Não te esqueças de que a solução para o problema que te angustia, está a caminho.

Nos tribunais da Divina Justiça, nenhum processo fica parado.

A tua petição, depois de examinada, será deferida de acordo com os teus méritos.

Não te aflijas, antecipando-te às providências que haverão de ser tomadas em favor de tua paz.

Nem agraves a tua situação, tornando inócuas, quando te alcancem, as deliberações em andamento.

Saber esperar é tão importante quanto saber agir.

Toda decisão precipitada acaba sendo uma solução pela metade para o problema que se pretende resolver.

A solução que demora a surgir ainda não encontrou, disponíveis, os elementos que a favoreçam.


Irmão José/Carlos A. Baccelli
livro "Vigiai e Orai"











Dez Maneiras de Amar a Nós Mesmos

1. Disciplinar os próprios impulsos.

2. Trabalhar, cada dia, produzindo o melhor que pudermos.

3. Atender aos bons conselhos que traçamos para os outros.

4. Aceitar, sem revolta, a crítica e a reprovação.

5. Esquecer as faltas alheias sem desculpar as nossas.

6. Evitar as conversações inúteis.

7. Receber no sofrimento o processo de nossa educação.

8. Calar diante da ofensa, retribuindo o mal com o bem.

9. Ajudar a todos, sem exigir qualquer pagamento de gratidão.

10. Repetir as lições edificantes, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, perseverando no aperfeiçoamento de nós mesmos, sem desanimar e colocando-nos a serviço do Divino Mestre, hoje e sempre.







Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO,
mesmo sabendo que as rosas não falam...

Que eu não perca o OTIMISMO, mesmo sabendo que o futuro
que nos espera pode não ser tão alegre...

Que eu não perca a VONTADE DE VIVER, mesmo sabendo que a vida é,em muitos momentos, dolorosa...


Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS,
mesmo sabendo que, com as voltas do mundo,
eles acabam indo embora de nossas vidas...

Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS,
Mesmo sabendo que muitas delas são incapazes
de ver, reconhecer e retribuir, esta ajuda...

Que eu não perca o EQUILÍBRIO, mesmo sabendo
que inúmeras forças querem que eu caia...

Que eu não perca A VONTADE DE AMAR, mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim...

Que eu não perca a LUZ E O BRILHO NO OLHAR, mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão os meus olhos...

Que eu não perca a GARRA, mesmo sabendo que a derrota e a perda

São dois adversários extremamente perigosos...

Que eu não perca a RAZÃO, mesmo sabendo

que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas...

Que eu não perca o sentimento de JUSTIÇA, mesmo
sabendo que o prejudicado possa ser eu...

Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO, mesmo sabendo
que um dia os meus braços estarão fracos...

Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VIVER, mesmo sabendo

que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...

Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia...


Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR que existe em meu coração, mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado...

Que eu não perca a vontade de SER GRANDE, mesmo
sabendo que o mundo é pequeno...

E acima de tudo...

Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente!

Que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois...

A VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS

E CONCRETIZADA NO AMOR!






Desencanto

Também, Senhor, um dia, de alma ansiosa,
Num sonho todo amor, carícia e graça,
Quis encontrar a imagem cor-de-rosa
Da ventura que canta, sonha e passa.

E perquiri a estrada erma e escabrosa,
Perenemente sob a rude ameaça
Da amargura sem termos, angustiosa,
Entre os frios do pranto e da desgraça,

Até que um dia a dor, violentamente,
Fez nascer no meu cérebro demente
Os anelos de morte, cinza e nada.

E no inferno simbólico do Dante,
Vim reencontrar a lagrima triunfante,
Palpitando em minh’alma estraçalhada.


Autor: Hermes Fontes
(psicografia de Chico Xavier )

Estudos Doutrinários

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

O Passe como Cura Magnética

O Passe como Cura Magnética


Podemos receber o fluido vital pela alimentação, todos nós possuímos esse fluido, porém certas pessoas tem uma produção bem maior e tem pretensão para doar, sendo essa uma força semi-material capaz de restaurar a célula. Essa pessoa pode ser considerada um médium de cura.



Ciência e Espíritualidade



As Obras de André Luiz para a Ciência Espírita


As obras de André Luiz contribuíram não só para o espiritismo, como para a ciência. Por ter sido médico, procurou colocar em seus livros explicações que se apoiassem na razão, em estudos científicos, desvendando os acontecimentos do 'mundo invisível' e alguns mistérios da vida material.



quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Ações e Palavras




Ações e palavras

 


O que você faz fala tão alto, que não consigo ouvir o que você diz.


O pensamento do filósofo e escritor americano, Ralph Waldo Emerson, precisa de nossa atenção.

Ações falam muito mais de nós mesmos do que nossas palavras.

Nossas palavras articulam-se por conveniência, por convenções e podem ser muito bem dissimuladas por força de nossa vontade, isto é, nem sempre contarão a verdade.

As ações mostram o que há em nossa alma, nossa índole, nossos valores.

É muito fácil falar. Mais difícil agir.

Francisco de Assis, missionário que resgatou a essência da mensagem do Cristo na Terra, em uma de suas pregações, afirmou:

A paz proclamada por vós com palavras deve habitar de modo mais abundante em vossos corações.


Isso significa que precisamos vivenciar algo para que nossas palavras e opiniões tenham peso. É a chamada autoridade moral.

Ela é válida na educação dos filhos, por exemplo.

Esses precisam identificar, nos genitores, o mesmo comportamento que estão exigindo deles.

Caso não encontrem essa referência, dificilmente seguirão qualquer recomendação educacional.

Os filhos poderão até obedecer, mas por medo, por ascendência da força, naquele momento.

Esse tipo de ascendência, porém, não dura. Tão logo se desvencilhem dos pais ou desenvolvam uma independência maior, voltarão a repetir as mesmas atitudes do ontem equivocado.

Resumindo: não aprenderam. Simplesmente atenderam a uma recomendação, por determinado tempo.


Por isso ouvimos falar na força do exemplo.

Os filhos copiam os pais em muitos aspectos. Imitam suas ações, sua forma de lidar com isso ou aquilo na vida. Seus conselhos só serão ouvidos se perceberem a força da autoridade moral embasando as falas.

A sabedoria de alguém não é medida pelo quanto ela sabe, conhece, mas pela qualidade de suas ações.

Vemos assim, no mundo, grandes vozes, de retórica impecável, mas cujas ações, no dia a dia, não condizem com seu verbo afiado.

Sobem nas tribunas do mundo, cantando a igualdade, a justiça, a defesa da população, quando em seu coração há apenas a busca pela satisfação de sua vaidade e egoísmo, tirando vantagem de tudo e de todos.

E muitas consciências de hoje estão tão doentes, tão obnubiladas, que nem sequer sentem algum tipo de remorso, culpa ou responsabilidade.

Despertarão mais tarde, possivelmente com a dor, com a força da lei de causa e efeito, colocando tudo de volta nos trilhos da alma descarrilhada.

Assim, cuidemos de nossas palavras e cuidemos de nossas ações.

O que fazemos fala muito mais alto do que aquilo que dizemos.

Lembremos do pensamento do filósofo:

O que você faz fala tão alto, que não consigo ouvir o que você diz.
***

Redação do Momento Espírita.
Em 15.8.2012.

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Bilhete Paternal









Bilhete Paternal



Sim, meu filho, talvez por um capricho dos seus treze anos, você deseja receber um bilhete do amigo desencarnado, cujas páginas começou a ler.
Você - um menino! - solicita orientação
espiritual.
Tenho escrito muitas cartas depois da morte, mas sinceramente não me recordo de haver dirigido até hoje, qualquer recado a gente verde do seu porte.
Perdoe se não lhe correspondo à expectativa.
Diz você que não espera uma história da carochinha, baseada em gênios protetores. E remata:
"quero, irmão X, que você me diga quais são
as coisas mais importantes da vida, apontando-me aquilo de bom que devo querer e aquilo de mau que preciso evitar."
Lembro-me, assim, de oferecer a você uma lista curiosa que um velho amigo me ofereceu, aí no mundo, precisamente quando eu tinha a sua idade.
A relação, apresentava o título "APRENDA, MEU FILHO..." e continha as seguintes informações:
1 - O maior e melhor amigo: "Deus."
2 - Os melhores companheiros: "Os pais".
3 - A melhor casa: "O lar."
4 - A maior felicidade: "A boa consciência."
5 - O mais belo dia: "Hoje."
6 - O melhor tempo: "Agora."
7 - A melhor regra para vencer: "A disciplina."
8 - 0 melhor negócio: "O trabalho."
9 - O melhor divertimento: "O estudo."
10 - A coleção mais rica: "A das boas ações."
11 - A estrada mais fácil para ser feliz: "O caminho reto."
12 - A maior alegria: "Dever cumprido."
13 - A maior força: "O bem."
14 - A melhor atitude: "A cortesia."
15-0 maior heroísmo: "A coragem de ser
bom."
16 - A maior falta: "A mentira."
17 - A pior pobreza: "A preguiça." 18-0 pior fracasso: "O desânimo."
19 - O maior inimigo: "O mal."
20 - O melhor dos esportes: "A prática do
bem."
Leia esta lista de informações, sempre que você puder, e veja por si como vai indo a sua orientação.
E se quer mais um aviso de amigo velho, cada noite acrescente esta pergunta a você mesmo, depois de sua oração para o repouso:
- Que fiz hoje de bom que somente um amigo de Jesus conseguiria fazer?
IRMÃO X

