Não te esqueças de que a solução para o problema que te angustia, está a caminho.

Nos tribunais da Divina Justiça, nenhum processo fica parado.

A tua petição, depois de examinada, será deferida de acordo com os teus méritos.

Não te aflijas, antecipando-te às providências que haverão de ser tomadas em favor de tua paz.

Nem agraves a tua situação, tornando inócuas, quando te alcancem, as deliberações em andamento.

Saber esperar é tão importante quanto saber agir.

Toda decisão precipitada acaba sendo uma solução pela metade para o problema que se pretende resolver.

A solução que demora a surgir ainda não encontrou, disponíveis, os elementos que a favoreçam.


Irmão José/Carlos A. Baccelli
livro "Vigiai e Orai"











Dez Maneiras de Amar a Nós Mesmos

1. Disciplinar os próprios impulsos.

2. Trabalhar, cada dia, produzindo o melhor que pudermos.

3. Atender aos bons conselhos que traçamos para os outros.

4. Aceitar, sem revolta, a crítica e a reprovação.

5. Esquecer as faltas alheias sem desculpar as nossas.

6. Evitar as conversações inúteis.

7. Receber no sofrimento o processo de nossa educação.

8. Calar diante da ofensa, retribuindo o mal com o bem.

9. Ajudar a todos, sem exigir qualquer pagamento de gratidão.

10. Repetir as lições edificantes, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, perseverando no aperfeiçoamento de nós mesmos, sem desanimar e colocando-nos a serviço do Divino Mestre, hoje e sempre.







Que Deus não permita que eu perca o ROMANTISMO,
mesmo sabendo que as rosas não falam...

Que eu não perca o OTIMISMO, mesmo sabendo que o futuro
que nos espera pode não ser tão alegre...

Que eu não perca a VONTADE DE VIVER, mesmo sabendo que a vida é,em muitos momentos, dolorosa...


Que eu não perca a vontade de TER GRANDES AMIGOS,
mesmo sabendo que, com as voltas do mundo,
eles acabam indo embora de nossas vidas...

Que eu não perca a vontade de AJUDAR AS PESSOAS,
Mesmo sabendo que muitas delas são incapazes
de ver, reconhecer e retribuir, esta ajuda...

Que eu não perca o EQUILÍBRIO, mesmo sabendo
que inúmeras forças querem que eu caia...

Que eu não perca A VONTADE DE AMAR, mesmo sabendo que a pessoa que eu mais amo pode não sentir o mesmo sentimento por mim...

Que eu não perca a LUZ E O BRILHO NO OLHAR, mesmo sabendo que muitas coisas que verei no mundo escurecerão os meus olhos...

Que eu não perca a GARRA, mesmo sabendo que a derrota e a perda

São dois adversários extremamente perigosos...

Que eu não perca a RAZÃO, mesmo sabendo

que as tentações da vida são inúmeras e deliciosas...

Que eu não perca o sentimento de JUSTIÇA, mesmo
sabendo que o prejudicado possa ser eu...

Que eu não perca o meu FORTE ABRAÇO, mesmo sabendo
que um dia os meus braços estarão fracos...

Que eu não perca a BELEZA E A ALEGRIA DE VIVER, mesmo sabendo

que muitas lágrimas brotarão dos meus olhos e escorrerão por minha alma...

Que eu não perca o AMOR POR MINHA FAMÍLIA, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exigiria esforços incríveis para manter a sua harmonia...


Que eu não perca a vontade de DOAR ESTE ENORME AMOR que existe em meu coração, mesmo sabendo que muitas vezes ele será submetido e até rejeitado...

Que eu não perca a vontade de SER GRANDE, mesmo
sabendo que o mundo é pequeno...

E acima de tudo...

Que eu jamais me esqueça que Deus me ama infinitamente!

Que um pequeno grão de alegria e esperança dentro de cada um é capaz de mudar e transformar qualquer coisa, pois...

A VIDA É CONSTRUÍDA NOS SONHOS

E CONCRETIZADA NO AMOR!






Desencanto

Também, Senhor, um dia, de alma ansiosa,
Num sonho todo amor, carícia e graça,
Quis encontrar a imagem cor-de-rosa
Da ventura que canta, sonha e passa.

E perquiri a estrada erma e escabrosa,
Perenemente sob a rude ameaça
Da amargura sem termos, angustiosa,
Entre os frios do pranto e da desgraça,

Até que um dia a dor, violentamente,
Fez nascer no meu cérebro demente
Os anelos de morte, cinza e nada.

E no inferno simbólico do Dante,
Vim reencontrar a lagrima triunfante,
Palpitando em minh’alma estraçalhada.


Autor: Hermes Fontes
(psicografia de Chico Xavier )

Estudos Doutrinários

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Servir


"Nenhuma construção digna se efetua sem a cooperação do serviço e do tempo."

