Não te esqueças de que a solução para o problema que te angustia, está a caminho.

Nos tribunais da Divina Justiça, nenhum processo fica parado.

A tua petição, depois de examinada, será deferida de acordo com os teus méritos.

Não te aflijas, antecipando-te às providências que haverão de ser tomadas em favor de tua paz.

Nem agraves a tua situação, tornando inócuas, quando te alcancem, as deliberações em andamento.

Saber esperar é tão importante quanto saber agir.

Toda decisão precipitada acaba sendo uma solução pela metade para o problema que se pretende resolver.

A solução que demora a surgir ainda não encontrou, disponíveis, os elementos que a favoreçam.


Irmão José/Carlos A. Baccelli
livro "Vigiai e Orai"











Dez Maneiras de Amar a Nós Mesmos

1. Disciplinar os próprios impulsos.

2. Trabalhar, cada dia, produzindo o melhor que pudermos.

3. Atender aos bons conselhos que traçamos para os outros.

4. Aceitar, sem revolta, a crítica e a reprovação.

5. Esquecer as faltas alheias sem desculpar as nossas.

6. Evitar as conversações inúteis.

7. Receber no sofrimento o processo de nossa educação.

8. Calar diante da ofensa, retribuindo o mal com o bem.

9. Ajudar a todos, sem exigir qualquer pagamento de gratidão.

10. Repetir as lições edificantes, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, perseverando no aperfeiçoamento de nós mesmos, sem desanimar e colocando-nos a serviço do Divino Mestre, hoje e sempre.







Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO,
mesmo sabendo que as rosas não falam...

Que eu não perca o OTIMISMO, mesmo sabendo que o futuro
que nos espera pode não ser tão alegre...

Que eu não perca a VONTADE DE VIVER, mesmo sabendo que a vida é,em muitos momentos, dolorosa...


Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS,
mesmo sabendo que, com as voltas do mundo,
eles acabam indo embora de nossas vidas...

Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS,
Mesmo sabendo que muitas delas são incapazes
de ver, reconhecer e retribuir, esta ajuda...

Que eu não perca o EQUILÍBRIO, mesmo sabendo
que inúmeras forças querem que eu caia...

Que eu não perca A VONTADE DE AMAR, mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim...

Que eu não perca a LUZ E O BRILHO NO OLHAR, mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão os meus olhos...

Que eu não perca a GARRA, mesmo sabendo que a derrota e a perda

São dois adversários extremamente perigosos...

Que eu não perca a RAZÃO, mesmo sabendo

que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas...

Que eu não perca o sentimento de JUSTIÇA, mesmo
sabendo que o prejudicado possa ser eu...

Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO, mesmo sabendo
que um dia os meus braços estarão fracos...

Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VIVER, mesmo sabendo

que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...

Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia...


Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR que existe em meu coração, mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado...

Que eu não perca a vontade de SER GRANDE, mesmo
sabendo que o mundo é pequeno...

E acima de tudo...

Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente!

Que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois...

A VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS

E CONCRETIZADA NO AMOR!






Desencanto

Também, Senhor, um dia, de alma ansiosa,
Num sonho todo amor, carícia e graça,
Quis encontrar a imagem cor-de-rosa
Da ventura que canta, sonha e passa.

E perquiri a estrada erma e escabrosa,
Perenemente sob a rude ameaça
Da amargura sem termos, angustiosa,
Entre os frios do pranto e da desgraça,

Até que um dia a dor, violentamente,
Fez nascer no meu cérebro demente
Os anelos de morte, cinza e nada.

E no inferno simbólico do Dante,
Vim reencontrar a lagrima triunfante,
Palpitando em minh’alma estraçalhada.


Autor: Hermes Fontes
(psicografia de Chico Xavier )

Estudos Doutrinários

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Nossa Vida Mental ..








" - Entrega-te a novos haustos de esperança e supera as próprias limitações, atendendo aos apelos do amor que ecoam das Alturas..."



NOSSA VIDA MENTAL

As almas ingressam nas responsabilidades que procuram para si mesmas.
Segundo talhamos o nosso perfil moral, angariamos os favores das oportunidades de serviço diante das Leis Universais.
Ninguém foge aos estigmas da viciação com que sulca a estrutura da própria vida. Paz significa vitória da mente sobre os seus próprios atributos.
Resguardemos, assim, a vida mental, na certeza de que o teor da nossa meditação condiciona a altura de nossa tranquilidade.
Nada ocorre conosco sem resultado específico.
Teimosia no erro - conta agravada.
Ausência de disciplina - débito permanente.
Remorso - aviso da consciência.
Reajustamento - estágio na enfermidade.
Multiformes ocorrências no mundo interior anunciam constantemente o clima de nossa escolha.
A tempestade é precedida dos indícios inequívocos que lhe configuram a extensão.
De igual modo, através da análise real de nós mesmos, encontramos o exato esboço das futuras experiências. À vista disso, ante a luz do Evangelho, ninguém desconhece a essência do destino que se lhe desdobra ao porvir.
A Justiça da Lei tem base na matemática. E quem possui parcelas determinadas pode ajuizar perfeitamente quanto à soma disso ou daquilo.
Entrega-te, pois, a novos haustos de esperança e supera as próprias limitações, atendendo aos apelos do amor que ecoam das Alturas.
Reúne humildade e serviço, simplicidade e perdão, estudo e caridade, bondade e tolerância, no esforço de cada dia, e com semelhante fragmento de amor e luz levantarás o templo divino de tuas mais belas aspirações, diante da Eternidade.