Peso e Medidas








Peso e Medidas



Bem-aventurados os que têm sede de justiça, porque serão saciados. Essa afirmativa de Jesus nos faz pensar se podemos nos incluir no número dos que têm sede de justiça.
Segundo os dicionários, justiça quer dizer conformidade com o direito. Virtude de dar a cada um o que é seu.
Jesus, no entanto, se referiu à justiça recomendando que fizéssemos ao próximo o que gostaríamos que o próximo nos fizesse.
Todavia, nós que, tantas vezes, temos cobrado da Divindade que sacie a nossa sede de justiça, se analisarmos profundamente, não estamos verdadeiramente com sede de justiça, no real sentido do termo.
No convívio diário, muitas vezes nos surpreendemos agindo de forma injusta.
O trato com as pessoas que nos rodeiam é diferenciado conforme a posição social ou financeira, de subalternidade ou de autoridade, de que cada uma esteja investida.
Se nos dirigimos à serviçal que faz a faxina, por exemplo, falamos de determinada forma, num tom de voz e atenção distinto do que empregamos para falar com pessoas que ocupam cargos que, a nosso ver, são mais importantes.
Se a pessoa que nos procura está vestida com trajes elegantes, mesmo que não saibamos de quem se trate, a nossa deferência é imediata.
Mas, se está envolta em andrajos, bem diferente é a nossa atenção.
Outro exemplo, é quando nosso veículo começa a demonstrar sinais de que em breve terá o motor fundido. Qual a primeira idéia que nos vem à mente?
Se fôssemos pessoas justas, certamente faríamos uma boa revisão reparando os danos e, ao ofertá-lo a alguém, no caso de venda, falaríamos a verdade ao comprador.
Mas o que normalmente ocorre é a idéia de passá-lo adiante o mais rápido possível. E quem comprá-lo que fique com o prejuízo. Afinal, o mundo é dos espertos, pensamos.
Mas nos dizemos pessoas justas.
Se o inverso acontece conosco, imediatamente nos indignamos diante do que chamamos uma grande desonestidade. Como pôde alguém nos vender um veículo prestes a fundir o motor? Que injustiça!
Se observamos os governantes corruptos a tirar vantagens pessoais com os recursos públicos, imediatamente levantamos a voz para criticar e exigir justiça.
Mas, quantos de nós compramos atestados falsos para ludibriar o patrão e receber o salário integral?
Usamos, nos vários momentos, dois pesos e duas medidas. E como nos conhecemos, sabemos porque agimos dessa maneira. Sabemos quais são as nossas verdadeiras intenções.
Assim, podemos nos perguntar: Será que temos mesmo sede de justiça? Ou será que nos pesos e medidas só temos pensado em nós mesmos?
A promessa do Cristo é real e se cumprirá quando efetivamente tivermos sede de justiça, usando, como a Justiça Divina, um único peso e uma única medida, com imparcialidade.
* * *
Os Espíritos superiores recomendam que, caso tenhamos dúvidas quanto ao procedimento que devamos adotar com alguém, que nos coloquemos no lugar desse alguém e façamos exatamente o que desejaríamos que nos fosse feito.
Dessa forma, jamais nos equivocaremos, uma vez que todos queremos o melhor para nós mesmos.
Pensemos nisso!e Medidas





Cliquem para Escutar


A Esperança




A Esperança

Há dias que temos a impressão de que chegamos no fim do caminho. Olhamos para frente e não vislumbramos mais saída. Não há uma luz no fim do túnel, e não há também nenhuma possibilidade de volta.
Parece que todos os nossos projetos, nossos objetivos, foram levados para bem distante, e estamos sem possibilidade de alcançá-los.
Parece mesmo que o outono da existência fez com que secassem as nossas esperanças e o vento forte do inverno varresse das nossas mãos todos os sonhos acalentados.
A morte vem e arrebata os afetos da nossa alma deixando-nos o coração dilacerado.
Sentimo-nos perdidos. Não sabemos que rumo tomar. Ficamos atônitos.
Sentimo-nos como uma árvore ressecada, sem folhas, sem brilho, sem motivo para viver. É a desesperança.
De repente, como acontece com a natureza, a primavera muda toda a paisagem. As árvores secas enchem-se de brotos verdes, e logo estão cobertas de folhas e flores.
O tom acinzentado cede lugar às cores verdes de tonalidades mil. É a esperança.
Os entes caros, que nos antecederam na viagem de retorno à Pátria Espiritual, um dia estarão novamente junto aos nossos corações saudosos, num abraço de carinho e afeição.
Tudo em a natureza volta a sorrir. A relva verde fica bordada de flores de variados matizes, as borboletas bailam no ar, os pássaros brindam-nos com suas sinfonias harmoniosas. Tudo é vida.
Assim, quando a chama da esperança reacende em nosso íntimo, nossos sonhos desfeitos são substituídos por outros anseios. Nossos objetivos se modificam e o entusiasmo nos invade a alma.
Jesus, o Sublime Galileu, falou-nos da esperança no Sermão da Montanha, com o suave canto das bem-aventuranças.
Exemplificou-a nos Seus ditos e feitos. Enfim, toda Sua mensagem é de esperança.
Se formos visitados por qualquer dissabor e o desespero nos tomar de assalto, busquemos o nosso Amigo Maior, Jesus, através da oração.
Predispondo-nos pela prece, a ajuda chegará certamente, como suave bálsamo a penetrar nas fibras mais íntimas do nosso ser, dando-nos alento e tranquilidade.
Se a desesperança acercar-se de nós, lembremos o Amigo Celeste a nos dizer: Meu fardo é leve, meu jugo é suave.
Se Seu jugo é suave, por que não O aceitamos?
Se Seu fardo é leve por que não O conduzimos?
Consideremos que o rigor do inverno pode ser o resultado da nossa falta de cuidado, submetendo-nos ao jugo da mentira, da ambição desmedida, do pessimismo,das queixas sem fim...
Ou talvez a desesperança resulte da nossa própria insensatez, carregando o pesado fardo dos prazeres inferiores, do orgulho, do egoísmo, da ganância, dos vícios de toda ordem, e de outros tantos fardos inúteis que nos sobrecarregam os ombros destroçando-nos as forças.
Dessa forma, em qualquer circunstância, deixemos que a esperança nos invada a alma, confiantes em Deus, que sempre nos dá oportunidades novas para refazermos caminhos, buscando a nossa redenção.
A esperança deve ser uma constante em nossas vidas.
Esperança de melhores dias;
esperança de realizações superiores;
esperança de paz.
* * *
Narra-se que um monge que vivia da mendicância, sem abrigo, recolheu-se numa gruta para o repouso noturno em bela paisagem banhada de luar.
Adormeceu, veio um bandido e lhe furtou a capa de que se utilizava como agasalho.
O frio da madrugada despertou-o e, dando-se conta do infortúnio, porém fascinado pela claridade da lua, aproximou-se da entrada da gruta e, emocionando-se com o que viu, exclamou:
Que bom que o ladrão não me furtou a lua!
E sorrindo, pôs-se a meditar.
Desesperar, nunca!




Clique para Escutar


Não Estrague Seu Dia




Não Estrague Seu Dia


Você já experimentou, alguma vez, aquele amanhecer sombrio, em que tudo lhe parece amargo?
Esses dias aparentemente têm os mesmos aspectos para todos nós, mas são vividos de maneira diferente por cada indivíduo.
Alguns ficam tristes e quase calados. Buscam isolar-se para evitar qualquer contato com alguém que lhes faça perguntas sobre o que está acontecendo, porque está assim, etc.
Outros deixam o mau humor dirigir seus passos e, em poucos minutos, azedam todo o ambiente em que se encontram. Distribuem gestos bruscos, falam com irritação, respondem com azedume, culpam os outros por tudo de errado que acontece.
E a resposta para comportamentos desse tipo logo se faz sentir no organismo, em forma de azia, enxaqueca, dores musculares, entre outros males.
E o pior de tudo é que nem sabemos o porquê de tanta irritação. Não paramos um pouco para meditar sobre a situação em que nos encontramos, nem para mudar o curso dos acontecimentos.
De maneira irrefletida, estragamos o nosso dia movidos por um estado d´alma que nos toma de assalto e no qual nos deixamos mergulhar, sem refletir.
Passados esses momentos amargos, fica uma desagradável sensação de mal-estar, de indisposição, de sentimentos feridos, de relacionamento comprometido.
Assim, se você sentir que está diante de uma manhã sombria, de um momento amargo, vale a pena tomar medidas urgentes para não se deixar cair nas armadilhas.
Se ainda está em casa, faça uma prece antes de sair.
Se estiver no trabalho, busque um local que lhe permita ficar só por um instante, respire fundo e eleve o pensamento a Deus, rogando forças e discernimento para não se deixar levar por circunstâncias desagradáveis.
Lembre-se, sempre, que todos temos momentos difíceis, e que só depende de nós complicá-los ainda mais, ou sair deles com sabedoria e bom senso.
Lembre-se, ainda que, por mais difícil que esteja a situação, ela será tragada pelas horas e substituída por momentos mais leves e mais felizes.
Por essa razão, nunca valerá a pena estragar o seu dia.
* * *
Não estrague o seu dia.
A sua irritação não solucionará problema algum.
As suas contrariedades não alteram a natureza das coisas.
Os seus desapontamentos não fazem o trabalho que só o tempo conseguirá realizar.
O seu mau humor não modifica a vida.
A sua dor não impedirá que o sol brilhe amanhã sobre os bons e os maus.
A sua tristeza não iluminará os caminhos.
O seu desânimo não edificará a ninguém.
As suas lágrimas não substituem o suor que você deve verter em benefício da sua própria felicidade.
As suas reclamações, ainda mesmo afetivas, jamais acrescentarão nos outros um só grama de simpatia por você.
Não estrague o seu dia.
Aprenda, com a Sabedoria Divina, a desculpar infinitamente, construindo e reconstruindo sempre para o infinito Bem.




Clique Para Escutar

Você é Especial








Você é Especial

Você pode ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não se esqueça de que sua vida é a maior empresa do mundo.
Só você pode evitar que ela vá à falência.
Há muitas pessoas que precisam, admiram e torcem por você.
É importante que você sempre se lembre de que ser feliz não é ter um céu sem tempestades, caminhos sem acidentes, trabalhos sem fadigas, relacionamentos sem decepções.
Ser feliz é encontrar força no perdão, esperança nas batalhas, segurança no palco do medo, amor nos desencontros.
Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso, mas refletir sobre a tristeza.
Não é apenas comemorar o sucesso, mas aprender lições nos fracassos.
Não é apenas ter júbilo nos aplausos, mas encontrar alegria no anonimato.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz não é uma fatalidade do destino, mas uma conquista de quem sabe viajar para dentro do seu próprio ser.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
É beijar os filhos, curtir os pais e ter momentos poéticos com os amigos, mesmo que eles nos magoem.
Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples que mora dentro de você.
É ter maturidade para falar: “eu errei”.
É ter ousadia para dizer “me perdoe”.
É ter sensibilidade para confessar: “eu preciso de você”.
Ser feliz é ter a capacidade de dizer “eu te amo”.
Desejo que a vida seja um canteiro de oportunidades para você…
Que nas suas primaveras você seja amante da alegria.
Que nos seus invernos seja amigo da sabedoria.
E, quando você errar o caminho, recomece tudo de novo.
Pois assim você será cada vez mais apaixonado pela vida.
E descobrirá que ser feliz não é ter uma vida perfeita, mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância.
Aproveitar as perdas para refinar a paciência, as falhas para esculpir a serenidade.
Usar a dor para lapidar o prazer e os obstáculos para abrir as janelas da inteligência.
Jamais desista de si mesmo.
Jamais desista das pessoas que você ama.
Jamais desista de ser feliz, pois a vida é um espetáculo imperdível.
Porque você, você é especial!
Pessoas especiais sabem dividir seu tempo com os outros.
São honestas nas atitudes, são sinceras e compassivas, e sabem que o amor é parte de tudo.
Pessoas especiais têm coragem de se doar aos outros, sem nenhum interesse oculto.
Não têm medo de ser vulneráveis, acreditam que são únicas e gostam de ser quem são.
Pessoas especiais se importam com a felicidade dos outros e os ajudam a conquistá-la.
Pessoas especiais são aquelas que realmente tornam a vida mais bela e mais feliz.




