Não te esqueças de que a solução para o problema que te angustia, está a caminho.

Nos tribunais da Divina Justiça, nenhum processo fica parado.

A tua petição, depois de examinada, será deferida de acordo com os teus méritos.

Não te aflijas, antecipando-te às providências que haverão de ser tomadas em favor de tua paz.

Nem agraves a tua situação, tornando inócuas, quando te alcancem, as deliberações em andamento.

Saber esperar é tão importante quanto saber agir.

Toda decisão precipitada acaba sendo uma solução pela metade para o problema que se pretende resolver.

A solução que demora a surgir ainda não encontrou, disponíveis, os elementos que a favoreçam.


Irmão José/Carlos A. Baccelli
livro "Vigiai e Orai"











Dez Maneiras de Amar a Nós Mesmos

1. Disciplinar os próprios impulsos.

2. Trabalhar, cada dia, produzindo o melhor que pudermos.

3. Atender aos bons conselhos que traçamos para os outros.

4. Aceitar, sem revolta, a crítica e a reprovação.

5. Esquecer as faltas alheias sem desculpar as nossas.

6. Evitar as conversações inúteis.

7. Receber no sofrimento o processo de nossa educação.

8. Calar diante da ofensa, retribuindo o mal com o bem.

9. Ajudar a todos, sem exigir qualquer pagamento de gratidão.

10. Repetir as lições edificantes, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, perseverando no aperfeiçoamento de nós mesmos, sem desanimar e colocando-nos a serviço do Divino Mestre, hoje e sempre.







Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO,
mesmo sabendo que as rosas não falam...

Que eu não perca o OTIMISMO, mesmo sabendo que o futuro
que nos espera pode não ser tão alegre...

Que eu não perca a VONTADE DE VIVER, mesmo sabendo que a vida é,em muitos momentos, dolorosa...


Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS,
mesmo sabendo que, com as voltas do mundo,
eles acabam indo embora de nossas vidas...

Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS,
Mesmo sabendo que muitas delas são incapazes
de ver, reconhecer e retribuir, esta ajuda...

Que eu não perca o EQUILÍBRIO, mesmo sabendo
que inúmeras forças querem que eu caia...

Que eu não perca A VONTADE DE AMAR, mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim...

Que eu não perca a LUZ E O BRILHO NO OLHAR, mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão os meus olhos...

Que eu não perca a GARRA, mesmo sabendo que a derrota e a perda

São dois adversários extremamente perigosos...

Que eu não perca a RAZÃO, mesmo sabendo

que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas...

Que eu não perca o sentimento de JUSTIÇA, mesmo
sabendo que o prejudicado possa ser eu...

Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO, mesmo sabendo
que um dia os meus braços estarão fracos...

Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VIVER, mesmo sabendo

que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...

Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia...


Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR que existe em meu coração, mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado...

Que eu não perca a vontade de SER GRANDE, mesmo
sabendo que o mundo é pequeno...

E acima de tudo...

Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente!

Que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois...

A VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS

E CONCRETIZADA NO AMOR!






Desencanto

Também, Senhor, um dia, de alma ansiosa,
Num sonho todo amor, carícia e graça,
Quis encontrar a imagem cor-de-rosa
Da ventura que canta, sonha e passa.

E perquiri a estrada erma e escabrosa,
Perenemente sob a rude ameaça
Da amargura sem termos, angustiosa,
Entre os frios do pranto e da desgraça,

Até que um dia a dor, violentamente,
Fez nascer no meu cérebro demente
Os anelos de morte, cinza e nada.

E no inferno simbólico do Dante,
Vim reencontrar a lagrima triunfante,
Palpitando em minh’alma estraçalhada.