ANDRÉ LUIZ

Água Fluidificada


"E qualquer que tiver dado um copo de água fria por ser meu discípulo, em verdade vos digo que, de modo algum, perderá o seu galardão"


Jesus em Mateus capítulo 10, versículo 42



Meu amigo, quando Jesus se referiu à benção do copo de água fria, em seu nome, não apenas se reportava à compaixão rotineira que sacia a sede comum.

Detinha-se o Mestre no exame de valores espirituais mais profundos.

A água é dos corpos o mais simples e receptivo da Terra.

É como que a base pura, em que a medicação do Céu pode ser impressa,
através de recursos substanciais de assistência ao corpo e à alma, embora em processo invisível aos olhos mortais.

A prece intercessória e o pensamento de bondade representam irradiações de nossas melhores energias.

A criatura que ora ou medita exterioriza poderes, emanações e flúidos que, por enquanto, escapam à análise da inteligência vulgar e a linfa potável recebe a influência, de modo claro, condensando linhas de força magnética e princípios elétricos, que aliviam e sustentam, ajudam e curam.

A fonte que procede do coração da Terra e a rogativa que flui no imo d’álma,
quando se unem na difusão do bem, operam milagres.

O espírito que se eleva na direção do Céu é antena viva, captando potências da natureza superior, podendo distribuí-las em benefício de todos os que lhe seguem a marcha.

Ninguém existe órfão de semelhante amparo.

Para auxiliar a outrem e a si mesmo, bastam a boa vontade e a confiança positiva.

Reconheçamos, pois, que o Mestre quando se referiu à água simples, doada em nome da sua memória, reportava-se ao valor real da providência, em benefício da carne e do espírito, sempre que estacionem através de zonas enfermiças.

Se desejas, portanto, o concurso dos Amigos Espirituais, na solução de tuas necessidades fisiológicas ou dos problemas de saúde e equilíbrio dos companheiros, coloca o teu recipiente de água cristalina, à frente de tuas orações, espera e confia.

O orvalho do Plano Divino magnetizará o líquido, com raios de amor, em forma de bênção, e, estarás, então, consagrando o sublime ensinamento do copo de água pura, abençoado nos Céus.



Emmanuel









A ÁGUA FLUIDIFICADA E O EVANGELHO NO LAR



O estudo do evangelho no Lar é uma prática utilizada por nós espíritas seguindo a orientação de nosso Senhor Jesus que disse, que quando dois ou mais estiverem reunidos em nome Dele ali Ele estaria. Durante o evangelho é comum a utilização uma jarra de agua para a fluidificação.



Todavia, alguns confrades equivocadamente aconselham que não se deva utilizar a água fluidificada, com o argumento de que entidades inferiores podem contaminar a água com fluidos grosseiros.

O argumento não procede, uma vez que durante o evangelho existe a presença dos mentores espirituais responsáveis pela proteção e equilíbrio do ambiente e tambem da seleção das entidades que podem adentrar o espaço familiar e que necessitam ouvir a leitura, os comentários e principalmente, que já estejam em condições de assimilar com proveito o que será estudado.

Não podemos esquecer que os espíritos são apenas seres humanos despojados do envoltório físico, desse modo, como existem pessoas que por mais que se aconselhe e por mais que ouçam argumentos morais racionais que trariam modificações intimas para bem, essas pessoas permanecem indiferentes aos apelos e por vezes até desequilibram realmente o local em que se encontram, somente o tempo e a experiência da dor é que poderá fazê-los mais acessíveis, assim tambem são muitos espíritos desequilibrados.

Esse tipo de entidade é geralmente barrada no momento do estudo do evangelho, salvo em casos de extrema necessidade para a entidade e o grupo familiar. Nesse caso, são tomadas medidas especificas pelas entidades mentoras.

Vou contar aqui uma experiência familiar relacionada ao evangelho no lar: certa noite, um sábado se não me engano, meu irmão mais novo (estava na época com 12 ou 13 anos) estudava sozinho, ao ouvir uns choramingos, me aproximei dele e percebi que estava assustado, foi quando me falou baixinho que um vulto passou próximo da mesa e o ventilador ligava e desligava sozinho (fenômeno de efeitos físicos), imediatamente o abracei para lhe passar mais segurança e juntos fizemos uma oração pedindo o auxilio de Deus e dos bons espíritos e a aquela presença espiritual não foi mais percebida por nós.

Na quarta feira, durante a reunião de desobsessão no Centro Espírita que frequento, estava trabalhando como doutrinador quando veio a mesma entidade por meio da médium, revoltada disse que não queria meu irmão conosco que ele lhe pertencia e era sua propriedade, reclamou das nossas reuniões de estudo do evangelho, pois nesses momentos não conseguia se aproximar da nossa casa. Dialogamos e depois dessa conversa meu irmão não foi mais incomodado. Eram problemas de vidas passadas.

Percebemos assim, a importância do estudo evangélico no lar e a proteção espiritual que ele traz.

Mas, voltando a água fluidificada, se ainda existirem dúvidas quanto a sua utilização há uma medida simples que pode ser adotada, tampar a jarra ou cobri-la com uma flanela, pode-se tambem utilizar uma garrafa de agua mineral com tampa. Os espíritos superiores transferem fluidos salutares para a água da jarra ou garrafa mesmo estando tampada, porque suas energias são tão sutis que atravessam qualquer objeto material. Já os fluidos dos espíritos inferiores são grosseiros, densos e não conseguem atravessar a matéria.

Lembrando que a água fluidificada durante o evangelho no lar pode ser servido ao final do estudo para todos, é de uso geral, ao contrário da água fluidificada no Centro Espirita que é individual e intrasferível, contendo o nome completo da pessoa justamente para esse fim.

LinkWithin



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...