Não te esqueças de que a solução para o problema que te angustia, está a caminho.

Nos tribunais da Divina Justiça, nenhum processo fica parado.

A tua petição, depois de examinada, será deferida de acordo com os teus méritos.

Não te aflijas, antecipando-te às providências que haverão de ser tomadas em favor de tua paz.

Nem agraves a tua situação, tornando inócuas, quando te alcancem, as deliberações em andamento.

Saber esperar é tão importante quanto saber agir.

Toda decisão precipitada acaba sendo uma solução pela metade para o problema que se pretende resolver.

A solução que demora a surgir ainda não encontrou, disponíveis, os elementos que a favoreçam.


Irmão José/Carlos A. Baccelli
livro "Vigiai e Orai"











Dez Maneiras de Amar a Nós Mesmos

1. Disciplinar os próprios impulsos.

2. Trabalhar, cada dia, produzindo o melhor que pudermos.

3. Atender aos bons conselhos que traçamos para os outros.

4. Aceitar, sem revolta, a crítica e a reprovação.

5. Esquecer as faltas alheias sem desculpar as nossas.

6. Evitar as conversações inúteis.

7. Receber no sofrimento o processo de nossa educação.

8. Calar diante da ofensa, retribuindo o mal com o bem.

9. Ajudar a todos, sem exigir qualquer pagamento de gratidão.

10. Repetir as lições edificantes, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, perseverando no aperfeiçoamento de nós mesmos, sem desanimar e colocando-nos a serviço do Divino Mestre, hoje e sempre.







Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO,
mesmo sabendo que as rosas não falam...

Que eu não perca o OTIMISMO, mesmo sabendo que o futuro
que nos espera pode não ser tão alegre...

Que eu não perca a VONTADE DE VIVER, mesmo sabendo que a vida é,em muitos momentos, dolorosa...


Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS,
mesmo sabendo que, com as voltas do mundo,
eles acabam indo embora de nossas vidas...

Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS,
Mesmo sabendo que muitas delas são incapazes
de ver, reconhecer e retribuir, esta ajuda...

Que eu não perca o EQUILÍBRIO, mesmo sabendo
que inúmeras forças querem que eu caia...

Que eu não perca A VONTADE DE AMAR, mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim...

Que eu não perca a LUZ E O BRILHO NO OLHAR, mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão os meus olhos...

Que eu não perca a GARRA, mesmo sabendo que a derrota e a perda

São dois adversários extremamente perigosos...

Que eu não perca a RAZÃO, mesmo sabendo

que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas...

Que eu não perca o sentimento de JUSTIÇA, mesmo
sabendo que o prejudicado possa ser eu...

Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO, mesmo sabendo
que um dia os meus braços estarão fracos...

Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VIVER, mesmo sabendo

que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...

Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia...


Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR que existe em meu coração, mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado...

Que eu não perca a vontade de SER GRANDE, mesmo
sabendo que o mundo é pequeno...

E acima de tudo...

Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente!

Que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois...

A VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS

E CONCRETIZADA NO AMOR!






Desencanto

Também, Senhor, um dia, de alma ansiosa,
Num sonho todo amor, carícia e graça,
Quis encontrar a imagem cor-de-rosa
Da ventura que canta, sonha e passa.

E perquiri a estrada erma e escabrosa,
Perenemente sob a rude ameaça
Da amargura sem termos, angustiosa,
Entre os frios do pranto e da desgraça,

Até que um dia a dor, violentamente,
Fez nascer no meu cérebro demente
Os anelos de morte, cinza e nada.

E no inferno simbólico do Dante,
Vim reencontrar a lagrima triunfante,
Palpitando em minh’alma estraçalhada.


Autor: Hermes Fontes
(psicografia de Chico Xavier )

Estudos Doutrinários

domingo, 26 de agosto de 2012

Memórias de um exilado de capela






Memórias de um exilado de capela

Em meio ao Universo infinito,
brilha uma estrela tão bela!
Foi meu lar um dia minha querida capela!
Imigrantes companheiros, que comigo de lá
partiram arrastados pelo turbilhão, forçados a
buscar nos diferentes mundos, testemunhos de renovação. Lembro-me ainda quando aqui chegamos...Havia muito desespero em face ao incompreendido! Restava apenas a intuição vaga,
de um paraíso perdido. Olhos arregalados, observando figuras primitivas da evolução, caminhando por entre nós sem nos dar atenção.
Em meio a dúvida que me assombrava...
Não sabia se estava acordado ou se sonhava.
Muito tempo se passou entre lágrimas e lamentações...Séculos, representavam para
os nossos corações.
Eis que em meio as trevas, a luz se fez...
Uma criatura iluminada, dirigiu-nos a
palavra com divina altivez.
Ressoando como um trovão, sua voz doce e
serena se fez ouvir em toda região:
" Meus irmãos...Jamais nosso Pai condenará
seus filhos ao sofrimento eterno!
É no mundo intimo de vossas imperfeições,
que tem se erguido o inferno.
Exilados hoje de um paraíso, cultivem vossa esperança! Poderão construir outro,
neste mundo que ainda é uma criança.
Reencarnarão em meios primitivos ajudando
o progresso, recapitulando vossas lições sob
infalível processo. Estarei sempre convosco,
farei com que reencarne em vossos meios,
os meus emissários, para que nunca vos falte
os recursos necessários.
Encarnarei entre vós na posteridade, e marcarei roteiro seguro para a vossa felicidade."
Depois de ouvir estas palavras, que nos
abasteceu de esperanças, fatos ocorridos
em Capela surgiram em minhas lembranças.
Há muito pessoas humildes pregavam o desterro
das almas impuras, eu sorria debochava,
para mim eram pobres criaturas.
Falavam de um Deus de amor, pregavam a
caridade e a humildade, meu Deus,
como não pude ver a verdade?
Agora estávamos ali, como crianças em idade
escolar, falhamos nos exames, teríamos que
recomeçar. Hoje, após milênios de minha estada
neste planeta de provação...Sinto próximo os
dias de idêntica transição. Seguindo a rota
evolutiva, perfeita e tão bela, aqui se repetirá
a mesma cena de Capela.
Mas algo se modificou, não sinto nenhum temor!
Hoje eu sou a pobre criatura falando de um
Deus de amor!

( Nelson Moraes )





Os Exilados de Capela (LIVRO) É uma obra extraordinária que trata das questões dos espíritos; chegando a inquietante assertiva: A evolução espiritual de uma humanidade teve sua continuidade em nosso primitivo planeta TERRA "Planeta de provas e expiações" caminhando para " REGENERAÇÃO" e depois para "MAIORIDADE"







Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...