Autor: Hermes Fontes
(psicografia de Chico Xavier )

Estudos Doutrinários

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Manifestações Visuais



Manifestações Visuais 


Sem sombra de dúvida, as mais interessantes 
de todas as manifestações espíritas são aquelas 
pelas quais os Espíritos se tornam visíveis. 
Pela explicação do fenômeno ver-se-á que 
não são mais sobrenaturais que as outras.
Podem os Espíritos tornar-se visíveis?
Sim- . Sobretudo durante o sono. 
Entretanto, certas pessoas também os 
vêem em vigília, posto seja isto mais raro.
Os Espíritos que se manifestam à nossa vista 
pertencem a uma determinada classe?
Não; podem pertencer a qualquer classe, 
desde as mais altas até as inferiores.
A todos os Espíritos é dado tornar-se visíveis?
Todos o podem; mas nem sempre têm 
permissão ou o querem.
Qual o objetivo dos Espíritos que se tornam 
visíveis? Depende. Conforme sua natureza, 
o fim pode ser bom ou mau.
Como pode ser dada a permissão, 
desde que o objetivo é mau?
Então é para provar aqueles a quem aparecem. 
A intenção do Espírito pode se má; 
o resultado, porém, será sempre bom.
Qual pode ser o objetivo dos Espíritos que 
têm intenções más quando se tornam visíveis?
Amedrontar e, por vezes vingar-se.
Qual o dos Espíritos que vêm com 
boas intenções? Consolar as pessoas que os 
lamentam; provar que existem e então junto 
a vós; dar conselhos e, as vezes, 
reclamar assistência para si mesmos.

trecho extraido do 
(livro dos médiuns)

Allan Kardec








Formação dos Médiuns


Formação dos Médiuns 


O desejo de todo aspirante a médium é, naturalmente 
poder entreter-se com o Espírito de pessoas 
queridas mas deve moderar a sua impaciência, 
porque a comunicação com determinado Espírito por 
vezes oferece dificuldades materiais que a tornam 
impossível para o principiante. 
Para que um Espírito possa comunicar-se, é 
preciso que entre ele e o médium haja relações 
fluídicas que nem sempre se estabelecem 
instantaneamente. Somente à medida que a 
faculdade se desenvolve é que o médium adquire 
a necessária aptidão para entrar em contacto com 
o primeiro Espírito que chegue. Pode, pois, 
acontecer que aquele com quem se deseja entrar 
em comunicação não se ache em condições 
propícias para o fazer, 
apesar de presença, como também pode acontecer 
que não tenha a possibilidade, ou a permissão 
de atender ao apelo que se lhe faz. 
Eis porque a principio, convém não nos 
obstinarmos em chamar um 
determinado Espírito, com exclusão de qualquer 
outro, porque às vezes acontece que não é com 
ele que se estabelecem mais facilmente as relações 
fluídicas, por maior que seja a simpatia que lhe 
tenhamos. Antes, pois, de pensar em obter 
comunicações deste ou daquele Espírito é 
necessário desenvolver a faculdade, 
para o que se deve fazer um apelo geral,
 dirigindo-se principalmente ao Anjo da Guarda. 
Para isto não há fórmula sacramental. 
Quem quer que queira apresentá-la pode, logo, 
ser tachado de embusteiro, porque para os 
Espíritos a fórmula nada vale. 
Contudo a evocação sempre deve ser 
feita em nome de Deus. Pode ser feita nos 
seguintes termos, ou em outros equivalentes: 
“ Peço a Deus Todo-Poderoso que permita a 
um bom Espírito comunicar-se comigo e 
fazer-me escrever. 
Também peço ao meu Anjo da Guarda que me 
assista e afaste os maus Espíritos.
” Espera-se, então, que um Espírito se 
manifeste, fazendo escrever 
alguma coisa. Pode acontecer que seja aquele 
que se deseja, como pode ser um Espírito desconhecido 
ou o Anjo da Guarda. 
Em todo caso ele se dá a conhecer escrevendo o 
nome. Mas então surge a questão de identidade, 
uma das que exigem a maior experiência, 
porque poucos principiantes há que não estejam 
expostos a ser enganados.

