesmo sabendo
que um dia os meus braços estarão fracos...

Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VIVER, mesmo sabendo

que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...

Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia...


Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR que existe em meu coração, mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado...

Que eu não perca a vontade de SER GRANDE, mesmo
sabendo que o mundo é pequeno...

E acima de tudo...

Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente!

Que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois...

A VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS

E CONCRETIZADA NO AMOR!






Desencanto

Também, Senhor, um dia, de alma ansiosa,
Num sonho todo amor, carícia e graça,
Quis encontrar a imagem cor-de-rosa
Da ventura que canta, sonha e passa.

E perquiri a estrada erma e escabrosa,
Perenemente sob a rude ameaça
Da amargura sem termos, angustiosa,
Entre os frios do pranto e da desgraça,

Até que um dia a dor, violentamente,
Fez nascer no meu cérebro demente
Os anelos de morte, cinza e nada.

E no inferno simbólico do Dante,
Vim reencontrar a lagrima triunfante,
Palpitando em minh’alma estraçalhada.


Autor: Hermes Fontes
(psicografia de Chico Xavier )

Estudos Doutrinários

sábado, 19 de maio de 2012

Irmã Scheilla


Que o amor, em forma de luz libertadora, predomine nos corações que se candidatem, ao serviço do Bem. (Scheilla).


É um espírito esplendoroso pela luz que esparge, e sua presença é notada por ondas perfumadas que imprime ao local.

Segundo o Anuário Espírita, temos notícias apenas de duas existências de Scheilla: uma na França e outra na Alemanha.

- Na existência francesa chamou-se Joana Francisca Frémiot, a qual casou-se aos 20 anos de idade com o Barão de Chantal, passando a denominar-se Baronesa de Chantal, com o qual teve 4 filhos. Todavia muito cedo perdeu seu marido, e daí abandonou o mundo com seus 4 filhos, partilhando o seu tempo entre orações, as obras piedosas e os seus deveres de mãe.

Em 1604, tendo vindo pregar em Dijon o Bispo de Genebra, S.Francisco de Salles, e, submeteu-se à sua direção espiritual. Fundaram em Annecy a congregação de Visitação a Maria em 1610, que chegou a contar com 87 conventos e, no primeiro século, 6500 religiosos. A Baronesa de Chantal, dirigiu como superiora de 1612 a 1619, a casa que havia fundado em Paris, no bairro de Santo Antônio (Enciclopédia e Dicionário Internacional, W.M. Jackson, Inc).

Passando por grandes dificuldades, conseguiram supera-las e em 1619, São Vicente de Paulo ficou como superior do Convento da Ordem da Visitação, época em que a Baronesa de Chantal retornou a Annecy, onde ficava a casa mãe da Ordem A Santa. Várias vezes tornou a ver São Vicente de Paulo, que

tornou-se seu confessor e diretor Espiritual A 13 de dezembro de 1641, ela veio a falecer.

Em 1767, foi canonizada pela Igreja Católica, como Santa Joana de Chantal, ou Baroneza de Chantal.


A outra encarnação que temos conhecimento, foi na Alemanha, no período da segunda guerra mundial, onde exercia as funções de enfermeira, e desencarnou por volta de 1943 em Hamburgo, em conseqüência do ataque aéreo sobre esta cidade.

Tudo indica que Scheilla vinculou-se, algum tempo após a sua desencarnação em terras alemãs, às falanges espirituais que atuam em nome do Cristo, no Brasil.

OS LÍRIOS DOS CAMPOS

Pelo Espírito Scheilla

Vejamos a indicação de Jesus, mostrando-nos os lírios dos campos, com suas vestes superiores aos reis da Terra. E quem os vestiu? Certamente que foi o Criador.

Meditemos nas flores como sorrisos da vida superior, a nos convidarem a sorrir, meditemos nelas em todas as suas nuances divinas, a nos convidarem ao amor, analisando as suas procedências.

Meditemos nas flores dos jardins e dos campos, a nos indicarem as belezas que nos esperam. E se elas nos extasiam, o que dizer das flores das virtudes que se encontram, às vezes, a desabrochar nos nossos corações?

Elas são inúmeras, como beijos de luz fundindo e refundindo todos os nossos sentidos.

O exterior nos predispõe e abre os nossos interesses para os campos do íntimo. Eles são mais ricos em campos e jardins, com uma profusão de estrelas a brilhar em nosso céu consciencial, se despertarmos a luz do entendimento, se a caridade guiar os nossos passos e se o amor for a nossa força de vida, no dia-a-dia da nossa existência.

Que linda expressão escolhida por Jesus: os lírios dos campos!

Quantos campos existem dentro das criaturas? Quantos lírios devem ser despertados em nossos corações? São incontáveis. Mas o Senhor espera de nós esse esforço que somente nós mesmos haveremos de fazer, mesmo que surjam dores e sacrifícios a enfrentar, sob o comando das bênçãos do Mestre, por intermédio dos anjos e dos próprios homens que já se encontram à nossa frente.

Falamos aqui como criatura da Terra, semelhante a todos, lutando com os mesmos problemas, entendendo as necessidades do aprimoramento espiritual.

Agradecemos a todos os homens, como Espíritos desencarnados, as oportunidades de trabalho, de compreensão e de dever que estamos recebendo.

Que Deus os abençoe!

Agradecemos ao sol, essa fonte divina de vida, pelos raios que nos aquecem.

Agradecemos às estrelas que nos invadem com a esperança;

Agradecemos às águas que tanto nos servem.

Agradecemos à flora e à fauna, que nos acodem com seus recursos todas às vezes que precisamos.

Agradecemos aos que amam na Terra, fornecendo-nos este néctar de vida, para que possamos trabalhar nos campos em que operamos por misericórdia da divindade.

Agradecemos às crianças e aos velhinhos, que tanto nos ajudam no trabalho de ajudar.

Agradecemos aos ventos, que sempre nos sopram os valores da vida, quando precisamos recompor nossas energias.

Agradecemos e beijamos a vida, na expressão de tudo, como se beijássemos a Deus.

Jesus, os lírios do campo! Senhor, inspira-nos como um poeta que ultrapassa o reino dos astros!


Beijamos, Senhor, os Vossos pés, que sempre vemos nos pés dos Filhos do Calvário!

Pelo Espírito Scheilla


Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...