No dicionário, encontramos a definição para a palavra "servir" como: ser útil ou prestável a; auxiliar, favorecer, ajudar; entre outras.

Nesse sentido, sentenciamos uma ferramenta ou instrumento danificado, como inútil. Se essa ferramenta não cumpre com o objetivo para o qual ela foi concebida, não atende mais às nossas necessidades; sua existência não faz sentido, ela não nos serve mais, não vale mais que o espaço que ocupa.



Qual é o sentido da vida?

Desse modo, debruçamo-nos novamente sobre a questão filosófica primordial: Qual é a razão de nossa existência? Nós, espíritas, acreditamos que as diversas encarnações que experimentamos, ocorrem, por conta da necessidade de aperfeiçoamento, que é possível mediante a aquisição de conhecimentos e na aplicação destes, sobretudo, nas relações sociais. Em resumo, evoluímos quando aprendemos a amar.

Acumulamos através dos séculos, sérios comprometimentos com nossos semelhantes. A reencarnação é uma nova oportunidade de reencontro com essas almas, para que possamos desatar os nós que nos prendem à sentimentos primitivos como o ódio, a vingança, a intolerância e aos processos de culpa, que nos localizam nas zonas vibratórias inferiores, tornando-nos os próprios artífices de nossa infelicidade.

Com efeito, só podemos evoluir em qualquer sentido, quando nos tornamos úteis aos nossos semelhantes, integrando-nos num mecanismo precioso que nos torna condutores do amor de Deus que flui através de todas as suas criaturas.

Utilizando esta analogia, o homem que não serve a seu semelhante torna-se inútil para si mesmo, tanto quanto para com os outros. O bom servidor é o homem que faz uso de todos os recursos disponíveis para auxiliar o próximo, e todos, são portadores dos recursos necessários às tarefas a que se propuseram.

Cada ferramenta para sua tarefa


É importante ressaltar que cada ferramenta é destinada a um determinado tipo de tarefa, e não são raros os casos de trabalhos mal realizados pela escolha da ferramenta inapropriada.

Na medida em que o servidor evolui, novas tarefas lhe são confiadas, de forma, que todos podemos oferecer nosso melhor dentro da esfera evolutiva a que pertencemos.

Todos os seres existentes, desde os minerais, os vegetais e os animais, contribuem, de acordo com suas possibilidades com o meio em que estão inseridos, os minerais, fornecendo agentes químicos, os vegetais produzindo oxigênio e outras infinitas atividades imperceptíveis aos nossos sentidos grosseiros.

Todos somos conclamados a participar neste processo e devemos igualmente cooperar, de forma a contribuir com o meio e com as pessoas ao nosso redor. Existem tarefas esperando por servidores em qualquer esfera de ação.

Ouvir, com atenção e interesse autêntico ao lamento daquele que sofre, oferecendo-lhe palavras de consolo é uma maneira de servir. Até mesmo aquele que sofre preso ao leito, acometido por grave enfermidade, pode encorajar milhões de almas com seu exemplo de renúncia e resignação aos desígnios do Pai.

O hábito de cultivar bons pensamentos é uma forma poderosa de servir e ser útil, na medida em que colaboramos para a manutenção de uma atmosfera fluídica equilibrada e salutar ao nosso redor.

Ajuda-nos ó Pai Celestial, para que consigamos nos despir das vestes do orgulho e do egoísmo a fim de que possamos servir com desprendimento e alegria, contribuindo para a nossa evolução, para a evolução daqueles que nos cercam, para a evolução planetária e universal consequentemente.

Prefácio do livro: E A Vida Continua, pelo espírito André Luiz, psicografado por Francisco Cândido Xavier.



Controle Sobre as Emoções



Dentro de cada um de nós existem duas mentes distintas que quase sempre atuam em harmonia. Chamamos de mente racional e emocional.

A mente emocional é impulsiva e intimamente ligada aos instintos primitivos do ser humano, instintos que muitas vezes são essenciais para a proteção do indivíduo diante de situações de perigo, é o gatilho que dispara os mecanismos fisiológicos como a liberação de adrenalina no sangue que faz você correr ou defender-se diante de uma situação extrema. Já a mente racional, está ligada à nossa capacidade de reflexão e análise. São dois modos distintos de responder às experiências ou estímulos que recebemos do meio em que vivemos.

Sabemos que a mente emocional é mais rápida que a racional, portanto, diante de qualquer acontecimento, inicialmente somos tocados por emoções como alegria, tristeza, raiva ou medo, após alguns instantes nossa mente racional passa a trabalhar analiticamente de forma ponderada e reflexiva oferendo-nos uma leitura mais adequada da situação. É a mente racional que reflete nossa real situação evolutiva.