_Allan Kardec_






Morte Silenciosa



                                                                    

                                                                        Morte Silenciosa



Todos os dias, enquanto nos hospitais e clínicas particulares,
 inúmeros médicos e enfermeiros 
lutam pela vida dos seus pacientes, 
muitas outras vidas são destroçadas. 
E suas mortes não constam das manchetes 
retumbantes, nem nos noticiários da televisão. 
Passam anônimas. Na verdade, 
poucos são os que se dão conta de que elas 
ocorrem. Falamos dos seres que não chegaram 
a nascer. Suas vidas são ceifadas como se 
arranca dos canteiros a erva daninha. 
Bocas são silenciadas antes de se abrirem 
para o primeiro gemido. 
Mãos que poderiam acariciar, 
braços que se preparavam para as trocas 
dos carinhos foram simplesmente destruídos.
Pernas e pés que ainda não se firmaram para andar, 
correr, saltar, não o farão jamais.
São embriões e fetos, seres vivos, todos os 
dias jogados à vala da indiferença.
Sim. São muitos os motivos que levam alguém 
a abortar o fruto das suas entranhas. 
Desespero, aflição, ignorância, comodismo, 
problemas financeiros e familiares, entre outros. 
Nada que o justifique, prosseguindo a ser crime 
perante a Lei Divina que, desde os dias do 
Decálogo, prescreve não matar.
Percebemos que, enquanto crescem os movimentos ecológicos, 
de alerta ao respeito pela natureza, 
à Terra em que vivemos; enquanto os grupos 
de apoio à fauna e à flora se multiplicam, 
poucos são os que se erguem para falar em nome 
desses pequenos seres que têm seus corpos 
destruídos, antes de virem à luz. 
E são seres humanos, 
com a única diferença de não possuírem
 ainda um documento de cidadania.
Quando deixaremos de ser tão insensíveis aos 
problemas alheios e nos envolveremos, batalhando 
pela vida? Quantos de nós sabemos das intenções 
de abortamento de uma amiga, uma colega de 
trabalho, parente ou familiar e nada fazemos, 
com a desculpa de que cada qual é dono de sua 
própria vida? Para quem sabe e não esclarece, 
nada faz por evitar o crime, há também culpa 
por omissão. Quanta vez a criatura que se decide 
pelo abortamento, o faz porque não encontrou 
em seu caminho uma mão que lhe detivesse a 
tentativa, uma voz que lhe falasse acerca da vida em 
geração em seu ventre, como um filho de Deus!
Sempre se constituirá em infanticídio o aborto 
delituoso.Um covarde processo de que se utilizam 
uns tantos para fugir à responsabilidade, 
incorrendo em grave falta.
Se puderes, luta pela vida desses pequeninos! 
Se, eventualmente, já cometeste o abortamento 
alguma vez, volta-te para esses outros pequenos 
que vivem na terra, ao abandono e ampara a um 
deles. Doa do teu amor, porque bem poderá 
acontecer que Deus, em Sua infinita 
misericórdia, dessa forma te permitirá reencontrar 
o Espírito que te estava destinado para filho 
do coração. Mesmo quando aceito e tornado 
legal nos estatutos humanos, 
o abortamento fere violentamente as Leis Divinas, 
continuando a ser crime para quem o pratica ou 
para quem a ele se submete.
O único tipo de abortamento permitido pela 
Lei Divina é o terapêutico. Isto quer dizer, 
sacrificar-se o bebê para salvar a vida da mãe.




