Não te esqueças de que a solução para o problema que te angustia, está a caminho.

Nos tribunais da Divina Justiça, nenhum processo fica parado.

A tua petição, depois de examinada, será deferida de acordo com os teus méritos.

Não te aflijas, antecipando-te às providências que haverão de ser tomadas em favor de tua paz.

Nem agraves a tua situação, tornando inócuas, quando te alcancem, as deliberações em andamento.

Saber esperar é tão importante quanto saber agir.

Toda decisão precipitada acaba sendo uma solução pela metade para o problema que se pretende resolver.

A solução que demora a surgir ainda não encontrou, disponíveis, os elementos que a favoreçam.


Irmão José/Carlos A. Baccelli
livro "Vigiai e Orai"











Dez Maneiras de Amar a Nós Mesmos

1. Disciplinar os próprios impulsos.

2. Trabalhar, cada dia, produzindo o melhor que pudermos.

3. Atender aos bons conselhos que traçamos para os outros.

4. Aceitar, sem revolta, a crítica e a reprovação.

5. Esquecer as faltas alheias sem desculpar as nossas.

6. Evitar as conversações inúteis.

7. Receber no sofrimento o processo de nossa educação.

8. Calar diante da ofensa, retribuindo o mal com o bem.

9. Ajudar a todos, sem exigir qualquer pagamento de gratidão.

10. Repetir as lições edificantes, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, perseverando no aperfeiçoamento de nós mesmos, sem desanimar e colocando-nos a serviço do Divino Mestre, hoje e sempre.







Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO,
mesmo sabendo que as rosas não falam...

Que eu não perca o OTIMISMO, mesmo sabendo que o futuro
que nos espera pode não ser tão alegre...

Que eu não perca a VONTADE DE VIVER, mesmo sabendo que a vida é,em muitos momentos, dolorosa...


Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS,
mesmo sabendo que, com as voltas do mundo,
eles acabam indo embora de nossas vidas...

Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS,
Mesmo sabendo que muitas delas são incapazes
de ver, reconhecer e retribuir, esta ajuda...

Que eu não perca o EQUILÍBRIO, mesmo sabendo
que inúmeras forças querem que eu caia...

Que eu não perca A VONTADE DE AMAR, mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim...

Que eu não perca a LUZ E O BRILHO NO OLHAR, mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão os meus olhos...

Que eu não perca a GARRA, mesmo sabendo que a derrota e a perda

São dois adversários extremamente perigosos...

Que eu não perca a RAZÃO, mesmo sabendo

que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas...

Que eu não perca o sentimento de JUSTIÇA, mesmo
sabendo que o prejudicado possa ser eu...

Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO, mesmo sabendo
que um dia os meus braços estarão fracos...

Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VIVER, mesmo sabendo

que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...

Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia...


Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR que existe em meu coração, mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado...

Que eu não perca a vontade de SER GRANDE, mesmo
sabendo que o mundo é pequeno...

E acima de tudo...

Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente!

Que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois...

A VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS

E CONCRETIZADA NO AMOR!






Desencanto

Também, Senhor, um dia, de alma ansiosa,
Num sonho todo amor, carícia e graça,
Quis encontrar a imagem cor-de-rosa
Da ventura que canta, sonha e passa.

E perquiri a estrada erma e escabrosa,
Perenemente sob a rude ameaça
Da amargura sem termos, angustiosa,
Entre os frios do pranto e da desgraça,

Até que um dia a dor, violentamente,
Fez nascer no meu cérebro demente
Os anelos de morte, cinza e nada.

E no inferno simbólico do Dante,
Vim reencontrar a lagrima triunfante,
Palpitando em minh’alma estraçalhada.


Autor: Hermes Fontes
(psicografia de Chico Xavier )

Estudos Doutrinários

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Viver implica responsabilidade




Viver implica responsabilidade

Se fôssemos resumir em uma única palavra o ato de bem viver, REPONSABILIDADE seria a palavra adequada.

As leis que regulam o Universo estão estruturadas de forma que cada indivíduo é responsável pela sua vida. Cada ação, por menor que seja, repercutirá, no presente ou no futuro, desencadeando, pela lei de causa e efeito, um resultado positivo ou negativo, conforme os propósitos bons ou maus.

Deus, a Inteligência Suprema do Universo, cria os Espíritos, em igualdade de condições e dotados de recursos que os capacitam a caminhar na direção do objetivo de todos: a perfeição. Essa meta será conquistada ao longo das múltiplas encarnações, quando o ser será submetido a vivências nas mais variadas condições, a fim de adquirir o conhecimento e a moralidade, todas as ciências e virtudes, superando os vícios e imperfeições.

Desse modo, pelas escolhas e pelos seus esforços, cada Espírito está hoje vivenciando, dentro do patamar evolutivo alcançado, as experiências que melhor se ajustam às suas necessidades de progresso.

Para que tenha êxito na jornada inúmeros recursos são necessários. Muitas providências são tomadas pelos Espíritos Superiores que, aqui na Terra e em todas as dimensões planetárias, suprem a incapacidade e secundam os esforços do jornadeiro em evolução.

Assim, a vida se reveste de uma gravidade que a maioria ignora. Quantos esforços dos amigos espirituais para que a vida aconteça na Terra. Quanta abnegação e renúncia daqueles que nos receberam como filhos, os quais, em muitos casos, poderiam optar por um Espírito mais evangelizado, mas pelo amor que nos devotam, nos aceitaram apesar do ônus que isto lhes impôs. Nem sempre pensamos no trabalho, anônimo e as ocultas, do nosso Espírito protetor, encarregado de nos conduzir no caminho do bem.

Por isso, responderemos pela oportunidade perdida. Seremos cobrados pelos recursos que foram desperdiçados. Do corpo físico, este veículo que nos possibilita o aprendizado na matéria; pelos excessos de qualquer ordem, pensamentos e sentimentos que geram desarmonia; dos talentos da inteligência, a família, as oportunidades de estudo e trabalho. Responderemos, também, pelos prejuízos financeiros, morais e afetivos que causamos para os outros. Tudo que for mal utilizado terá consequências inevitáveis. Olvidar os compromissos assumidos e os conselhos advindos dos amigos invisíveis, pelos sutis canais da intuição, naturalmente implicará na nossa desdita, pois o reflexo das nossas ações será o Juiz que nos acompanhará onde quer que nos encontrarmos.

Cabe destacar que não basta apenas não fazer o mal, embora uma conquista importante, cumpre-lhe fazer o bem no limite de suas forças, porquanto responderá por todo mal que haja resultado de não haver praticado o bem, nos alertam os Espíritos encarregados da revelação da Doutrina Espírita1.

Teremos que responder pelo bem que não fizemos, assim como pelo mal que praticamos. Não nos é possível ter atitudes neutras, pois toda atitude tem consequências. A vida nos convida a uma atitude positiva, de quem realiza o que precisa ser feito, independente das limitações, obstáculos e dificuldades que se apresentam.

Por outro lado, aquele que se esforça, superando a acomodação e o egoísmo, receberá o fruto do amadurecimento espiritual e a paz resultante da consciência tranquila. Terá a felicidade dos que dignificam a vida, e as oportunidades sem malbaratar os preciosos recursos que Deus coloca a sua disposição.


1KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos. 89. ed. Rio de Janeiro: FEB, 2007. Questão 642.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...