Não te esqueças de que a solução para o problema que te angustia, está a caminho.

Nos tribunais da Divina Justiça, nenhum processo fica parado.

A tua petição, depois de examinada, será deferida de acordo com os teus méritos.

Não te aflijas, antecipando-te às providências que haverão de ser tomadas em favor de tua paz.

Nem agraves a tua situação, tornando inócuas, quando te alcancem, as deliberações em andamento.

Saber esperar é tão importante quanto saber agir.

Toda decisão precipitada acaba sendo uma solução pela metade para o problema que se pretende resolver.

A solução que demora a surgir ainda não encontrou, disponíveis, os elementos que a favoreçam.


Irmão José/Carlos A. Baccelli
livro "Vigiai e Orai"











Dez Maneiras de Amar a Nós Mesmos

1. Disciplinar os próprios impulsos.

2. Trabalhar, cada dia, produzindo o melhor que pudermos.

3. Atender aos bons conselhos que traçamos para os outros.

4. Aceitar, sem revolta, a crítica e a reprovação.

5. Esquecer as faltas alheias sem desculpar as nossas.

6. Evitar as conversações inúteis.

7. Receber no sofrimento o processo de nossa educação.

8. Calar diante da ofensa, retribuindo o mal com o bem.

9. Ajudar a todos, sem exigir qualquer pagamento de gratidão.

10. Repetir as lições edificantes, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, perseverando no aperfeiçoamento de nós mesmos, sem desanimar e colocando-nos a serviço do Divino Mestre, hoje e sempre.







Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO,
mesmo sabendo que as rosas não falam...

Que eu não perca o OTIMISMO, mesmo sabendo que o futuro
que nos espera pode não ser tão alegre...

Que eu não perca a VONTADE DE VIVER, mesmo sabendo que a vida é,em muitos momentos, dolorosa...


Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS,
mesmo sabendo que, com as voltas do mundo,
eles acabam indo embora de nossas vidas...

Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS,
Mesmo sabendo que muitas delas são incapazes
de ver, reconhecer e retribuir, esta ajuda...

Que eu não perca o EQUILÍBRIO, mesmo sabendo
que inúmeras forças querem que eu caia...

Que eu não perca A VONTADE DE AMAR, mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim...

Que eu não perca a LUZ E O BRILHO NO OLHAR, mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão os meus olhos...

Que eu não perca a GARRA, mesmo sabendo que a derrota e a perda

São dois adversários extremamente perigosos...

Que eu não perca a RAZÃO, mesmo sabendo

que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas...

Que eu não perca o sentimento de JUSTIÇA, mesmo
sabendo que o prejudicado possa ser eu...

Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO, mesmo sabendo
que um dia os meus braços estarão fracos...

Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VIVER, mesmo sabendo

que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...

Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia...


Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR que existe em meu coração, mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado...

Que eu não perca a vontade de SER GRANDE, mesmo
sabendo que o mundo é pequeno...

E acima de tudo...

Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente!

Que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois...

A VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS

E CONCRETIZADA NO AMOR!






Desencanto

Também, Senhor, um dia, de alma ansiosa,
Num sonho todo amor, carícia e graça,
Quis encontrar a imagem cor-de-rosa
Da ventura que canta, sonha e passa.

E perquiri a estrada erma e escabrosa,
Perenemente sob a rude ameaça
Da amargura sem termos, angustiosa,
Entre os frios do pranto e da desgraça,

Até que um dia a dor, violentamente,
Fez nascer no meu cérebro demente
Os anelos de morte, cinza e nada.

E no inferno simbólico do Dante,
Vim reencontrar a lagrima triunfante,
Palpitando em minh’alma estraçalhada.


Autor: Hermes Fontes
(psicografia de Chico Xavier )

Estudos Doutrinários

domingo, 19 de outubro de 2014

Casamento Gay - Richard Simonetti




CASAMENTO GAY



1 – O que dizer do casamento gay?
Entendo que duas pessoas que decidam viver juntas têm o direito de formalizar sua ligação, mediante um contrato em cartório, até por uma questão prática envolvendo sucessão, herança, pensão, bens adquiridos em comum. Antes a lei determinava que esse contrato fosse celebrado por um casal. Hoje, em muitos países, inclusive no Brasil, essa exigência foi abolida.


2 – Pode-se situar esse contrato como um casamento?

Sim, se considerarmos que o substantivo casamento, como ocorre frequentemente com expressões idiomáticas portuguesas, tem várias acepções: pode ser vínculo conjugal entre um homem e uma mulher, mas também uma associação ou aliança entre duas ou mais pessoas.


3 – De qualquer forma, não soa estranho falar em casamento gay, porquanto o termo reporta-se a união entre um homem e uma mulher?

Se considerarmos o assunto sob o ponto de vista espiritual, não há nada de estranho. Conforme está na questão 200, de O Livro dos Espíritos, o Espírito tem sexo como condição psicológica, podendo ser eminentemente masculino ou feminino. Sempre encontraremos entre casais gays, sejam de homens ou mulheres, o ascendente masculino e o feminino.


4 – Partindo desse princípio poderíamos dizer que os casais gays se formam por atração entre um Espírito de ascendência psicológica masculina com outro de ascendência psicológica feminina?

Embora não possamos generalizar, acredito que isso ocorra na maior parte dessas uniões, considerando que o sexo, sob o ponto de vista físico, é identificado pelos órgãos sexuais, mas sob o ponto de vista espiritual prevalece a identidade psicológica.


5 – Será razoável celebrar no centro Espírita um casamento gay?

O Espiritismo não celebra casamentos, explicando-nos que toda comunhão com Deus é um ato pessoal que dispensa ritos e rezas, ofícios e oficiantes. Duas pessoas que decidam viver juntas, numa ligação homossexual ou heterossexual, devem pedir as bênçãos divinas a partir de sua própria iniciativa, em oração nos redutos do coração.


6 – E quanto ao casamento gay nas igrejas tradicionais?

É um assunto para ser resolvido por comunidades religiosas que adotam o casamento religioso, o que não é o caso do Espiritismo.


7 – As religiões tradicionais não aceitam que os casais gays adotem filhos, sob a alegação de que dois pais ou duas mães vão confundir a cabeça da criança. É razoável considerar assim?

O que devemos preferir: que a criança experimente o trauma doloroso de viver em orfanato e, não raro, na rua, ou que seja cuidada e educada num lar, tendo dois pais ou duas mães? Pesquisas com crianças educadas por gays revelam que não apresentam problemas de relacionamento social. Muitas se saem até melhor nos estudos. Tudo o que a criança precisa é de um lar ajustado, onde receba muito amor, não importando se é educada por homo ou heterossexuais.


8 – O que dizer do forte preconceito contra uniões dessa natureza? Em alguns países o relacionamento homossexual é punido com a prisão e até com a morte.

Quando foi abolida a escravidão em nosso país, muita gente achava que era anormal negros desfrutarem da mesma liberdade dos brancos. Nos Estados Unidos aconteceu uma sangrenta guerra civil para libertar os escravos. No futuro, pessoas que vivem experiências homo afetivas deixarão de sugerir anormalidade ou preconceitos. São apenas diferentes, com todos os direitos de qualquer cidadão, inclusive de constituir família, de acordo com sua maneira de ser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...