Não te esqueças de que a solução para o problema que te angustia, está a caminho.

Nos tribunais da Divina Justiça, nenhum processo fica parado.

A tua petição, depois de examinada, será deferida de acordo com os teus méritos.

Não te aflijas, antecipando-te às providências que haverão de ser tomadas em favor de tua paz.

Nem agraves a tua situação, tornando inócuas, quando te alcancem, as deliberações em andamento.

Saber esperar é tão importante quanto saber agir.

Toda decisão precipitada acaba sendo uma solução pela metade para o problema que se pretende resolver.

A solução que demora a surgir ainda não encontrou, disponíveis, os elementos que a favoreçam.


Irmão José/Carlos A. Baccelli
livro "Vigiai e Orai"











Dez Maneiras de Amar a Nós Mesmos

1. Disciplinar os próprios impulsos.

2. Trabalhar, cada dia, produzindo o melhor que pudermos.

3. Atender aos bons conselhos que traçamos para os outros.

4. Aceitar, sem revolta, a crítica e a reprovação.

5. Esquecer as faltas alheias sem desculpar as nossas.

6. Evitar as conversações inúteis.

7. Receber no sofrimento o processo de nossa educação.

8. Calar diante da ofensa, retribuindo o mal com o bem.

9. Ajudar a todos, sem exigir qualquer pagamento de gratidão.

10. Repetir as lições edificantes, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, perseverando no aperfeiçoamento de nós mesmos, sem desanimar e colocando-nos a serviço do Divino Mestre, hoje e sempre.







Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO,
mesmo sabendo que as rosas não falam...

Que eu não perca o OTIMISMO, mesmo sabendo que o futuro
que nos espera pode não ser tão alegre...

Que eu não perca a VONTADE DE VIVER, mesmo sabendo que a vida é,em muitos momentos, dolorosa...


Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS,
mesmo sabendo que, com as voltas do mundo,
eles acabam indo embora de nossas vidas...

Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS,
Mesmo sabendo que muitas delas são incapazes
de ver, reconhecer e retribuir, esta ajuda...

Que eu não perca o EQUILÍBRIO, mesmo sabendo
que inúmeras forças querem que eu caia...

Que eu não perca A VONTADE DE AMAR, mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim...

Que eu não perca a LUZ E O BRILHO NO OLHAR, mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão os meus olhos...

Que eu não perca a GARRA, mesmo sabendo que a derrota e a perda

São dois adversários extremamente perigosos...

Que eu não perca a RAZÃO, mesmo sabendo

que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas...

Que eu não perca o sentimento de JUSTIÇA, mesmo
sabendo que o prejudicado possa ser eu...

Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO, mesmo sabendo
que um dia os meus braços estarão fracos...

Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VIVER, mesmo sabendo

que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...

Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia...


Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR que existe em meu coração, mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado...

Que eu não perca a vontade de SER GRANDE, mesmo
sabendo que o mundo é pequeno...

E acima de tudo...

Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente!

Que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois...

A VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS

E CONCRETIZADA NO AMOR!






Desencanto

Também, Senhor, um dia, de alma ansiosa,
Num sonho todo amor, carícia e graça,
Quis encontrar a imagem cor-de-rosa
Da ventura que canta, sonha e passa.

E perquiri a estrada erma e escabrosa,
Perenemente sob a rude ameaça
Da amargura sem termos, angustiosa,
Entre os frios do pranto e da desgraça,

Até que um dia a dor, violentamente,
Fez nascer no meu cérebro demente
Os anelos de morte, cinza e nada.

E no inferno simbólico do Dante,
Vim reencontrar a lagrima triunfante,
Palpitando em minh’alma estraçalhada.


Autor: Hermes Fontes
(psicografia de Chico Xavier )

Estudos Doutrinários

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Controle Sobre as Emoções



Dentro de cada um de nós existem duas mentes distintas que quase sempre atuam em harmonia. Chamamos de mente racional e emocional.

A mente emocional é impulsiva e intimamente ligada aos instintos primitivos do ser humano, instintos que muitas vezes são essenciais para a proteção do indivíduo diante de situações de perigo, é o gatilho que dispara os mecanismos fisiológicos como a liberação de adrenalina no sangue que faz você correr ou defender-se diante de uma situação extrema. Já a mente racional, está ligada à nossa capacidade de reflexão e análise. São dois modos distintos de responder às experiências ou estímulos que recebemos do meio em que vivemos.

Sabemos que a mente emocional é mais rápida que a racional, portanto, diante de qualquer acontecimento, inicialmente somos tocados por emoções como alegria, tristeza, raiva ou medo, após alguns instantes nossa mente racional passa a trabalhar analiticamente de forma ponderada e reflexiva oferendo-nos uma leitura mais adequada da situação. É a mente racional que reflete nossa real situação evolutiva.

Sabendo disto, é evidente a importância que o controle sobre nossas emoções pode exercer sobre nossas vidas e sobre o nosso relacionamento com as pessoas à nossa volta. Muitas vezes, nos deixamos conduzir pelas emoções frente às situações cotidianas, que não mereceriam maior atenção se avaliadas racionalmente, mas que no auge do acúmulo dos inúmeros transtornos comuns da vida moderna, acabam por transformarem-se em grandes problemas, como por exemplo o motorista do carro da frente que insiste em não nos deixar passar, o semáforo que demora a abrir, a internet que está lenta, seu computador que travou, entre tantas. Como resultado passamos a maior parte do dia convivendo com emoções negativas que além de trazer prejuízos ao convívio social, também podem acarretar problemas de saúde sérios como quadros depressivos por exemplo.

Ao aprender a lidar com nossas próprias emoções estamos também optando por viver uma vida mais leve, alegre e saudável.

O verdadeiro espírita deve continuamente procurar pelo equilíbrio emocional. Baseados numa fé racional, amparada no conhecimento e na compreensão das leis e dos mecanismos que regem o universo, somos convocados e devemos esforçar-nos a reagir com equilíbrio e racionalidade diante das inúmeras situações de conflito com as quais nos deparamos frequentemente.

Porém, se perdeste o controle, e num ímpeto de cólera, assemelhando-se mais ao animal primitivo do que ao homem civilizado que és, feriste quem tu amas ou causaste qualquer mal, ainda assim, não creia que este momento reflita na verdade quem tu és, pois quase sempre não és somente tu que ages neste momento. Eleva teu pensamento à Deus e pede ajuda e esclarecimento. Nosso mentor espiritual está sempre presente para inspirar-nos equilíbrio e paciência.

É claro que nenhuma mudança profunda ocorre do dia para a noite, um comportamento há muito tempo arraigado passa a fazer parte de nossa personalidade, desta forma, para mudar é necessário muita disciplina e disposição. Basta não desanimar, pois muitas vezes vamos falhar, mas somos aprendizes e podemos errar enquanto aprendemos, faz parte do processo.

Força sempre.

Wilson R. Garcia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...