Não te esqueças de que a solução para o problema que te angustia, está a caminho.

Nos tribunais da Divina Justiça, nenhum processo fica parado.

A tua petição, depois de examinada, será deferida de acordo com os teus méritos.

Não te aflijas, antecipando-te às providências que haverão de ser tomadas em favor de tua paz.

Nem agraves a tua situação, tornando inócuas, quando te alcancem, as deliberações em andamento.

Saber esperar é tão importante quanto saber agir.

Toda decisão precipitada acaba sendo uma solução pela metade para o problema que se pretende resolver.

A solução que demora a surgir ainda não encontrou, disponíveis, os elementos que a favoreçam.


Irmão José/Carlos A. Baccelli
livro "Vigiai e Orai"











Dez Maneiras de Amar a Nós Mesmos

1. Disciplinar os próprios impulsos.

2. Trabalhar, cada dia, produzindo o melhor que pudermos.

3. Atender aos bons conselhos que traçamos para os outros.

4. Aceitar, sem revolta, a crítica e a reprovação.

5. Esquecer as faltas alheias sem desculpar as nossas.

6. Evitar as conversações inúteis.

7. Receber no sofrimento o processo de nossa educação.

8. Calar diante da ofensa, retribuindo o mal com o bem.

9. Ajudar a todos, sem exigir qualquer pagamento de gratidão.

10. Repetir as lições edificantes, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, perseverando no aperfeiçoamento de nós mesmos, sem desanimar e colocando-nos a serviço do Divino Mestre, hoje e sempre.







Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO,
mesmo sabendo que as rosas não falam...

Que eu não perca o OTIMISMO, mesmo sabendo que o futuro
que nos espera pode não ser tão alegre...

Que eu não perca a VONTADE DE VIVER, mesmo sabendo que a vida é,em muitos momentos, dolorosa...


Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS,
mesmo sabendo que, com as voltas do mundo,
eles acabam indo embora de nossas vidas...

Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS,
Mesmo sabendo que muitas delas são incapazes
de ver, reconhecer e retribuir, esta ajuda...

Que eu não perca o EQUILÍBRIO, mesmo sabendo
que inúmeras forças querem que eu caia...

Que eu não perca A VONTADE DE AMAR, mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim...

Que eu não perca a LUZ E O BRILHO NO OLHAR, mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão os meus olhos...

Que eu não perca a GARRA, mesmo sabendo que a derrota e a perda

São dois adversários extremamente perigosos...

Que eu não perca a RAZÃO, mesmo sabendo

que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas...

Que eu não perca o sentimento de JUSTIÇA, mesmo
sabendo que o prejudicado possa ser eu...

Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO, mesmo sabendo
que um dia os meus braços estarão fracos...

Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VIVER, mesmo sabendo

que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...

Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia...


Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR que existe em meu coração, mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado...

Que eu não perca a vontade de SER GRANDE, mesmo
sabendo que o mundo é pequeno...

E acima de tudo...

Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente!

Que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois...

A VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS

E CONCRETIZADA NO AMOR!






Desencanto

Também, Senhor, um dia, de alma ansiosa,
Num sonho todo amor, carícia e graça,
Quis encontrar a imagem cor-de-rosa
Da ventura que canta, sonha e passa.

E perquiri a estrada erma e escabrosa,
Perenemente sob a rude ameaça
Da amargura sem termos, angustiosa,
Entre os frios do pranto e da desgraça,

Até que um dia a dor, violentamente,
Fez nascer no meu cérebro demente
Os anelos de morte, cinza e nada.

E no inferno simbólico do Dante,
Vim reencontrar a lagrima triunfante,
Palpitando em minh’alma estraçalhada.


Autor: Hermes Fontes
(psicografia de Chico Xavier )

Estudos Doutrinários

sábado, 11 de abril de 2015

Requisitos essenciais à prática mediúnica, Parte 1





Livro Aos Médiuns com Carinho, Cap. 11 – Mensagem Recebida no Lar de Teresa pelo Espírito Aurélio.
Muitas coisas são fundamentais ao desenvolvimento da mediunidade, este dom tão delicado e complexo que os homens recebem sem lhe dar o valor devido.

