Não te esqueças de que a solução para o problema que te angustia, está a caminho.

Nos tribunais da Divina Justiça, nenhum processo fica parado.

A tua petição, depois de examinada, será deferida de acordo com os teus méritos.

Não te aflijas, antecipando-te às providências que haverão de ser tomadas em favor de tua paz.

Nem agraves a tua situação, tornando inócuas, quando te alcancem, as deliberações em andamento.

Saber esperar é tão importante quanto saber agir.

Toda decisão precipitada acaba sendo uma solução pela metade para o problema que se pretende resolver.

A solução que demora a surgir ainda não encontrou, disponíveis, os elementos que a favoreçam.


Irmão José/Carlos A. Baccelli
livro "Vigiai e Orai"











Dez Maneiras de Amar a Nós Mesmos

1. Disciplinar os próprios impulsos.

2. Trabalhar, cada dia, produzindo o melhor que pudermos.

3. Atender aos bons conselhos que traçamos para os outros.

4. Aceitar, sem revolta, a crítica e a reprovação.

5. Esquecer as faltas alheias sem desculpar as nossas.

6. Evitar as conversações inúteis.

7. Receber no sofrimento o processo de nossa educação.

8. Calar diante da ofensa, retribuindo o mal com o bem.

9. Ajudar a todos, sem exigir qualquer pagamento de gratidão.

10. Repetir as lições edificantes, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, perseverando no aperfeiçoamento de nós mesmos, sem desanimar e colocando-nos a serviço do Divino Mestre, hoje e sempre.







Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO,
mesmo sabendo que as rosas não falam...

Que eu não perca o OTIMISMO, mesmo sabendo que o futuro
que nos espera pode não ser tão alegre...

Que eu não perca a VONTADE DE VIVER, mesmo sabendo que a vida é,em muitos momentos, dolorosa...


Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS,
mesmo sabendo que, com as voltas do mundo,
eles acabam indo embora de nossas vidas...

Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS,
Mesmo sabendo que muitas delas são incapazes
de ver, reconhecer e retribuir, esta ajuda...

Que eu não perca o EQUILÍBRIO, mesmo sabendo
que inúmeras forças querem que eu caia...

Que eu não perca A VONTADE DE AMAR, mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim...

Que eu não perca a LUZ E O BRILHO NO OLHAR, mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão os meus olhos...

Que eu não perca a GARRA, mesmo sabendo que a derrota e a perda

São dois adversários extremamente perigosos...

Que eu não perca a RAZÃO, mesmo sabendo

que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas...

Que eu não perca o sentimento de JUSTIÇA, mesmo
sabendo que o prejudicado possa ser eu...

Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO, mesmo sabendo
que um dia os meus braços estarão fracos...

Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VIVER, mesmo sabendo

que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...

Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia...


Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR que existe em meu coração, mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado...

Que eu não perca a vontade de SER GRANDE, mesmo
sabendo que o mundo é pequeno...

E acima de tudo...

Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente!

Que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois...

A VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS

E CONCRETIZADA NO AMOR!






Desencanto

Também, Senhor, um dia, de alma ansiosa,
Num sonho todo amor, carícia e graça,
Quis encontrar a imagem cor-de-rosa
Da ventura que canta, sonha e passa.

E perquiri a estrada erma e escabrosa,
Perenemente sob a rude ameaça
Da amargura sem termos, angustiosa,
Entre os frios do pranto e da desgraça,

Até que um dia a dor, violentamente,
Fez nascer no meu cérebro demente
Os anelos de morte, cinza e nada.

E no inferno simbólico do Dante,
Vim reencontrar a lagrima triunfante,
Palpitando em minh’alma estraçalhada.


Autor: Hermes Fontes
(psicografia de Chico Xavier )

Estudos Doutrinários

sábado, 19 de setembro de 2015

Uma breve reflexão acerca da Lei Natural



Mais uma vez iremos prosear a respeito da Parte Terceira do Livro dos Espíritos, que versa oportunamente, sobre as Leis Morais. Entendemos, em primeiro momento, a Lei Natural como a Lei de Deus, que nos indica o que fazer ou não. E essa Lei, é eterna e imutável como o próprio Deus.


Dentro desta instigante temática, avançaremos sobre a Divisão da Lei Natural, que compreendem as questões 647 e 648.