Clique para Escutar


Deus Não Tem Pressa







Deus Não Tem Pressa



Você já se deu conta de que Deus não tem pressa?
A pressa é um dos maiores males dos tempos modernos. É como se a Humanidade desejasse acelerar os acontecimentos num período de tempo muito curto.
E a educação das nossas crianças não foge à regra.
Quando nosso filho procede com infantilidade aos cinco anos de idade, por exemplo, dizemos: Por que não se comporta como um homenzinho?
Qualquer pessoa sensata sabe que ele não é um homenzinho. Mas queremos que a criança aja como adulto, não porque seja bom para ela, mas porque é conveniente para nós. Talvez não porque achemos isso certo, mas porque estamos impacientes.
Roubamos os nossos filhos quando os fazemos atravessar às pressas a infância. Também a nós logramos porque perdemos a oportunidade de nos deixar contagiar pela sua inocência, sua curiosidade espontânea, sua admiração natural, sua alegria sem restrições.
Muitas vezes, a nossa impaciência impede o desenvolvimento de grandes inteligências e de grandes almas, porque esquecemos de que a assimilação do bem é um processo lento.
Certa vez, um pai perguntou ao Diretor de uma Universidade se o Currículo Escolar não poderia ser simplificado para que seu filho pudesse ir por um caminho mais curto.
Sem dúvida, respondeu o educador. Tudo depende, porém, do que o senhor queira fazer do seu filho. Quando Deus quer fazer um carvalho, por exemplo, leva cem anos. Quando quer fazer uma abóbora, precisa apenas de três meses.
É comum nos esquecermos de que as engrenagens das nossas vidas estão interligadas com as do Criador. Assim sendo, como os dentes das engrenagens dos planos de Deus são mais fortes do que os das nossas, quando aceleramos mais que Deus, as nossas se quebram. E por essa razão, cansamo-nos, despedaçamo-nos.
A natureza nos oferece muitas indicações de que o nosso ritmo alucinado não é normal.
Quando saímos dos lugares superlotados, fugimos dos horários e andamos por entre as árvores que crescem devagar e as montanhas silenciosas que parecem estar sempre tranquilas, absorvemos um pouco da serenidade e da calma da natureza.
No entanto, não devemos confundir paciência com passividade, inércia, e esperar que tudo seja feito por nós. Paciência é determinação de começar cedo a empregar o tempo para realizar coisas úteis.
A melhor ilustração de tudo isso pode ser o caso da menina que disse à mãe, logo depois que uma senhora de cabelos brancos saiu de sua casa: Se eu pudesse ser uma velha assim, tão simpática e tão boazinha, não me importaria de envelhecer.
Está muito bem, respondeu a mãe. Se você quer ser uma velha assim, convém começar desde já, pois ela não ficou assim às pressas.
* * *
O Sol leva todo o tempo que lhe é necessário para nascer e se pôr. Não é possível apressá-lo.
O gelo no lago se derreterá quando a temperatura do ar for apropriada.
As aves migratórias chegarão e partirão quando estiverem prontas para isso.
Até as invenções, sobre as quais o homem aparentemente exerce absoluto controle, só chegam no tempo próprio, quando a oportunidade amadureceu e a cultura está pronta para recebê-las.
Uma vez mais o Mestre de Nazaré tinha razão ao dizer: Primeiro a erva, depois a espiga, e, por último, o grão cheio na espiga.
Quis com isso dizer que tudo vem a seu tempo, sem pressa nem desespero.
Pensemos nisso!



Clique para Escutar ..


As Quatro Estação da Vida





As Quatro Estação da Vida


Você já notou a perfeição que existe na natureza? Uma prova incontestável da harmonia que rege a Criação. Como num poema cósmico, Deus rima a vida humana com o ritmo dos mundos.
Ao nascermos, é a primavera que eclode em seus perfumes e cores. Tudo é festa. A pele é viçosa. Cabelos e olhos brilham, o sorriso é fácil. Tudo traduz esperança e alegria.
Delicada primavera, como as crianças que encantam os nossos olhos com sua graça. Nessa época, tudo parece sorrir. Nenhuma preocupação perturba a alma.
A juventude corresponde ao auge do verão. Estação de calor e beleza, abençoada pelas chuvas ocasionais. O sol aquece as almas, renovam-se as promessas.
Os jovens acreditam que podem todas as coisas, que farão revoluções no mundo, que corrigirão todos os erros.
Trazem a alma aquecida pelo entusiasmo. São impetuosos, vibrantes. Seus impulsos fortes também podem ser passageiros... como as tempestades de verão.
Mas a vida corre célere. E um dia - que surpresa - a força do verão já se foi.
Uma olhada ao espelho nos mostra rugas, os cabelos que começam a embranquecer, mas também aponta a mente trabalhada pela maturidade, a conquista de uma visão mais completa sobre a existência. É a chegada do outono.
Nessa estação, a palavra é plenitude. Outono remete a uma época de reflexão e de profunda beleza. Suas paisagens inspiradoras - de folhas douradas e céus de cores incríveis - traduzem bem esse momento de nossa vida.
No outono da existência já não há a ingenuidade infantil ou o ímpeto incontido da juventude, mas há sabedoria acumulada, experiência e muita disposição para viver cada momento, aproveitando cada segundo.
Enfim, um dia chega o inverno. A mais inquietante das estações. Muitos temem o inverno, como temem a velhice. É que esquecem a beleza misteriosa das paisagens cobertas de neve.
Época de recolhimento? Em parte. O inverno é também a época do compartilhamento de experiências.
Quem disse que a velhice é triste? Ela pode ser calorosa e feliz, como uma noite de inverno diante da lareira, na companhia dos seres amados.
Velhice também pode ser chocolate quente, sorrisos gentis, leitura sossegada, generosidade com filhos e netos. Basta que não se deixe que o frio enregele a alma.
Felizes seremos nós se aproveitarmos a beleza de cada estação. Da primavera levarmos pela vida inteira a espontaneidade e a alegria.
Do verão, a leveza e a força de vontade. Do outono, a reflexão. Do inverno, a experiência que se compartilha com os seres amados.
A mensagem das estações em nossa vida vai além. Quando pensar com tristeza na velhice, afaste de imediato essa ideia.
Lembre-se que após o inverno surge novamente a primavera. E tudo recomeça.
Nós também recomeçaremos. Nossa trajetória não se resume ao fim do inverno. Há outras vidas, com novas estações. E todas iniciam pela primavera da idade.
Após a morte, ressurgiremos em outros planos da vida. E seremos plenos, seremos belos. Basta para isso amar. Amar muito.
Amar as pessoas, as flores, os bichos, os mundos que giram serenos. Amar, enfim, a Criação Divina. Amar tanto que a vida se transforme numa eterna primavera.
Redação do Momento Espírita



Clique para Escutar

Perda de Afetos







Perda de Afetos

Quando a morte arrebata do convívio um ser amado, algumas pessoas perdem a vontade de viver.

De uma forma até egoísta, esquecem os que convivem no mesmo lar e se enclausuram na pr6pria dor.

Não se dão conta que, agindo assim, maltratam os corações que os amam e que, exatamente como eles, sofrem a ausência daquele que partiu para a Pátria verdadeira.

Assim aconteceu com Hamilton, um trabalhador dos Correios. Ele era muito feliz. Pai dedicado, costumava chegar em casa e ler hist6rias para seus filhos.

À noite, antes de adormecerem, beijava-os e com eles orava, rogando a proteção dos seres imortais.

Um dia, a morte veio e ceifou a vida do seu menino de sete anos. A partir deste dia, ele começou a realizar com desleixo o seu trabalho, não mais sorriu, não contou mais hist6rias. Tomou-se triste e cabisbaixo. O ambiente no lar foi ficando sempre mais difícil.

Certo dia, separando a correspondência para entrega, descobriu uma carta sem envelope. O destinatário era Jesus. O endereço: Céu.

Curioso, abriu e leu:

Querido Jesus

Resolvi Lhe escrever para pedir uma coisa muito especial. Aqui em casa todos estamos muito tristes: papai, mamãe e eu.

O meu irmãozinho Felipe morreu há alguns meses. Quando ele estava conosco, adorava brincar com seu trem, sua bola e seu caminhãozinho.

Pois é Jesus, eu queria que o Senhor levasse todos esses brinquedos para ele no Céu. Tenho certeza de que ele vai querer continuar a brincar com eles. Acredito que ele sinta falta, principalmente do trem, com que mais brincava.

Outro pedido é que o Senhor traga meu pai de volta. Não que ele tenha ido embora, mas é como se tivesse ido.

É que desde a morte de Felipe, ele não sorri, não conta histórias, nem ora mais comigo.

Eu gostaria muito que meu pai me tomasse nos braços e contasse histórias, como fazia antes.

Eu queria ver meu pai sorrir de novo. É tão bonito o sorriso do meu pai!

Eu queria que, de novo, ele viesse me dizer boa noite, orasse comigo e esperasse eu adormecer.

Era tão bom, Jesus.

Eu ouvi meu pai dizer para minha mãe que só a eternidade poderia curá-lo.

Será que o Senhor poderia trazer um pouquinho disso para ele melhorar? Se for possível, eu ficarei muito feliz.

Assinado: Rita.

O trabalhador dos Correios sentiu os olhos marejarem de lágrimas. Deu-se conta de como, em sua dor, fora egoísta. Esquecera esposa e filha, que também sofriam.