Bons Médiuns



Bons Médiuns 




Médiuns sérios. Os que não se servem de suas 
faculdades senão para o bem e para as 
coisas realmente úteis. Julgariam profanação 
delas se servirem para satisfazer aos curiosos 
e aos indiferentes ou para coisas fúteis.
Médiuns modestos. Os que não se dão 
importância pelas comunicações que recebem,
por mais belas que sejam: sentem-se estranhos a 
elas e não se julgam ao abrigo das mistificações.
Longe de fugir aos conselhos desinteressados, 
eles os procuram.
Médiuns dedicados. Os que compreendem que o 
verdadeiro médium tem uma missão a cumprir e 
deve, quando necessário: sacrificar os seus gostos, 
hábitos, prazeres, tempo e interesse materiais ao 
bem alheio.
Médiuns seguros. Os que, além da facilidade de 
execução merecem a máxima confiança, por seu 
próprio caráter, pela natureza elevada dos 
Espíritos por quem são assistidos e que são 
os menos expostos a ser enganados. Veremos mais 
tarde que tal segurança absolutamente não 
depende dos nomes mais ou menos respeitáveis 
que tomem os Espíritos.


( Allan Kardec )

Verdadeira pureza. Mãos não lavadas


Verdadeira pureza.  Mãos não lavadas 

Verdadeira pureza. 



Então os escribas e fariseus que tinham vindo
de Jerusalém, se aproximaram de Jesus e lhe disseram: 
Porque vossos discípulos violam a
tradição dos antigos? Pois eles não lavam
as mãos quando tomam suas refeições.
Hipócritas, Isaias bem profetizou de vós
quando disse: Este povo me honra com
os lábios, mas seu coração está longe de mim;
e é em vão que me horam ensinando
Máximas e ordenações humanas.
Depois, tendo chamado o povo, ele lhe disse:
Escutai e compreendei bem isso:
Não é o que entra na boca que enlameia o
homem, mas o que sai da boca do homem.
O que sai da boca parte do coração,
e é o que torna o homem impuro;
porque é do coração que os maus pensamentos,
os homicídios, os adultérios, as fornicações,
os furtos, os falsos testemunhos,
as blasfêmias e as maledicências;
estão aí as coisas que tornam o homem impuro;
mas comer sem ter lavado as mãos não é
o que torna um homem impuro.



Interpretação 



 lrmãos queridos, quero aqui vos falar sobre essa lição que nosso
 Divino Mestre nos deixou, muitos acham que a verdadeira limpeza está
em se lavar as mãos o prato e o copo.
É claro que isso se faz necessário para a
saúde física, porém o que ninguém se dá
conta é da limpeza do coração e do Espírito,
de que adianta se estiver limpo pela aparência
e o coração e o Espírito estão sujos,
sujos pelo ódio, pela inveja, pelo rancor,
pelo desejo de vingança e pela maledicência,
pois aquilo que sai da boca faz muito mais
mal do que o que entrou pela boca
por uma mão não lavada.
Todo ser deveria pensar mais na limpeza do
coração e do Espírito, com muito mais cuidado
do que com o próprio corpo físico,
meus queridos quanto mal pode fazer uma
palavra de ofensa uma injuria,
quanta dor isso pode causar e quanto
sofrimento essa palavra tão poderosa pelas
forças do mal, sendo que neste mesmo tempo
uma palavra de afeto, consolo, carinho aos
que estão sofrendo podem salvar uma vida.
No entanto as pessoas estão mais interessadas
na aparência física deixando de lado
seu coração e Espírito impuro.
Não basta pois ter as aparências da pureza,
é preciso antes de tudo ter a pureza
no coração e no Espírito.