Sabendo disto, é evidente a importância que o controle sobre nossas emoções pode exercer sobre nossas vidas e sobre o nosso relacionamento com as pessoas à nossa volta. Muitas vezes, nos deixamos conduzir pelas emoções frente às situações cotidianas, que não mereceriam maior atenção se avaliadas racionalmente, mas que no auge do acúmulo dos inúmeros transtornos comuns da vida moderna, acabam por transformarem-se em grandes problemas, como por exemplo o motorista do carro da frente que insiste em não nos deixar passar, o semáforo que demora a abrir, a internet que está lenta, seu computador que travou, entre tantas. Como resultado passamos a maior parte do dia convivendo com emoções negativas que além de trazer prejuízos ao convívio social, também podem acarretar problemas de saúde sérios como quadros depressivos por exemplo.

Ao aprender a lidar com nossas próprias emoções estamos também optando por viver uma vida mais leve, alegre e saudável.

O verdadeiro espírita deve continuamente procurar pelo equilíbrio emocional. Baseados numa fé racional, amparada no conhecimento e na compreensão das leis e dos mecanismos que regem o universo, somos convocados e devemos esforçar-nos a reagir com equilíbrio e racionalidade diante das inúmeras situações de conflito com as quais nos deparamos frequentemente.

Porém, se perdeste o controle, e num ímpeto de cólera, assemelhando-se mais ao animal primitivo do que ao homem civilizado que és, feriste quem tu amas ou causaste qualquer mal, ainda assim, não creia que este momento reflita na verdade quem tu és, pois quase sempre não és somente tu que ages neste momento. Eleva teu pensamento à Deus e pede ajuda e esclarecimento. Nosso mentor espiritual está sempre presente para inspirar-nos equilíbrio e paciência.

É claro que nenhuma mudança profunda ocorre do dia para a noite, um comportamento há muito tempo arraigado passa a fazer parte de nossa personalidade, desta forma, para mudar é necessário muita disciplina e disposição. Basta não desanimar, pois muitas vezes vamos falhar, mas somos aprendizes e podemos errar enquanto aprendemos, faz parte do processo.

Força sempre.

Wilson R. Garcia

Você sabe lidar com frustrações?





Um indivíduo quer comprar um automóvel, logo, vai a uma concessionária, escolhe o modelo e a cor desejadas, preenche uma proposta de financiamento e aguarda pela aprovação do crédito, porém, seu cadastro é rejeitado pela instituição financeira. Frustração!
 
Desejo X Realidade

Basicamente podemos entender a frustração como o mal-estar emocional decorrente da falta de preparo para lidar com decepções ou contrariedades, que quase sempre estão acima de nossa real capacidade de solução, pois, a realidade nem sempre pode ser moldada para atender às nossas expectativas.

Este mal-estar pode ser caracterizado por sentimentos de impotência, baixa auto-estima, mau humor, tristeza, pessimismo, isolamento social, entre outros. Em alguns indivíduos pequenas contrariedades são suficientes para desencadear explosões de irracionalidade e coléra, pondo em risco a integridade emocional e até física de seus semelhantes.

Algumas Causas
Crianças que têm todos os seus desejos e caprichos atendidos, tornam-se adultos facilmente frustráveis. Definir limites e cuidar para que eles sejam respeitados é fundamental para criar um adulto consciente de sua posição e capaz de lidar com situações inesperadas. Pais ausentes, que trabalham o dia todo e deixam os filhos com os avós ou com estranhos, acabam sentindo-se culpados e incapazes de negar quaisquer pedidos dos filhos.


“O orgulho vos leva a julgar-vos mais do que sois; a não suportardes uma comparação que vos possa rebaixar...

...Até mesmo as impaciências, que se originam de contrariedades muitas vezes pueris, decorrem da importância que cada um liga à sua personalidade, diante da qual julgais que todos devem curvar-se”

É possível perceber que frustrações nos acometem quando nos sentimos injustiçados, e isto está relacionado ao orgulho. Há pais de família que se revoltam pela falta da cerveja diária, argumentando que trabalharam o dia todo, e portanto, conquistaram este direto. São pessoas predominantemente egoístas que acreditam que o mundo deve atendê-los a tempo e hora.

Disciplina

A frustração é um sentimento autêntico. Ninguém gosta de ser contrariado. O importante é saber lidar com este sentimento, pois nem sempre é possível evitá-lo. Pessoas que tendem a evitar contrariedades a qualquer custo, são geralmente as mais indisciplinadas. Por que esperar várias horas num congestionamento se eu posso seguir pelo acostamento e ganhar alguns minutos? Meu caro, se você optou pela viagem ao litoral em pleno feriadão prolongado, o congestionamento é consequência da tua escolha, assuma-o sem melindres.