Entre os requisitos essenciais podemos destacar:,

1. A disciplina mental;
2. O hábito da oração;
3. A perseverança no estudo;
4. O devotamento ao bem do próximo;
5. O cumprimento das tarefas encetadas;
6. A melhoria paulatina do ambiente psíquico através da vigilância;
7. A apuração da sensibiliddae pelo exercício da meditação e do recolhimento.
Poderíamos enumerar outros tantos, mas tentaremos esclarecer cada um desses itens, estudando-os convosco.

Displina Mental – é a condição de não deixarmos que o pensamento se disperse. As pessoas desorganizadas, isto é, aquelas cuja mente borboleteia por vários assuntos ao mesmo tempo, incapacitadas de levar um raciocínio até o fim, dificilmente poderão captar bem uma mensagem.
Como conseguir disciplina mental? Formando o hábito de refletir em torno de um assunto, observando o princípio, o meio e o fim do mesmo.
Exercita-se, tomando uma frase do Evangelho e tecendo em torno dela um raciocínio constante.
A reflexão, a meditação e a busca do raciocínio completo, arrumam a mente, abrem espaços para que a inspiração de mais Alto circule livremente, preenchendo as lacunas e impedindo as brechas por onde penetram sugestões inferiores.
Figuremos um quarto em desalinho. Quem quiser circular dentro dele, decerto tropeçará a cada momento. É o que acontece quando encontramos a mente indisciplinada.
A nossa idéia tropeça nas criações desarvoradas do Médium, impedindo a limpidez da mensagem.

Hábito da Oração – A oração é como uma antena que propicia a emissão e a recepção das forças espirituais. Pela oração, o Médium não apenas solicita, mas louva e agradece, segundo os ensinos dos Espíritos Benfeitores que ditaram a Codificação. Sendo assim, sem o hábito da oração, o médium se assemelha a um potente aparelho, mas incapacitado para um perfeito funcionamento por lhe faltarem os implementos indispensáveis.

Perseverança no Estudo – Médium sem estudo lembra alguém que se deslumbra com a beleza do mar e nele se lança, sem saber nadar. Existem muitos deslumbrados com a Mediunidade que, por não conhecerem seus complexos mecanismos, nem se adestrarem, convenientemente, terminam envolvidos nas armadilhas dos planos inferiores.
A força mediúnica é neutra como a eletricidade; Usá-la, convenientemente, depende de estudo específico, para que se evitem choques desnecessários.
Figuremos uma pessoa interessada no reparo de uma tomada elétrica. Se ela não se preocupa em aprender a lidar com os fios, não se lembra de desligar a chave correspondente ou não tem cuidado ao manipular a fita isolante, pode provovar um incêndio ou, no mínimo, receber choques desastrosos.
Formulamos esta imagem, porque já estamos prevendo que alguns companheiros lembrarão de Médiuns, que, sem nenhum conhecimento doutrinário, realizaram tarefas preciosas no campo da caridade. Mas lembramos que esses Médiuns, para conseguirem tais resultados, embora não sejam esclarecidos intelectualmente, em sua maioria são almas simples que trazem “desligadas as chaves do orgulho e da vaidade” e usam a fita isolante do “desinteresse pessoal”, com que conseguem então livrar as possíveis armadilhas dos planos inferiores a que nos referimos anteriormente.
De outras vezes, são almas que, trazendo em seus arquivos espirituais o necessário conhecimento, dispõem-se a servir junto às camadas mais humildes das comunidades. Entretanto, são logo reconhecidas pela sabedoria de seus conceitos e orientações, embora a singeleza das palavras.
Lembremos que Jesus nos advertiu que “conheceríamos a árvore pelos seus frutos e que a árvore boa não dá maus frutos e a árvore má não pode dar frutos bons“

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...