Naquele dia, voltou para casa diferente. Ao chegar, chamou a filha, tomou-a nos braços, estreitou-a ao peito demoradamente, beijou-a e lhe perguntou:

Quer ouvir uma história?

* * *

Quando a dor da separação pela morte nos ferir o coração, não nos recolhamos em concha, desistindo da vida.

A dor deve nos motivar à continuidade da luta diária, principalmente porque guardamos a lição da imortalidade. Os que partiram estão mais próximos de nós do que possamos imaginar. E não nos esqueçamos dos que partilham conosco da mesma dor e de idêntica saudade.

Em nome do amor, não nos tomemos egoístas. Não nos isolemos, nem firamos ainda mais os que, ao nosso lado, aguardam pela migalha do nosso carinho, o sorriso da nossa ternura, nutrindo-se do nosso afeto.




Clique para Escutar ..


Quanto Custa Um Milagre






Quanto Custa Um Milagre



Uma garotinha esperta, de apenas seis anos de idade, ouviu seus pais conversando sobre seu irmãozinho mais novo.
Tudo que ela sabia era que o menino estava muito doente e que estavam completamente sem dinheiro.
Iriam se mudar para um apartamento num subúrbio, no próximo mês, porque seu pai não tinha recursos para pagar as contas do médico e o aluguel do apartamento.
Somente uma intervenção cirúrgica muito cara poderia salvar o garoto, e não havia ninguém que pudesse emprestar-lhes dinheiro.
A menina ouviu seu pai dizer a sua mãe chorosa, com um sussurro desesperado: Somente um milagre poderá salvá-lo.
Ela foi ao seu quarto e puxou o vidro de gelatina de seu esconderijo, no armário. Despejou todo o dinheiro que tinha no chão e contou-o cuidadosamente, três vezes.
O total tinha que estar exato. Não havia margem de erro. Colocou as moedas de volta no vidro com cuidado e fechou a tampa. Saiu devagarzinho pela porta dos fundos e andou cinco quarteirões até chegar à farmácia.
Esperou pacientemente que o farmacêutico a visse e lhe desse atenção, mas ele estava muito ocupado no momento.
Ela, então, esfregou os pés no chão para fazer barulho, e nada! Limpou a garganta com o som mais alto que pôde, mas nem assim foi notada.
Por fim, pegou uma moeda e bateu no vidro da porta. Finalmente foi atendida!
O que você quer? Perguntou o farmacêutico com voz aborrecida. Estou conversando com meu irmão que chegou de Chicago e que não vejo há séculos, disse ele sem esperar resposta.
Bem, eu quero lhe falar sobre meu irmão. Respondeu a menina no mesmo tom aborrecido. Ele está realmente doente... E eu quero comprar um milagre.
Como? Balbuciou o farmacêutico admirado.
Ele se chama Andrew e está com alguma coisa muito ruim crescendo dentro de sua cabeça e papai disse que só um milagre poderá salvá-lo.
E é por isso que eu estou aqui. Então, quanto custa um milagre?
Não vendemos milagres aqui, garotinha. Desculpe, mas não posso ajudá-la. Respondeu o farmacêutico, com um tom mais suave.
Escute, eu tenho o dinheiro para pagar. Se não for suficiente, conseguirei o resto. Por favor, diga-me quanto custa. Insistiu a pequena.
O irmão do farmacêutico era um homem gentil. Deu um passo à frente e perguntou à garota: Que tipo de milagre seu irmão precisa?
Não sei. Respondeu ela, levantando os olhos para ele. Só sei que ele está muito mal e mamãe diz que precisa ser operado. Como papai não pode pagar, quero usar meu dinheiro.
Quanto você tem? Perguntou o homem de Chicago.
Um dólar e onze centavos. Respondeu a menina num sussurro. É tudo que tenho, mas posso conseguir mais se for preciso.
Puxa, que coincidência, sorriu o homem. Um dólar e onze centavos! Exatamente o preço de um milagre para irmãozinhos.
O homem pegou o dinheiro com uma mão e, dando a outra mão à menina, disse: Leve-me até sua casa. Quero ver seu irmão e conhecer seus pais. Quero ver se tenho o tipo de milagre que você precisa.
Aquele senhor gentil era um cirurgião, especializado em neurocirurgia.
A operação foi feita com sucesso e sem custo algum. Alguns meses depois, Andrew estava em casa novamente, recuperado.
A mãe e pai comentavam alegremente sobre a sequência de acontecimentos ocorridos. A cirurgia, murmurou a mãe, foi um milagre real. Gostaria de saber quanto deve ter custado.
A menina sorriu. Ela sabia exatamente quanto custa um milagre...
Um dólar e onze centavos... Mais a fé de uma garotinha...
* * *
Não há situação, por pior que seja, que resista ao milagre do amor.
Quando o amor entra em ação, tudo vence e tudo acalma.
Onde o amor se apresenta, foge a dor, se afasta o sofrimento e o egoísmo bate em retirada.

Redação do Momento Espírita, com base em texto de autoria desconhecida.




Clique para Escutar


O Perfil do Otimismo





O Perfil do Otimismo



Quando as andorinhas, bailarinas ligeiras, dançam no ar, coloridas pelos últimos raios do sol poente, o suave calor da primavera anuncia a chegada alegre das flores e da renovação da vida.
Arrebentam-se as fendas dos velhos muros e morros cansados, deixando que os vegetais surjam em variado verdor e os campos largos se exibam com matizados em festa inigualável.
As mãos mágicas do Celeste Pintor saem derramando tintas e perfumes embriagadores em todo lugar, confirmando seu inefável amor por Suas criaturas.
Os córregos cantam com as águas apressadas e as cachoeiras arrebentam cristais nas pedras resignadas, que os recebem felizes.
Há uma revolução geral, e os dias frios partem, deixando as lembranças tristes sepultadas sem saudades.
Revoadas de aves alegres, incessantemente, bordam os céus com imagens sucessivas de beleza incomum.
A primavera é o otimismo da natureza cantando o poema da estesia de Deus. Enquanto se repita, a aliança de amor permanece entre o homem descuidado e seu Pai zeloso, sustentando a esperança.
Apesar disso, muitas criaturas desanimadas deixam de fitar a claridade do dia primaveril, mergulhadas na noite das suas paixões.
Preferem olhar o chão onde permanece o lodo, a contemplar o alto onde fulguram as estrelas. Por isso, tornam-se torpes, amarguradas, perturbadoras.
A vida humana, qual ocorre com a da natureza, passa por quadras variadas que se sucedem em ordem de grandeza, servindo uma de base à outra, indispensáveis à harmonia de conjunto.
A noite, que convida ao repouso, enseja a reflexão para o dia, que propicia a ação.
O inverno, que parece destruidor, também enseja a preservação da energia, que estrugirá em vida na primavera.
A criatura humana é o mais grandioso investimento de Deus na Terra, e ser otimista quanto ao futuro, mesmo que haja dificuldades no presente, é o mínimo que lhe cabe, como afirmação da sua realidade e gratidão ao seu Criador.
Quem pretende conservar tristeza no coração, encontrará sempre motivos falsos para sustentá-la, acalentando a queixa, cultivando a desdita e nutrindo-se da insatisfação.
O otimismo é gerador de adrenalina emocional, que estimula o sangue, impulsionando ao avanço, à alegria fomentadora da ação.
Cultivando-o nos sentimentos, adquire-se visão para penetrar o lado oculto ou sombrio das ocorrências e entusiasmo para não desfalecer ante os primeiros insucessos da marcha, prelúdios das vitórias futuras.
Quem não possui capacidade para sustentar com valor os embates fracassados, não tem condições para viver as grandes e decisórias batalhas.
Nos céus dos que amam e confiam em Deus com otimismo, sempre haverá andorinhas bailando em prenúncio de gloriosas primaveras.
* * *
O homem deve impor-se a tarefa de abrir janelas de otimismo nas salas onde dominam tristezas e arejar espaços escuros de pessimismo mediante o aroma da esperança.
Redação do Momento Espírita,


Clique Para Escutar !!





domingo, 26 de agosto de 2012

Sintonia e Pensamentos


Sintonia e Pensamentos


A PRIMEIRA MENSAGEM DE EURÍPEDES BARSANULFO









A PRIMEIRA MENSAGEM DE EURÍPEDES BARSANULFO


Primeira mensagem transmitida à Francisco Cândido Xavier, em 30/04/1950, pelo espírito de Eurípedes Barsanulfo.

Aos Companheiros de Ideal

Aos queridos amigos do Triângulo Mineiro:

A nossa marcha continua e, como sempre, irmãos meus, confirmo a promessa de seguir convosco até a suprema vitória espiritual.

Os anos correm incessantemente, a morte estabelece apreciáveis modificações, as paisagens se transformam, todavia, nossa confiança em Deus permanece inabalável.

Somos numerosa caravana em serviço das divinas realizações.

Velhos amigos nossos, ouvindo-me a palavra, sentirão os olhos úmidos. Para vós que ainda permaneceis na Terra, a travessia dos obstáculos parece mais dolorosa. As saudades orvalhadas das lágrimas vicejam ao lado das flores da esperança. As recordações represam-se na alma. Alguns companheiros estacionaram em caminho, atraídos pelo engano do mundo ou esmagados pelo desalento; não foram poucos os que desanimaram, receosos da luta. Por isso mesmo, as dificuldades se fizeram mais duras, a jornada mais difícil.

Mas a nós, que temos sentido e recebido a bênção do Senhor, no mais íntimo d’alma, não será lícito o repouso.

Nossas mãos continuam enlaçadas na cooperação pelo engrandecimento da verdade e do bem, e minha saudade, antes de ser um sofrimento é um perfume do céu. No coração vibram nossas antigas esperanças e continuamos a seguir, a seguir sempre, no ideal de sublime unificação com o Divino Mestre.

Tenhamos para com os nossos irmãos ainda frágeis, a ternura do amor que examina e compreende. As ilusões passam como os rumores do vento. Prossigamos, desse modo, com a verdade, para a verdade.