Na questão 647, Kardec, às voltas com seu monumental trabalhado, indaga à Espiritualdade se a Lei de Deus está dentro dos Ensinamentos de Amor que Jesus, nosso Governador Espiritual, nos ensinou. Bem, a Espiritualidade indica que sim, afirmando ainda que tal Lei abrange a todas as circunstâncias da vida. Temos, inclusive regras precisas, uma vez que estamos longe da perfeição e tendemos a buscar eventuais brechas que nos saciam o ego primitivo. Felizmente, na Lei Natural não há brecha alguma.
Isso que dizer, basicamente, que para abandonarmos nosso estado primitivo temos que seguir a regra moral de crescimento, que passa obrigatoriamente pelo Cristo. Jesus, em verdade, torna-se o parâmetro de conduta moral, e seu preceito máximo de Amor ao Próximo é o mais valioso item que devemos buscar incansavelmente.


Para buscas esse valioso item é necessário o seguinte: tolerar, compreender, ter paciência, humildade, perseverança, fé em si mesmo e muita fé no próximo. Devemos ter a certeza que nosso padrão vibratório deve ser mantido o mais elevado o possível, e somente atingimos esse nível quando nós permitimos desenvolver as virtudes acima citadas.


Não é fácil, no entanto, dar a outra face para bater.
Não é fácil perdoar setenta vezes sete.
Não é fácil se colocar no lugar do outro, muitas vezes mais ignorante que você.


Mas é necessário fazer tudo isso!


Ora, se estamos aqui, é por que buscamos algo. Esse algo, podemos chamar de crescimento evolutivo. Para crescermos, temos que trabalhar a tal Reforma Íntima. Para Trabalharmos a Reforma Íntima são fundamentais a Reflexão e Ação.


Para refletirmos, temos que ter informações.


Para agirmos, temos que ter as informações processadas em nosso mental.


Lembremos do Espírito de Verdade que disse: Amai-vos e Intruí-vos!


Podemos começar amando, verdadeiramente, a nós mesmos e nosso grupo familiar e social. E a instrução fortalecerá os laços de amor e, de forma muito poderosa, irá nos induzir a amar toda a Humanidade!


Amar, por acaso, não é a Lei de Deus?


Alguém poderia considerar: “Ué, tem gente que anda deturpando os Ensinamentos de Jesus...”
Verdade!


Paulo de Tarso, alerta: “Examinai tudo e retende o que é bom.”


Ou seja, tudo que vai contra o respeito, a compreensão, a paciência com o próximo, é contra a Lei de Deus, ensinada a nós por Jesus de Nazaré.


Chico Xavier, o Apóstolo da Mediunidade, costuma dizer:

“Cristo não pediu muita coisa. Não exigiu que as pessoas escalassem o Everest ou que fizessem grandes sacrifícios. Ele só pediu que nos amássemos uns aos outros.”



E outro momento, um hindu chamado Mohandas ‘Mahathma’ Gandhi disse:

“Um covarde é incapaz de demonstrar amor. Isso é privilégio dos corajosos.”

Passando agora para a questão 648, vemos o cuidadoso Kardec, indagando a respeito da divisão da Lei Natural, aludindo a dez partes: Adoração, Trabalho, Reprodução, Conservação, Destruição, Sociedade, Progresso, Igualdade, Liberdade e Justiça, Amor e Caridade.


A orientadora Espiritualidade Superior, citando Moisés, informa que tal divisão é para nos facilitar a compreensão, como qualquer sistema de classificação. Ou seja, didaticamente, vamos galgando os degraus do conhecimento sem tropeços. Dessa forma vamos aprendendo de forma interdisciplinar, se encararmos, do nosso jeito simples, essas Leis como disciplinas escolares.


Aqui, mais uma vez, registramos nossos parabéns ao professor Rivail, por se responsabilizar em organizar o importante Livro dos Espíritos.


É importante ressaltar que a resposta da Espiritualidade não parou por aí. Enfatizando que a última Lei, a de Justiça, Amor e Caridade é a mais importante, sendo uma compilação das demais e a que propõe mais condições de moralização da Humanidade.


Encerramos, com André Luiz, e seu pensamento está registrado no Livro Agenda Cristã, psicografado pelo muito amado Chico Xavier:

“É sempre fácil observar o mal e identificá-lo. Entretanto, o que o Cristo espera de nós outros é a descoberta e o cultivo do bem para que o divino

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LinkWithin



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...