Orgulho, Egoísmo e Vaidade




Orgulho, Egoísmo e Vaidade 





Jesus deu o exemplo da humildade enquanto Pilatos deu 
o exemplo do egoísmo, porque estava nas mãos dele 
salvar a vida de Jesus e ele não o fez.
Mas o egoísmo não quer dizer só isso, ele abrange tudo,
ou seja, quando queremos tudo só para nós e esse 
sentimento é algo bem longe da caridade.
Se encontro alguém que está em situação difícil e em 
nada o ajudo, nem mesmo com uma palavra de consolo, 
de carinho e ternura, estou sendo egoísta. Porque se 
estou feliz, o que importa se o outro não estiver? 
Não é problema meu! 
Errado. É um problema meu também porque ele é 
meu irmão, é um filho de Deus tanto quanto eu. 
Cada lágrima que eu secar de um irmão eu estou 
secando a lágrima de Deus, 
porque quando Ele vê um de seus filhos chorando, 
o Seu coração sangra e cada lágrima que eu secar 
é um bem que estou fazendo. 
Por favor, vamos aprender e colocar em prática esta 
lição que o plano espiritual está passando para nós; 
vamos deixar a vaidade, o egoísmo e o orgulho de lado 
porque eles nos destruirão.
Todo o egoísmo fala mais alto, assim como a vaidade 
e o orgulho. Então, se temos apenas um pão, vamos 
dividir ao meio; assim, nem eu ficarei sem, nem meu 
irmão, pois todos nós somos irmãos, 
não importando a corrente sanguínea, 
e sim o fato de que somos todos espíritos vestidos 
de carne, mas a carne apodrece e o espírito é eterno. 
Às vezes, vemos famílias se odiando, se matando e 
isso nos choca, mas é a lei de Deus que está se cumprindo, porque o orgulho não admite certas coisas. Pais não 
aceitam, por orgulho, filhos delinqüentes ou desajustados; vamos orar por todas estas famílias, vamos pedir pra que Jesus entre nestes lares, vamos pedir para que Deus 
ampare todos esses irmãos porque se hoje somos 
orgulhosos, amanhã teremos que ser humildes. 
Se hoje estamos em situação financeira boa e somos orgulhosos, essa condição nos foi emprestada por 
Deus e Ele pode nos tirar tudo, a qualquer instante, 
para derrubar o nosso orgulho, porque o que conta 
para Deus é o que temos no coração. 
Veja bem: existe muita diferença entre ser humilde e 
se deixar humilhar. Jesus era humilde, 
mas nunca se deixou humilhar 
e quem somos nós para querermos ser melhores que 
alguém, porque amanhã poderemos estar na mesma 
condição que aquela outra pessoa.
Devemos amar a todos como Jesus nos amou, porque o egoísmo é a chaga da humanidade; se o planeta Terra 
que é governado por Jesus está nas condições em que se encontra é por causa do egoísmo, porque todos querem 
tirar o maior proveito possível e a desigualdade 
se tornou muito grande. 
É isso que Jesus quer exterminar , é por isso que Ele pede 
que toda a humanidade se ame, nunca um prejudicando 
ao outro e quem o fizer estará indo contra Suas leis.
Portanto, sempre vamos orar não só por nós, mas pela humanidade e aí entenderemos a que veio Jesus quando 
Ele disse que, um dia, haveria apenas um só rebanho e 
um só pastor. E o que Ele pregou, o que ele deixou, 
não terá sido em vão, assinalando, finalmente, 
que a humanidade o aceitou. 
Não vamos consertar o mundo, com certeza não, 
mas se cada um fizer a sua parte, tenham a mais 
absoluta certeza, que estamos trabalhando para que 
isso aconteça. Vamos mentalizar sempre a figura de 
Jesus em nosso lar; quando o fazemos, uma luz se acende 
e é vista pelo plano espiritual maior. Esta luz é tão 
intensa que abrange todo o bairro e todos a sua volta se beneficiam da prece que está sendo feita naquele lar, 
onde certamente está a figura de Jesus. 
Convide-O sempre para entrar em seu lar.
E como isso é feito? Através da prece, pois a oração 
é a maior força que existe desde que seja feita de coração. Diga: - Jesus te convido para o meu lar, mas não apenas
com palavras repetidas e sim com as palavras que saem 
de seu coração, pois é nesta hora que Jesus e uma falange 
de espíritos iluminados nos visitarão, 
nos dando paz e harmonia.

LinkWithin



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...