Falando-vos em nome de companheiros numerosos da espiritualidade, assinalo a nossa alegria pelo muito que já realizasteis, no entanto, amigos, outras edificações nos esperam, requisitando-nos o esforço. É preciso contar com os tropeços de toda sorte. O obstáculo sempre serviu para medir a fé, e o espírito de inferioridade nunca perdoou as árvores frutíferas. Quase toda gente deixa em paz o arbusto espinhoso a fim de atacar a árvore generosa, que estende os ramos em frutos aos viajantes que passam fatigados. A sombra, muita vez, ameaçará ainda os nossos esforços, os espinhos surgirão, inesperadamente, na estrada, a incompreensão cruel aparecerá, de surpresa. Conservemos porém, a limpidez de nosso horizonte espiritual, como quem espera as dificuldades, convictos de que a vida real se estende muito além dos círculos acanhados da Terra. Guardando a energia de nossa união, dentro da sublimidade do ideal, teremos à frente o archote poderoso da fé que remove montanhas. Quando o desânimo vos tente, intensificai os passos na estrada da realização. Não esperemos por favores do mundo, quando o próprio Jesus não os teve. A paz na Terra, muitas vezes, não merece outro nome, além de ociosidade. Procuremos, pois a paz de Cristo que excede o entendimento das criaturas. Semelhante vitória somente poderá ser conquista através de muita renúncia aos caprichos que nos ameaçam a marcha. Não seria justo aguardar as vantagens transitórias do plano material, quando o trabalho áspero ainda representa a nossa necessidade e o nosso galardão.

Jamais vos sintais sozinhos na luta. Estamos convosco e seguiremos ao vosso lado. Invisibilidade não significa ausência.

O Mestre espera que façamos do coração o templo destinado à sua Presença Divina.

Enche-vos o mundo de sombras? Verificam-se deserções, dissabores, tempestades? Continuemos sempre. Atendamos ao programa de Cristo. Que ninguém permaneça nas ilusões venenosas de um dia.

Deste “Outro Lado” da vida, nós vos estendemos as mãos fraternas. Unindo-nos mais intensamente no trabalho, em vão rugirá a tormenta. Jamais vos entregueis à hesitação ou ao desalento, porque, ao nosso lado, flui a fonte eterna das consolações com o amor de Jesus Cristo.




Humildade x Orgulho









Humildade x Orgulho

Você já deve ter ouvido muitas vezes a
palavra humildade, não é mesmo?
Essa palavra é muito usada, mas nem
todas as pessoas conseguem entender o seu verdadeiro significado. O termo humildade
vem de húmus, palavra de origem latina
que quer dizer terra
fértil, rica em nutrientes e preparada para
receber a semente.
Assim, uma pessoa humilde está sempre
disposta a aprender e deixar brotar no solo
fértil da sua alma, a boa semente.
A verdadeira humildade é firme, segura,
sóbria, e jamais compartilha com a hipocrisia
ou com a pieguice.
A humildade é a mais nobre de todas as
virtudes pois somente ela predispõe o seu
portador, à sabedoria real.
O contrário de humildade é orgulho, porque
o orgulhoso nega tudo o que a humildade
defende. O orgulhoso é soberbo, julga-se
superior e esconde-se por trás da falsa
humildade ou da tola vaidade.
Alguns exemplos talvez tornem mais claras
as nossas reflexões.
Quando, por exemplo, uma pessoa humilde
comete um erro, diz: " eu me equivoquei", pois
sua intenção é de aprender, de crescer.
Mas quando uma pessoa orgulhosa comete
um erro, diz: " não foi minha culpa",
porque se acha acima de qualquer suspeita.
A pessoa humilde trabalha mais que a
orgulhosa e por essa razão tem mais tempo.
Uma pessoa orgulhosa está sempre
"muito ocupada" para fazer o que é necessário.
A pessoa humilde enfrenta qualquer
dificuldade e sempre vence os problemas.
A pessoa orgulhosa dá desculpas,
mas não dá conta das suas obrigações e
pendências. Uma pessoa humilde se
compromete e realiza.
Uma pessoa orgulhosa se acha perfeita.
A pessoa humilde diz: " eu sou bom, porém
não tão bom como eu gostaria de ser".
A pessoa humilde respeita aqueles que lhe são superiores e trata de aprender algo com todos.
A orgulhosa resiste àqueles que lhe são
superiores e trata de pôr-lhes defeitos.
O humilde sempre faz algo mais, além da sua obrigação. O orgulhoso não colabora, e
sempre diz: " eu faço o meu trabalho".
Uma pessoa humilde diz: " deve haver uma
maneira melhor para fazer isto, e eu vou
descobrir". A pessoa orgulhosa afirma:
" sempre fiz assim e não vou mudar meu estilo".
A pessoa humilde compartilha suas
experiências com colegas e amigos,
o orgulhoso as guarda
para si mesmo, porque teme a concorrência.
A pessoa orgulhosa não aceita críticas, a
humilde está sempre disposta a ouvir todas
as opiniões e a reter as melhores.
Quem é humilde cresce sempre, quem é
orgulhoso fica estagnado, iludido na falsa
posição de superioridade.
O orgulhoso se diz céptico, por achar que
não pode haver nada no universo que ele
desconheça, o humilde reverencia ao criador,
todos os dias, porque sabe que há muitas
verdades que ainda desconhece.
Uma pessoa humilde defende as idéias que
julga nobres, sem se importar de quem elas
venham. A pessoa orgulhosa defende sempre
suas idéias, não porque acredite nelas,
mas porque são suas.
Enfim, como se pode perceber, o orgulho é
grilhão que impede a evolução das criaturas,
a humildade é chave que abre as portas da
perfeição. Você sabe por quê o mar é tão
grande? Tão imenso? Tão poderoso?
É porque foi humilde o bastante para
colocar-se alguns centímetros abaixo
de todos os rios.
Sabendo receber, tornou-se grande.
Se quisesse ser o primeiro, se quisesse ficar
acima de todos os rios, não seria mar,
seria uma ilha. E certamente estaria isolado.

Os girassóis






Os girassóis


Você já viu um girassol ?

Trata-se de uma flor amarela, muito
grande, que gira sempre em busca do sol.
E é por essa razão que é popularmente
chamada de girassol.
Quando uma pequena e frágil semente
dessa flor brota em meio a outras plantas,
procura imediatamente pela luz solar.
É como se soubesse, instintivamente,
que a claridade e o calor do sol lhe
possibilitarão a vida.
E o que aconteceria à flor se a
colocássemos em uma redoma bem fechada
e escura? Certamente, em pouco tempo,
ela morreria.Assim como os girassóis,
nosso corpo também necessita da luz e
do calor solar, da chuva e da brisa,
para nos manter vivos.
Mas não é só o corpo físico que
precisa de cuidados para que prossiga
firme. O espírito igualmente necessita
da luz divina para manter acesa a
chama da esperança.
Precisa do calor do afeto, da brisa da
amizade, da chuva de bênçãos que vem
do alto.Todavia, é necessário que façamos
esforços para respirar o ar puro, acima
das circunstâncias desagradáveis que nos
envolvem. Muitos de nós permitimos que
os vícios abafem a nossa vontade de
buscar a luz, e definhamos dia-a-dia
como uma planta mirrada e sem vida.
Ou, então, nos deixamos enredar nos
cipoais da preguiça e do amolentamento e
ficamos a reclamar da sorte sem fazer
esforços para sair da situação que nos
desagrada. É preciso que compreendamos
os objetivos traçados por Deus para a
elevação de seus filhos, que somos todos
nós.E para que possamos crescer de acordo
com os planos divinos, o criador coloca
à nossa disposição tudo o de que
necessitamos. É o amparo da família,
que nos oferece sustentação e segurança
em todas as horas.A presença dos
amigos nos momentos de alegria ou
de tristeza a nos amparar os passos
e a nos impulsionar
para a frente. São as possibilidades de
aprendizado que surgem a cada
instante da caminhada
tornando-nos mais esclarecidos e
preparados para decidir qual o melhor
caminho a tomar.
Mas, o que acontece conosco quando nos
fechamos na redoma escura da depressão
ou da melancolia e assim permanecemos
por vontade própria?
É possível que em pouco tempo nossas
forças esmoreçam e não nos permitam
sequer gritar por socorro.
Por essa razão, devemos entender que
Deus tem um plano de felicidade para
cada um de nós e que, para alcançá-lo,
é preciso que busquemos os recursos
disponíveis.É preciso que imitemos o
girassol. Que busquemos sempre a luz,
mesmo que as trevas insistam em nos
envolver.É preciso buscar o apoio
da família nos momentos em que nos
sentimos fraquejar. É preciso rogar o
socorro dos verdadeiros amigos
quando sentimos as nossas forças
enfraquecendo.
É preciso, acima de tudo, buscar a luz
divina que consola e esclarece, ampara e
anima em todas as situações.
Quando as nuvens negras dos pensamentos tormentosos cobrirem com escuro véu o
horizonte de tuas esperanças, e o convite
da depressão rondar-te a alma, imita os
girassóis e busca respirar o ar puro,
acima das circunstâncias desagradáveis.
Quando as dificuldades e os problemas se
fizerem insuportáveis, tentando
sufocar-te a disposição para a luta,
lembra-te dos girassóis e busca a luz
divina através da oração sincera.

Memórias de um exilado de capela






Memórias de um exilado de capela

Em meio ao Universo infinito,
brilha uma estrela tão bela!
Foi meu lar um dia minha querida capela!
Imigrantes companheiros, que comigo de lá
partiram arrastados pelo turbilhão, forçados a
buscar nos diferentes mundos, testemunhos de renovação. Lembro-me ainda quando aqui chegamos...Havia muito desespero em face ao incompreendido! Restava apenas a intuição vaga,
de um paraíso perdido. Olhos arregalados, observando figuras primitivas da evolução, caminhando por entre nós sem nos dar atenção.
Em meio a dúvida que me assombrava...
Não sabia se estava acordado ou se sonhava.
Muito tempo se passou entre lágrimas e lamentações...Séculos, representavam para
os nossos corações.
Eis que em meio as trevas, a luz se fez...
Uma criatura iluminada, dirigiu-nos a
palavra com divina altivez.
Ressoando como um trovão, sua voz doce e
serena se fez ouvir em toda região:
" Meus irmãos...Jamais nosso Pai condenará
seus filhos ao sofrimento eterno!
É no mundo intimo de vossas imperfeições,
que tem se erguido o inferno.
Exilados hoje de um paraíso, cultivem vossa esperança! Poderão construir outro,
neste mundo que ainda é uma criança.
Reencarnarão em meios primitivos ajudando
o progresso, recapitulando vossas lições sob
infalível processo. Estarei sempre convosco,
farei com que reencarne em vossos meios,
os meus emissários, para que nunca vos falte
os recursos necessários.
Encarnarei entre vós na posteridade, e marcarei roteiro seguro para a vossa felicidade."
Depois de ouvir estas palavras, que nos
abasteceu de esperanças, fatos ocorridos
em Capela surgiram em minhas lembranças.
Há muito pessoas humildes pregavam o desterro
das almas impuras, eu sorria debochava,
para mim eram pobres criaturas.
Falavam de um Deus de amor, pregavam a
caridade e a humildade, meu Deus,
como não pude ver a verdade?
Agora estávamos ali, como crianças em idade
escolar, falhamos nos exames, teríamos que
recomeçar. Hoje, após milênios de minha estada
neste planeta de provação...Sinto próximo os
dias de idêntica transição. Seguindo a rota
evolutiva, perfeita e tão bela, aqui se repetirá
a mesma cena de Capela.
Mas algo se modificou, não sinto nenhum temor!
Hoje eu sou a pobre criatura falando de um
Deus de amor!