Expectativas

Uma receita comum para evitar as decepções é não criar expectativas com relação às pessoas, mas sejamos sinceros, é possível viver sem criar expectativas, se estas criam vínculos importantes entre os homens? É fácil viver alienado e distante, sem esperar que lhe façam nada. E isto não é também outra manifestação de egoísmo, pois assim, nada também você precisaria fazer aos outros? Não basta, que aprendamos a lidar com as contrariedades e decepções que eventualmente possam ser originadas em nossas expectativas?

Antes desta encarnação, quando ainda estávamos no plano espiritual, possuíamos consciência de nossas necessidades evolutivas, desta forma, e com a ajuda de amigos benevolentes, traçamos as metas para a existência presente, com base nestas necessidades e em nossas capacidades. Será que nós mesmos não definimos uma existência mais simples e sem luxos? Por que, então, ficamos revoltados com os negócios ou com o emprego que não nos fornece as condições de viver uma vida mais sofisticada?

Frustrações são mecanismos para o exercício da paciência
Aceitemos nossa real condição de vida, sempre lutando para melhorá-la, porém criando expectativas reais sobre nós mesmos e sobre as pessoas ao nosso redor. Nunca nos esqueçamos que sempre há um tempo de plantar e outro para colher. Cabe a cada um de nós a tarefa de descomplicarmos nossas vidas. Pé na estrada e fé na Providência Divina.

Força Sempre!

[1]O Evangelho Segundo o Espiritismo, Capítulo IX, item 9

 Wilson R. Garcia

A difícil tarefa de conviver com o próximo



"Me ame quando eu menos mereço porque é nesta hora que eu mais preciso".

Amar nossos filhos, nossos amigos, nossos pais, ou aqueles que nos são caros e estimados, não é tarefa das mais difíceis, principalmente quando tudo está bem e quando estes correspondem às nossas expectativas. Até o criminoso mais impiedoso é capaz de fazê-lo sem grande dispêndio.

Até mesmo aos estranhos somos capazes de ajudar, e nem parece uma tarefa das mais difíceis. Colaborar com algumas moedas para o pedinte no semáforo, doar algumas roupas que não nos servem mais, ou um pouco do alimento que abunda em nossa dispensa, são atitudes meritórias quando motivadas por razões puramente humanitárias, e neste caso, denotam certo grau de nobreza, e alguma preocupação autêntica com o próximo, desde que este próximo permaneça distante.

Difícil realmente é estender o nosso amor para além dos limites assistencialistas da matéria, conviver em harmonia com aqueles que nos tiram do sério, aqueles que não correspondem às nossas expectativas, que nos menozprezam ou ainda pior, nos ignoram. Aqueles pelos quais nutrimos uma antipatia aparentemente inexplicável e que com os quais tampouco conseguimos frequentar os mesmos ambientes.

Expectativas em Demasia

A compreensão de que cada indivíduo age de acordo com sua situação evolutiva, nos oferece uma leitura bastante clara da situação: Cada um sempre faz o melhor que pode baseado em sua formação moral e intelectual. Baseado nas experiências que viveu, cada um cria o seu modelo de mundo, com o qual relaciona-se com as outras pessoas ao seu redor.

Algumas pessoas mentem pois também foram vítimas de mentiras e para elas, este é o padrão, outros atacam por medo ou por sentirem-se inferiores, há àqueles que traem porque também foram traídos, enfim para todo desvio de conduta, podemos encontrar uma razão lógica. É claro que isto não justifica o comportamento inadequado, nem os exime de corrigí-los, somente nos mostra as razões deste comportamento.

Não temos ideia das experiências e dos caminhos que cada um percorreu para chegar até aqui, como podemos exigir que alguém nos ofereça o que ainda não tem? Não devemos esperar do próximo, mais do que ele pode nos oferecer, não é caridoso e chega a ser cuel, esperar que alguém carregue um peso maior do que a capacidade de suas forças.

Orgulho Ferido

Mas somos orgulhosos em demasia. Acreditamos que merecemos um tapete vermelho num caminho decorado com flores, e quase sempre nos ofendemos com qualquer coisa menor que isto. Um comentário descuidado passa a ser uma ofensa lembrada por décadas.

Perdão e Ofensa

O perdão é super-valorizado, melhor do que perdoar é não sentir-se ofendido. Se não existe a ofensa, também não existe a necessidade de perdoar o ofensor.

Conhecimento é responsabilidade
O espírita mais que qualquer um deve compreender estas coisas e posicionar-se de forma inteligente e racional diante das situações de conflito.

Não devemos interpretar as reações das pessoas ao nosso redor como ofensas pessoais, por mais que pareçam ser. Na maior parte do tempo estas ofensas só revelam a fraqueza, o medo e a ignorância daquele que fere. Os fracos e os temerosos devem ser amparados e consolados e os ignorantes devem ser orientados, para que juntos possamos caminhar em direção ao progresso.

LinkWithin



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...