( Nelson Moraes )





Os Exilados de Capela (LIVRO) É uma obra extraordinária que trata das questões dos espíritos; chegando a inquietante assertiva: A evolução espiritual de uma humanidade teve sua continuidade em nosso primitivo planeta TERRA "Planeta de provas e expiações" caminhando para " REGENERAÇÃO" e depois para "MAIORIDADE"







Comunicabilidade dos Espíritos:






Comunicabilidade dos Espíritos:

Os espíritos são seres humanos desencarnados.
Eles são o que eram quando vivos: bons ou maus,
sérios ou brincalhões, trabalhadores ou preguiçosos,
cultos ou medíocres, verdadeiros ou mentirosos.
Eles estão por toda parte. Não estão ociosos.
Pelo contrário, eles têm as suas ocupações,
como nós, os encarnados temos as nossas.
Não há lugar determinado para os espíritos.
Geralmente os mais imperfeitos estão junto
de nós, por causa de nossas imperfeições.
Não os vemos, pois se encontram numa
dimensão diferente da nossa,
mas eles podem ver-nos e até conhecer nossos
pensamentos. Os espíritos agem sobre nós,
mas essa ação é quase que restrita ao pensamento,
porque eles não conseguem agir diretamente
sobre a matéria. Para isso, eles precisam de pessoas
que lhes ofereçam recursos especiais;
essas pessoas são chamadas médiuns.
Pelo médium, o espírito desencarnado pode
comunicar-se, se puder e se quiser.
Essa comunicação depende do tipo de
mediunidade ou de faculdade do médium:
pode ser pela fala (psicofonia), pela escrita
(psicografia) , por batidas (tiptologia), etc.
Mas toda e qualquer comunicação não deve
ser aceita cegamente; precisa ser encarada com
reserva, examinada com o devido cuidado, para
não sermos vitimas de espíritos enganadores.
A comunicação depende da conduta moral
do médium. Se for uma pessoa idônea, de bons
princípios morais, oferece campo para a
aproximação e manifestação de bons espíritos.
Chico Xavier, por exemplo, era um bom médium,
pelas qualidades morais de que era portador.
A doutrina Espírita alerta as pessoas muito
crédulas contra as mistificações e os falsos
médiuns, que tentam iludir o público menos
avisados em troca de vantagens materiais.
Por isso, é importante que antes de ouvir
uma comunicação, a pessoa esclareça
a respeito do Espiritismo.

Allan Kardec


Mundos Transitórios






Mundos Transitórios

234. Como já foi dito,
existem mundos que servem de estações
e pontos de repouso de espíritos?
_”Sim. Há mundos destinados especialmente
aos seres errantes, mundos nos quais podem
eles viver temporariamente. São espécies de
bivaques ou campos de repouso após uma erraticidade muito longa, que é um estado
sempre penoso. São posições intermediarias
entre outros mundos, graduados conforme a
natureza dos espíritos que lhes tem acesso e
onde gozam de maior ou menor bem-estar.”
_Podem os espíritos que os habitam
deixá-los a vontade?
_”Sim. Os que nele se encontram podem sair, dirigindo para onde devem ir. Imaginai as
aves de arribação, que descem sobre uma ilha
a fim de retemperarem as forças e
seguir o seu destino.”
235. Progridem os espíritos durante sua
permanência nesses mundos transitórios?
_”Certamente.
Os que assim se reúnem o fazem com o
fito de instruírem e de poderem
mais facilmente obter permissão para
ir a lugares melhores e atingir a
posição dos eleitos.”
236. Por sua natureza especial, são os mundos transitórios perpetuamente destinados
aos espíritos errantes?
_”Não. Sua posição é apenas temporária.”
_ São habitados simultaneamente
por seres corpóreos?
_” Não. Sua superfície é estéril. Os que os
habitam, de nada precisam.”
_ Essa esterilidade é permanente ou decorre
de sua natureza especial?
_” Não. Sua esterilidade é transitória.”
_Então esses mundos são desprovidos de
belezas naturais?
_” A natureza se traduz pelas belezas da imensidade, não menos admiráveis que as que chamais de belezas naturais.”
_ Desde que é transitório o estado desses
mundos, nossa Terra estará um dia nesse
numero?_” Já esteve.”
_ Em que época?
_”Durante a sua formação.”

Allan Kardec

Da reencarnação







Da reencarnação



166. Como pode acabar de se depurar a alma
que não atingiu a perfeição durante a vida?
_ “ Submetendo-se à prova de uma nova
existência.”_Como realiza a alma essa nova
existência? Será por sua transformação como Espírito?_”Depurando-se sem duvida sofre
a alma uma transformação: mas para tanto
lhe é necessária a prova da vida corpórea.”
_Tem, pois, a alma varias existências
corpóreas?_”Sim: todos nos temos varias
existência. Os que dizem contrario vos quer
manter na mesma ignorância em que se acham :
é a sua vontade.”
_Deste principio parece decorrer que, depois
de haver deixado um corpo, a alma toma
um outro; por outras palavras ela se reencarna
em um outro corpo.
É assim que deve se entender.
_ “Evidentemente.”
167. Qual o fim da reencarnação?
_”Expiação; melhoramento progressivo da humanidade. Sem isso onde estaria a justiça?”
168. É limitado numero de existências
corporais ou o espírito se reencarna
perpetuamente?
_” Em cada nova existência o espírito dá um
passo na via do progresso. E quando se houver despojado de todas as impurezas, não mais necessitará das provas da vida corpórea.”
169. O numero de reencarnações é o mesmo
para todos os espíritos?
_”Não. Aquele que avança rapidamente evita
provas. Contudo, essas encarnações sucessivas
são sempre muito numerosas, porque o
progresso é quase infinito.”
170. Em que se torna o espírito após a ultima encarnação?
_ “ Espírito feliz: é um puro espírito.”

" Treho extaido do
Livro dos Espíritos "
Allan Kardec

Estudo da Doutrina Espírita







Estudo da Doutrina Espírita


Como já dissemos, os próprios seres manifestantes dizem que são Espíritos ou Gênios e que alguns deles, pelo menos, foram homens que viveram na Terra; constituem o mundo espiritual, como nós,
na vida, constituímos o mundo corpóreo.
Damos aqui, em poucas palavras, os pontos principais da doutrina que nos transmitiram, no propósito de mais facilmente responder a certas objeções dos incrédulos.
“Deus é eterno, imutável imaterial, único, todo-poderoso, soberanamente justo e bom.”
“Criou o universo, que compreende todos os seres animados e inanimados, materiais e imateriais.”
“Os seres materiais constituem o mundo visível
ou corpóreo e os imateriais o mundo invisível
ou espírita, isto é, dos Espíritos,”
“O mundo espírita é o mundo normal, primitivo,
eterno preexistente e sobrevivente a tudo.”
“O mundo corpóreo é apenas secundário; poderia deixar de existir ou jamais ter existido, sem que se alterasse a essência do mundo espírita.”
“Os Espíritos revestem-se temporariamente de um
invólucro material perecível, cuja destruição pela morte lhes devolve a liberdade.”
“Entre as várias espécies de seres corpóreos, Deus escolheu a espécie humana para a encarnação de Espíritos já chegados a um certo grau de desenvolvimento; e é isto que lhes dá superioridade moral e intelectual sobre todos os outros.”
“A alma é um Espírito encarnado cujo corpo
é apenas um envoltório.”
Há no homem três coisas:
1º) o corpo ou ser material;
2º) a alma ou ser imaterial,
Espírito encarnado no corpo;
3º) o laço que une alma e corpo: o Perispírito
que é o princípio intermediário entre a
Matéria e o Espírito.
Esse “laço” é uma espécie de envoltório semimaterial. A morte é a destruição do envoltório mais grosseiro; o Espírito conserva o outro, que lhe constitui um corpo etéreo, invisível para nós, mas que, acidentalmente, pode tornar-se visível e mesmo, tangível, como é o caso
nos fenômenos das “aparições”.

“Trecho extraído do Livro dos Espíritos”

Progressão dos Espíritos






Progressão dos Espíritos


114. São os Espíritos bons ou maus por natureza ou são eles próprios que se melhoram?
“Eles próprios se melhoram; e melhorando, passam de uma ordem inferior a outra mais elevada.”
115. Entre os Espíritos uns foram criados bons e outros maus?
“Deus criou todos os espíritos simples e ignorantes, isto é, sem ciência. A cada um deu uma missão, com o fim de esclarecê-los e fazê-los chegar, progressivamente, à perfeição pelo conhecimento da verdade e para os aproximar de si. A felicidade eterna e sem mescla para eles está nesta perfeição. Os Espíritos adquirem esses conhecimentos passando por provas que Deus lhes impõe. Uns as aceitam com submissão e chegam mais rapidamente ao fim que lhes é destinado: outros não se submetem sem murmuração e assim, por própria culpa, ficam afastados da perfeição e da felicidade prometida.”
- De acordo com isto não parece que na origem os Espíritos seriam como crianças, ignorantes e sem experiência, mas que depois, pouco a pouco, adquirem os conhecimentos que lhes faltam, percorrendo as diversas fases da vida?
“Sim. A comparação é justa. A criança rebelde fica ignorante e imperfeita; aproveita mais ou menos, conforme sua docilidade. Mas a vida do homem tem um termo, enquanto a dos Espíritos estende-se ao infinito.”
116. Há Espíritos que fiquem perpetuamente nas camadas inferiores?
“Não: todos eles tornar-se-ão perfeitos; mudam de classe embora devagar. Como já dissemos de outra feita, um pai justo e misericordioso não pode banir seus filhos eternamente. Querias que Deus tão grande, tão bom, tão justo, fosse pior do que vós mesmo?”
117. Depende do Espírito apressar a sua marcha para a perfeição?
“Certamente. Chegam mais ou menos rapidamente, conforme seu desejo e sua submissão à vontade de Deus. Uma criança dócil não se instrui mais depressa que outra rebelde?”
118. Os Espíritos podem degenerar?
“Não. À medida que avançam, compreendem o que os afasta da perfeição. Quando o Espírito termina uma prova têm conhecimento e não o esquece. Pode ficar estacionário, mas não regride.”
119. Não podia Deus libertar os Espíritos das provas que devam sofrer para chegarem à primeira classe?
“Se tivessem sido criados perfeitos não teriam mérito para desfrutar os benefícios dessa perfeição. Onde estaria o mérito sem a luta? Aliás, a desigualdade entre eles existente é necessária à sua personalidade. Assim, a missão que realizam nessas diversas classes está nos desígnios da providência para a harmonia do universo.”
Desde que na vida social todos os homens podem chegar aos mais altos postos, seria o caso de perguntar por que o soberano de um país não promove ao posto de general a cada um de seus soldados; por que os empregados subalternos não passam todos a empregados superiores; por que todos os escolares não são mestres. Ora, há entre a vida social e a espiritual a seguinte diferença: a primeira é limitada e nem sempre permite subir todos os degraus enquanto a segunda é limitada e dá a cada um a possibilidade de elevar-se ao posto supremo.

Trecho extraído do “Livro dos Espíritos”
Allan Kardec

De que se trata o Espiritismo?





De que se trata o Espiritismo?

O Espiritismo responde às questões fundamentais
de vida, como estas:
• Quem é você?
• Antes de nascer o que você era?
• Depois da morte, o que você será?
• Porque você está neste mundo?
• Porque umas pessoas sofrem mais que outras?
• Porque alguns nascem ricos e outros pobres?
• Porque alguns nascem cegos, aleijados,
débeis mentais, etc.,
Enquanto outros nascem inteligentes e saudáveis?
• Porque Deus permitiria tamanha desigualdade
entre seus filhos?
• Porque há tanta desgraça no mundo e a
tristeza supera a alegria?
• De três pessoas que viajam - por exemplo – após pavoroso desastre, uma perde a vida outra fica
gravemente ferida e a terceira escapa sem
ferimentos. Porque sortes tão diferentes?
A onde está nisso a justiça de Deus?
* Por que uns; que são tão maus, sofrem menos
que outros, que são tão bons?

Perguntas como estas a Doutrina Espírita
responde, por que tais são as perguntas que
todos fazemos para nós mesmos, ao
contemplarmos tanta desigualdade
e tantos destinos diferentes na vida
atribulada de nosso planeta.

Allan Kardec

Sorte das crianças após a morte





Sorte das crianças após a morte


197. Será o espírito de uma criança morta em
tenra idade , tão avançado quanto o de um adulto?
_” Algumas vezes ate muito mais, pois pode ter
vivido muito mais e ter vivido maior experiência, principalmente se progrediu.”
_Então o espírito de uma criança pode ser mais
adiantado que o do pai?
_”Isto é muito freqüente.
Não o vedes tão freqüentemente na Terra?”
198. Desde que não pode fazer mal,
o espírito da criança morta em tenra idade
pertence aos graus superiores?
_”Se não fez o mal, também não fez o bem; e
Deus não o liberta das provas porque deve passar.
Se for puro, não será pelo fato de ter sido criança,
mas porque já era mais adiantado.”
199. Por que, com freqüência, interrompe-se a
vida na infância?
_”A duração da vida da criança pode ser para o
espírito nela encarnado o complemento de uma
existência interrompida antes do termo necessário e
sua morte é, muitas vezes, uma prova ou uma
expiação para os pais.”
_Em que se torna o espírito de uma criança morta
em tenra idade?
_”Recomeça uma nova existência.”


( Allan Kardec )
Livro dos Espíritos

O Futuro Oculto





O futuro oculto


869.
Com que fim o futuro se conserva
oculto ao homem?“se o homem conhecesse
o futuro, negligenciaria do presente e não
obraria com a liberdade com que o faz,
porque o dominaria a idéia de que ,
se uma coisa tem que acontecer, inútil será
ocupar-se com ela, ou então procuraria
obstar a que acontecesse.
Não quis Deus que assim fosse, a fim de
que cada um concorra para a realização
das coisas, até daquelas a que desejaria
opor-se. Assim é que tu mesmo preparas
muitas vezes os acontecimentos que hão
de sobreviver no curso da tua existência.”
A felicidade
922. A felicidade terrestre é relativa à
posição de cada um.
O que basta para a felicidade de um,
constitui a desgraça de outro.
Haverá, contudo, alguma soma de
felicidade comum a todos os homens?
“Com relação à vida material,
é a posse do necessário.
Com relação à, vida moral a consciência
tranqüila e a fé no futuro.”

Allan Kardec
Livro dos Espíritos


quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Ora Serve






Ora e Serve
Afirma que o progresso,
exprimindo felicidade e aprimoramento,
é o porto a que te destinas,
no mar da experiência terrestre,
mas se cultivas sinceridade e decisão contigo mesmo,
abraça o trabalho e a prece,
como sendo a embarcação e a bússola do caminho.
Rochedos de incompreensão escondem-se,
traiçoeiros sob a crista das ondas,
ameaçando-te a rota.
No entanto, ora e serve.
A prece ilumina.
O trabalho liberta.
Monstros do precipício surgem à tona
inclinando-nos à perturbação e ao soçobro.
Contudo ora e serve.
A prece guia.
O trabalho defende.
Tempestades de aflição aparecem de chofre,
vergastando-te o refúgio.
Entretanto ora e serve.
A prece reanima.
O trabalho restaura.
Companheiros queridos que te suavizam
as agruras da marcha desembarcaram nas ilhas de enganosos descansos,
deixando-te as mãos sob multiplicados encargos.
Todavia, ora e serve.
A prece consola.
O trabalho sustenta.
Em todos os problemas e circunstâncias
que te parecem superar o quadro é atividade que aperfeiçoa.
O viajor mais importante da Terra também passou
pelo oceano do suor e das lágrimas,
orando e servindo.
Tão escabrosa lhe foi a peregrinação entre os homens,
que não sobrou amigo algum para compartilhar-lhe
espontaneamente os júbilos da chegada
pelo esclarecem forma de cruz.
Tão alto, porém acendeu ele chama da prece,
que pode compreender e desculpar os próprios algozes,
e tão devotadamente se consagrou ao trabalho,
que conseguiu vencer os abismos da morte
e voltar aos braços dos amigos vacilantes,
como a repetir-lhes em regozijo e vitória:

- Tende bom ânimo! Eu estou aqui!

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Buscando a Cura Espiritual!





Buscando a Cura Espiritual!

Muitas vezes pensamos apenas na dor, no sofrimento que naquele momento nos aflige como dores na coluna, dor de cabeça, dor de dente, dentre outros incômodos... e quando isso nos acomete não demora muito para que nos direcionamos a uma ajuda profissional, a um médico. Mas, e quando algum problema de ordem emocional acomete a cada um de nós, recorremos a algum lugar ou simplesmente observamos este problema ficar cada vez maior e somente quando ele chega no físico é que fazemos algo?

É necessário que nós compreendamos que nós somos do Espírito e não da matéria, este invólucro é apenas um empréstimo para que aqui possamos cumprir com aquilo que nos comprometemos, sendo assim é claro que devemos cuidar da nossa saúde, da nossa matéria, mas acima de tudo devemos demandar muito mais tempo e atenção ao conhecimento e cura do nosso espírito, cura da nossa alma.

Ainda sobre a cura em si, é fácil verificarmos em inúmeros lugares que diz operar a cura e vemos uma verdadeira legião de pessoas se deslocarem a estes locais a fim de serem tratadas, curadas. Mas que possamos todos refletir que a cura só é efetivadas através de alguns fatores. E quais seriam eles? Fé, Força de Vontade, Amor, Sintonia e MERECIMENTO. Pode ser quem for a nos curar, inclusive o Espírito mais “gabaritado” que nós considerarmos mas ainda assim se não existirem outros requisitos sendo o principal o merecimento, esta cura não se efetivará, somente com a vontade de Deus nosso Pai é que podemos receber a cura espiritual necessária e é através das nossas ações, pensamentos.

Todas as doenças tem cura? É claro que sim. No entanto não no nosso tempo, isso porque muitas vezes só conseguimos enxergar a vida em nossa limitada visão e nos esquecemos de tantas vezes que aqui já estivemos e de tantas outras vezes que ainda aqui estaremos, sendo assim todas as doenças podem ser curáveis mas não somente a partir da nossa vontade mas acima disso: a Vontade de Deus;

Pensemos ainda no maior exemplo que já tivemos no Planeta Terra – Jesus Cristo. Será que ele curou a todos que o procurou? E, porque será que não curou a todos? A vontade de Deus é soberanamente maior do que a vontade do Homem ainda que este homem seja Jesus. Todos os casos que vimos Cristo curando percebemos a fé de quem recebia, mas principalmente podemos observar o merecimento, já que todos os casos que Jesus curou era sem duvida casos em que os doentes assim estavam há bastante tempo, ou seja, tempo necessário para sua expiação, melhoramento moral e aprendizado. Como podemos observar na passagem da mulher hemorrágica (vide primeira postagem sobre Curas Materiais);

A cura espiritual não é uma das lições mais fáceis que encontramos, mas é possível quando conseguirmos internalizar todas as lições de Cristo, quando conseguirmos amar mais e julgar menos os nossos semelhantes, quando conseguirmos perdoar, quando conseguirmos alcançar a fé que move montanhas, quando conseguirmos ser Amor e Luz e confiar acima de tudo na justiça divina. Que assim possamos refletir acerca do que é mais importante para cada um de nós?

“O julgamento é dos Homens, mas a Justiça é de Deus.” Meimei;







Fluidos e a Força do Pensamento






Fluidos e a força do Pensamento


Os Espíritos afirmam que uma das modificações mais importantes do fluido universal é o fluido vital. Ele é o responsável pela força motriz que movimenta os corpos vivos. Sem ele, a matéria é inerte.

Cada ser tem uma quantidade de fluido vital, de acordo com suas necessidades. As variações dependem de uma série de fatores. Allan Kardec nos instrui sobre o assunto emO Livro dos Espíritos:

“A quantidade de fluido vital não é a mesma em todos os seres orgânicos: varia segundo as espécies e não é constante no mesmo indivíduo, nem nos vários indivíduos de uma mesma espécie. Há os que estão, por assim dizer, saturados de fluido vital, enquanto outros o possuem apenas em quantidade suficiente. É por isso que uns são mais ativos, mais enérgicos, e de certa maneira, de vida superabundante”.

“A quantidade de fluido vital se esgota. Pode tornar-se incapaz de entreter a vida, se não for renovada pela absorção e assimilação de substâncias que o contêm”.

“O fluido vital se transmite de um indivíduo a outro. Aquele que o tem em maior quantidade pode dá-lo ao que tem menos, e em certos casos fazer voltar uma vida prestes a extinguir-se”.

O homem pode manter o equilíbrio de sua saúde vital através da alimentação e da respiração de ar não poluído, entre outros fatores, mas, acima disso, mantendo uma conduta mental sadia.

O pensamento exerce uma poderosa influência nos fluidos espirituais, modificando suas características básicas.

Os pensamentos bons impõem-lhes luminosidade e vibrações elevadas que causam conforto e sensação de bem estar às pessoas sob sua influência.

Os pensamentos maus provocam alterações vibratórias contrárias às citadas acima. Os fluidos ficam escuros e sua ação provoca mal-estar físico e psíquico.

"Os maus pensamentos corrompem os fluidos espirituais, como os miasmas deletérios corrompem o ar respirável" (Allan Kardec - A Gênese, cap. XIV, item 16).

Pode-se concluir, assim, que em torno de uma pessoa, de uma família, de uma cidade, de uma nação ou planeta, existe uma atmosfera espiritual fluídica, que varia vibratoriamente, segundo a natureza moral dos Espíritos envolvidos.

À atmosfera fluídica associam-se seres desencarnados com tendências morais e vibratórias semelhantes. Por esta razão, os Espíritos superiores recomendam que nossa conduta, nas relações com a vida, seja a mais elevada possível. Uma criatura que vive entregue ao pessimismo e aos maus pensamentos tem em volta de si uma atmosfera espiritual escura, da qual aproximam-se espíritos doentios. A angústia, a tristeza e a desesperança aparecem, formando um quadro físico-psíquico deprimente, mas que pode ser modificado sob a orientação dos ensinos morais de Jesus.

"A ação dos Espíritos sobre os fluidos espirituais tem conseqüências de importância direta e capital para os encarnados. Desde o instante em que tais fluidos são o veículo do pensamento; que o pensamento lhes pode modificar as propriedades, é evidente que eles devem estar impregnados das qualidades boas ou más, dos pensamentos que os colocam em vibração, modificados pela pureza ou impureza dos sentimentos" (Allan Kardec - A Gênese, cap. XIV, item 16).

À medida que cresce através do conhecimento, o homem percebe que suas mazelas, tanto físicas quanto espirituais, são diretamente proporcionais ao seu grau evolutivo e que ele pode mudar esse estado de coisas, modificando-se moralmente. Aliando-se a boas companhias espirituais através de seus bons pensamentos, poderá estabelecer uma melhor atmosfera fluídica em torno de si e, conseqüentemente, do ambiente em que vive. Resumindo, todos somos responsáveis de alguma maneira pelo estado de dificuldades morais em que vive o Planeta atualmente e cabe a nós mesmos modificá-lo.

"Melhorando-se, a humanidade verá depurar-se a atmosfera fluídica em cujo meio vive, porque não lhe enviará senão bons fluidos, e estes oporão uma barreira à invasão dos maus. Se um dia a Terra chegar a não ser povoada senão por homens que, entre si, praticam as leis divinas do amor e da caridade, ninguém duvida que não se encontrem em condições de higiene física e moral completamente outras que as hoje existentes" (Allan Kardec - Revista Espírita, Maio, 1867).

O Cérebro Espiritual





O Cérebro Espiritual



O pensamento não é somente o resultado das articulações cerebrais, mas constitui, mais profundamente, a soma complexa das funções ainda imperceptíveis da mente.
Todos os seres humanos possuem o poder do pensamento, embora desconheçam a força que carregam consigo.

Nossos pensamentos transformam-se em correntes mentais, colocando-nos em ligação psíquica com o universo de pensamentos alheios, de vital importância para a vida íntima de cada um de nós.

O cérebro espiritual de qualquer pessoa tem a capacidade extraordinária de, ao mesmo tempo e ininterruptamente, emitir mensagens psíquicas e captar ondas mentais de criaturas encarnadas ou desencarnadas.

Há um mundo invisível mas real, imponderável, mas positivo, em torno de todos os encarnados. Somos todos espíritos intercomunicando-se intensamente, de modo sutil pelos fios eletromagnéticos do pensamento.

O sábio espírito Emmanuel nos esclarece a respeito:

“Assimilamos os pensamentos daqueles que pensam como pensamos. É que, sentindo, mentalizando, falando ou agindo, sintonizamo-nos com as emoções e ideias de todas as pessoas, encarnadas ou desencarnadas, de nossa faixa de simpatia.”

Se todas as pessoas possuem o poder mental de sintonizar-se com outras mentes, influenciando e sendo influenciadas, podemos concluir que todas as criaturas são médiuns, pois todos nós nos relacionamos com os espíritos, embora grande parte das criaturas não percebam nem de leve esse fenômeno. Médiuns não são apenas os que possuem determinadas faculdades psíquicas especiais: clariaudiência, clarividência, psicofonia, psicografia, efeitos físicos e magnetismo curador. Quem não detém nenhuma das faculdades especiais é também um médium, porque possui a força mental para receptar espontaneamente de outras mentes, pelo fenômeno psíquico chamado inspiração ou intuição, muito comum nos acontecimentos do dia-a-dia das pessoas mais espiritualizadas.
Os espíritos estão em toda parte, em intercâmbio profundo com os homens de todas as classes sociais e de todos os graus de moralidade.

Com facilidade, entramos na faixa psíquica de todos os espíritos que se assemelham a tudo aquilo que estamos sentindo, conversando, imaginando ou de acordo com as nossas ações e hábitos diários.

A força de sintonia nascerá sempre de nós para com os espíritos, pois seremos logicamente nós que acionamos a tomada de ligação mental. Para o espírito Emmanuel, “a inspiração é a equipe dos pensamentos alheios que aceitamos ou procuramos”.

Do livro: Minha Mente, Meu Mundo – Walter Barcelos.

Solidão e Jesus




Solidão e Jesus

Quando as amarguras da jornada te assinalem a alma, jungindo-te ao carro sombrio onde a solidão se demora algemada, recorda o Mestre Crucificado, em terrível abandono.

Onde os amigos d'outrora, as multidões saciadas e os corações socorridos?

Começara o ministério, a que se entregaria integralmente, nas alegres bodas de Caná, e encerrava-o numa Cruz, esquecido dos beneficiários constantes que O envolviam em álacre vozerio.

Sempre estivera o Mestre cercado pelas criaturas...

Pregara nas cercanias formosas das cidades e das aldeias, nas praias livres entre o lago e as montanhas, nas Sinagogas repletas e nas praças movimentadas.

Atendera a todos que Lhe buscaram socorro.

Todo o Seu Apostolado de amor foi de enobrecimento.

À mulher desprezada e em aviltamento, ofereceu as mais belas expressões da sua Mensagem.

Consolou e esclareceu a Samaritana atormentada.

Retirou dos coxins de veludo e seda a obsedada de Magdala.

Convidou Marta às questões do Espírito.

Atendeu à mulher Cananéia, prodigalizando o equilíbrio à filha endemoniada.

Hanah, a sogra de Pedro, recebeu-Lhe o passe curador.

À pobre hemorroíssa sito-fenícia restituiu a saúde.

Ofereceu à viúva de Naim o filho considerado morto.

Joanna, a mulher de Cusa, recebeu-Lhe o convite para a vida imperecível.

A filha de Jairo prodigalizou a bênção do despertamento das malhas da catalepsia.

Além delas, distendeu o amor a todos os corações.

Leprosos e sadios participaram do Seu convívio.

Homens ilustres e mendigos foram comensais da sua afeição.

Recuperou a serenidade no homem de Gadara, infelicitado por Espíritos obsessores e curou o filho do Centurião.

Elucidou o afortunado príncipe do Sinédrio em colóquio fraterno, e propiciou luz aos olhos fechados de mísero cego das estradas de Jericó.

Honrou a rica propriedade de Zaqueu e fez refeições nos barcos humildes dos pobres pescadores.

Revelou a Boa Nova aos sábios de Jerusalém que a escutaram deslumbrados e, à última hora, ensinou aos malsinados ladrões, companheiros de crucificação, a porta estreita para a liberdade espiritual.

Movimentou os membros paralisados de Natanael, descido pelo telhado, e revelou aos discípulos do Batista os sinais que O identificam como o Esperado...

Milhares de alma receberam a paz e a saúde de Suas mãos.

Os "demônios" submetiam-se a sua voz.

O mar respeitou-Lhe a ordem.

O vento atendeu-Lhe o imperativo.

As doenças desapareciam ao Seu contato.

Os anjos obedeciam-Lhe à vontade.

No entanto, à hora da angústia, sorveu a taça de amargura a sós.

O coração feminino, junto à Cruz, apresentou-Lhe apenas a saudade e a aflição, em lágrimas.

Mas provou a agonia, o escárnio e a humilhação em suprema soledade.

Nenhuma voz se ergueu para defendê-lO nas Altas Cortes.

Todavia, entregando-se confiante ao Pai, venceu o mundo e todos os seus enganos e, mesmo depois da morte, ressurgiu glorioso, voltando ao amor para a felicidade de todos.

Lembra-te dEle.

Só no mundo, e o Pai com Ele.

À hora das tuas provações, os companheiros e beneficiários do teu carinho não podem ficar contigo; seguirão adiante. A vida espera mais além.

Tem paciência!

Não os ames menos por isso, Eles necessitam da tua compreensão e do teu carinho.

Cresce para ajudar no crescimento deles.

E mesmo que a morte venha às tuas carnes, renascerás das cinzas da sepultura, em esplêndida madrugada, para continuares o teu labor junto àqueles que te abandonaram.

Na tua solidão, entretanto, Jesus estará sempre contigo.

Joanna de Ângelis
por Divaldo P. Franco
no Livro: Messe de Amor.







LinkWithin



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...